Depois da Cabana / Liebes Kind

[rating:3}

(Disponível na Netflix em 10/2023.)

Uma mulher sequestrada, abusada, espancada constantemente, mantida em cativeiro, em uma casa hermeticamente fechada, em que não penetra um raio de luz de sol. Duas crianças trancadas ali, anos e anos sem enxergar o céu – e educados com uma rigidez inimaginável pelo pai psicopata, louco varrido, a tal ponto que, sempre que ele chega do mundo exterior, elas erguem os braços para frente, para exibir as mãos, as palmas e as costas das mãos, para provar que estão cuidadosamente limpas. Continue lendo “Depois da Cabana / Liebes Kind”

O Netinho do Papai / Father’s Little Dividend

(Disponível no YouTube em 12/2023.)

O Netinho do Papai, que o grande Vincente Minnelli lançou em 1951, tem um sério defeito – e não é o título escolhido pelos exibidores brasileiros, que sem dúvida parece bem bobinho, mas até tem o seu sentido. É o fato de que Minnelli, à época das filmagens já enfiado na pré-produção de um filme que exigia dele todas as atenções, simplesmente An American in Paris, no Brasil Sinfonia de Paris, um dos mais belos musicais da História, não teve o cuidado, a atenção de fazer sequer um close-up da atriz que faz a mãe do netinho, a filha do papai a que se refere o título. Continue lendo “O Netinho do Papai / Father’s Little Dividend”

Descanse em Paz / Descansar en Paz

Nota: ★★★☆

(Disponível na Netflix em 4/2024.)

Angustiante. Terrível, horrorosa, apavorantemente angustiante. Descanse em Paz (2024) é mais um bom filme do diretor argentino Sebastián Borensztein, que já nos deu os preciosos Um Conto Chinês (2011), Kóblic (2016) e A Odisséia dos Tontos (2019). Continue lendo “Descanse em Paz / Descansar en Paz”

Uma Confeitaria para Sarah / Love Sarah

Nota: ★★★☆

(Disponível na Netflix em 9/2023.)

Love Sarah, no Brasil Uma Confeitaria para Sarah, produção britânica de 2020, é um filme simpático, agradável, gostoso, sobre relações afetivas e, como indica o título brasileiro, sobre confeitos, doces, preciosidades para adoçar o paladar, a vida. A diretora Eliza Shroeder o dedicou a Sonja, sua mãe – e, sim, é um filme abertamente de alma feminina. Continue lendo “Uma Confeitaria para Sarah / Love Sarah”

O Tempo Que Te Dou / El Tiempo Que Te Doy

Nota: ★★★☆

(Disponível na Netflix em 8/2023.)

Moça encontra rapaz, apaixonam-se, passam a morar juntos, são muito felizes por um tempo, surgem problemas, a relação se desgasta, vem a separação, a moça sofre, come o pão que o diabo amassou, mas depois – fazer o quê, né? – começa a se refazer. Continue lendo “O Tempo Que Te Dou / El Tiempo Que Te Doy”

O Conde / El Conde

Nota: ★★★☆

(Disponível na Netflix em 2/2024.)

Estávamos todos muito enganados: Augusto Pinochet não morreu. Até porque é um vampiro, um bebedor de sangue, de preferência de gente jovem, um comedor de corações humanos – O Conde (2023), de Pablo Larraín, o mostra comendo corações diversas, diversas vezes, ou batido no liquidificador ou direto da mão para a boca gulosa. E, como se sabe, não é fácil um vampiro morrer. Continue lendo “O Conde / El Conde”

O Mundo é Culpado / Outrage

Nota: ★★★☆

(Disponível no YouTube em 9/2023.)

O estupro é um dos crimes mais hediondos que pode haver, ao lado apenas do abuso sexual de criança ou dos seguidos espancamentos da esposa pelo marido. Mas claro que não é o caso de fazer uma métrica de qual é o crime mais hediondo que a humanidade foi capaz de inventar. A verdade é esta: o estupro é um dos crimes mais hediondos que pode haver – e é, muito provavelmente, o único que faz a vítima se envergonhar de ter sido vítima. Continue lendo “O Mundo é Culpado / Outrage”

Mixed by Erry

Nota: ★★★☆

(Disponível na Netflix em 7/2023.)

Gostoso, divertido e muito bem realizado, Mixed by Erry, produção italiana de 2023 com a grife Rai Cinema, conta uma daquelas histórias incríveis, fantásticas, inacreditáveis, que – a gente fica imaginando – só poderiam sair da cabeça de um escritor de imaginação insana, maluca, talvez até com a ajuda de um poderoso coquetel de alucinógenos…

… e que, no entanto, se baseia em fatos reais! Continue lendo “Mixed by Erry”

Conflito de Duas Almas / Golden Boy

Nota: ★★★☆

(Disponível no YouTube em 8/2023.)

Um dos cartazes originais para o lançamento de Golden Boy, no Brasil Conflito de Duas Almas, em outubro de 1939, tinha uma imagem que é a mais perfeita propaganda enganosa, e uma frase que até era em parte verdadeira. Não há nada, absolutamente nada no filme parecido com a figura de uma mulher deitada de braços abertos para um homem que se aproxima dela para – cráu! Continue lendo “Conflito de Duas Almas / Golden Boy”

O Anjo das Ruas / Street Angel

Nota: ★★★☆

(Disponível no YouTube, em 8/2023.)

O Anjo das Ruas, produção de 1928, quase um século atrás, pode causar estranheza entre as audiências mais jovens, e até surpreender pessoas que já deixaram bem para trás a juventude. Mas, independentemente da época em que foi feito, é um belo filme, forte, interessante, fascinante. Continue lendo “O Anjo das Ruas / Street Angel”

Entrapped

Nota: ★★★☆

(Disponível na Netflix em 5/2023.)

Em 2015, houve 3 homicídios na Islândia. Em 2016, 1. Tanto em 2017 quanto em 2018 houve 3 homicídios. Em 2019, foi de novo apenas 1. Pois bem: só ao longo dos cerca de 270 minutos, ou 4h30, de Entrapped, três pessoas são assassinadas. Continue lendo “Entrapped”

Nevasca de Natal / Julestorm

Nota: ★★★☆

(Disponível na Netflix em 12/2023.)

Nevasca de Natal, minissérie norueguesa de 2022, é deliciosa como o mais belo espírito natalino. Mostra mais de duas dúzia de personagens – pessoas que acontece de estarem no aeroporto de Oslo na antevéspera do Natal quando uma nevasca impede todos os pousos e decolagens –, e como eles se relacionam. É um retrato alegre, esperançoso, em que as pessoas revelam o melhor de si mesmas – e que acaba mostrando como pode ser belo o ser humano. Continue lendo “Nevasca de Natal / Julestorm”

O Sol Brilha na Imensidão / The Sun Shines Bright

Nota: ★★★☆

(Disponível noYouTube em 6/2023.)

O gigante John Ford fez dois filmes com o personagem William Pittman Priest: O Juiz Priest/Judge Priest, de 1934, e O Sol Brilha na Imensidão/The Sun Shines Bright, de 1953. Este aqui ele dizia ser o favorito entre seus filmes – e, diabo, isso não é pouca coisa, de jeito nenhum. Continue lendo “O Sol Brilha na Imensidão / The Sun Shines Bright”