Resgate de Sangue / We Were Strangers

Nota: ★★½☆

Em 1949, exatos dez anos antes de guerrilheiros liderados por Fidel Castro, Ernesto Che Guevara e Camilo Cienfuegos derrubarem a ditadura sanguinária de Fulgêncio Batista, John Huston fez um filme sobre uma revolução popular que, em 1933, acabava derrubando uma ditadura sanguinária em Cuba. Continue lendo “Resgate de Sangue / We Were Strangers”

Imperdoável / The Unforgivable

Nota: ★★★☆

Imperdoável/The Unforgivable, co-produção Inglaterra-Alemanha-EUA de 2021, é um drama denso, sério, sobre alguns temas importantíssimos, barra-pesadas. O principal deles é a segunda chance – o que acontece a um condenado por crime que cumpre sua sentença e volta ao convívio da sociedade. Continue lendo “Imperdoável / The Unforgivable”

Nunca, Raramente, Às Vezes, Sempre / Never Rarely Sometimes Always

Nota: ★★★½

É excelente, excepcional este filme de título tão estranho e interessante, uma típica produção do cinema independente americano, obra que parece bem pessoal de uma jovem diretora e roteirista, Eliza Hittman. Excelente, excepcional, feito com imenso talento. E é também desagradabilíssimo de se ver. Continue lendo “Nunca, Raramente, Às Vezes, Sempre / Never Rarely Sometimes Always”

O Anjo Embriagado / Yoidore Tenshi

Nota: ★★★☆

Toda a ação de O Anjo Embriagado, de 1948 – apenas três anos, portanto, após a rendição do Japão ao final da Segunda Guerra Mundial –, se passa em um bairro bem pobre, quase miserável, da periferia de uma grande cidade que jamais é identificada. Pode ser Tóquio, mas também poderia ser Osaka ou qualquer outra grande cidade – não importa. Importa é a pobreza. Continue lendo “O Anjo Embriagado / Yoidore Tenshi”

A Ausência Que Seremos / El Olvido Que Seremos

Nota: ★★★☆

O médico colombiano Héctor Abad Gómez era um daqueles homens que Bertold Brecht definiria como imprescindíveis. Lutou a vida inteira pelo bem, pela saúde pública, por melhor as condições de vida das populações mais pobres de seu país. Uma parte de sua vida é contada neste belo El Olvido Que Seremos (2020), do espanhol Fernando Trueba – que, a cada novo filme, demonstra ser, ele também, um imprescindível. Continue lendo “A Ausência Que Seremos / El Olvido Que Seremos”

Vientos de Agua

Nota: ★★★½

Vientos de Agua, série de 2006 do grande Juan José Campanella, é um imenso, gigantesco, incomensurável afresco, um painel ousado, ambicioso, um épico monumental. Pretende fazer nada menos que um retrato da História, das mudanças na vida da Argentina e da Espanha num largo espaço de tempo – de 1934 a 2005. Continue lendo “Vientos de Agua”

O Mundo de Apu / Apur Sansar

Nota: ★★★★

Quando, em 1952, começaram as filmagens de A Canção da Estrada – o filme que conta os primeiros anos da vida do garotinho Apu, no interiorzão da Bengala Ocidental, nos anos 1920, quando todo o Subcontinente Indiano era possessão britânica –, Satyajit Ray nunca havia realizado qualquer coisa relacionada a cinema. Em 1959, quando lançou este O Mundo do Apu, o terceiro tomo da Trilogia de Apu, seu nome já era respeitadíssimo nos festivais e entre os cinéfilos antenados como o de um dos grandes cineastas de todo o mundo. Continue lendo “O Mundo de Apu / Apur Sansar”

O Belo Antonio / Il Bell’Antonio

Nota: ★★★☆

É dificílimo, quase impossível imaginar hoje o espanto, o furor que O Belo Antonio, de Mauro Bolognini, deve ter provocado em seu lançamento, em 1960. Em especial na Itália, naquela época um país profundamente católico, machista, patriarcal. Anos antes da pílula, antes das grandes manifestações feministas. Antes de toda a revolução dos costumes, da forma de se falar sobre sexo que viria a partir dos anos 60. Continue lendo “O Belo Antonio / Il Bell’Antonio”