The Chair

Nota: ★★★☆

(Disponível na Netflix em 8/2021.)

The Chair, minissérie absolutamente mini lançada pela Netflix em 2021, trata de vários, diversos, múltiplos temas importantes, sérios, pesados, com muito bom humor. Não é uma comédia, não, de forma alguma – mas tem um toque forte de bom humor, de elementos cômicos. A rigor, é como a vida, essa coisa que, como Billy Blanco sintetizou com maestria, dá tanto pra fazer rir quanto pra chorar. Continue lendo “The Chair”

Anatomia de um Escândalo / Anatomy of a Scandal

Nota: ★★★★

(Disponível na Netflix em abril de 2022.)

A principal característica de Anatomia de um Escândalo, minissérie co-produção Inglaterra-EUA lançada na Netflix em abril de 2022, é que é uma obra feminina. São mulheres a diretora, uma dos dois roteiristas e a autora do livro em que se baseia – ela também produtora executiva. E são mulheres as duas personagens principais. Continue lendo “Anatomia de um Escândalo / Anatomy of a Scandal”

A Jornalista / Shinbun Kisha

Nota: ★★★½

(Disponível na Netflix em 2/2022.)

A Jornalista, minissérie japonesa de 2022, é extraordinária, uma beleza, uma maravilha. Tem diversas qualidades. Infelizmente, porém, não dá para fugir da verdade: para nós, brasileiros, o ponto mais impressionante de todos é a diferença absurda, gigantesca, amazônica, jupeteriana, que a série demonstra que existe entre o Brasil e o Japão, os brasileiros e os japoneses. Continue lendo “A Jornalista / Shinbun Kisha”

Um Rapaz Adequado / A Suitable Boy

Nota: ★★★☆

Um Rapaz Adequado/A Suitable Boy, minissérie de seis episódios de cerca de 60 minutos cada, foi uma das mais caras produções da BBC em todos os tempos: consta que custou £16 milhões, equivalente a cerca de US$ 22,2 milhões. A direção de cinco dos seis episódios é da grande Mira Nair, cineasta experiente, respeitada, que trafega com facilidade entre os cinemas indiano, americano e inglês. Continue lendo “Um Rapaz Adequado / A Suitable Boy”

Collateral

Nota: ★★★★

Collateral, impecável minissérie inglesa de 2018, começa com um assassinato: um motoboy entrega uma pizza num apartamento no Sul de Londres e, quando chega de volta à calçada do prédio, é atingido por uma bala certeira, precisa, disparada – o espectador logo terá certeza disso – por profissional experiente. Continue lendo “Collateral”

Vientos de Agua

Nota: ★★★½

Vientos de Agua, série de 2006 do grande Juan José Campanella, é um imenso, gigantesco, incomensurável afresco, um painel ousado, ambicioso, um épico monumental. Pretende fazer nada menos que um retrato da História, das mudanças na vida da Argentina e da Espanha num largo espaço de tempo – de 1934 a 2005. Continue lendo “Vientos de Agua”

Assassinato do Primeiro-Ministro / Den Osannolika Mördaren

Nota: ★★★★

Esta minissérie sueca de 2021 é uma sensacional, envolvente, apaixonante, extremamente bem realizada, cuidadosíssima reconstituição… não dos fatos envolvendo o assassinato do primeiro-ministro Olof Palme, ocorrido na noite de 28 de fevereiro de 1986, no centro de Estocolmo. Mas de como muito seguramente devem ter sido. Continue lendo “Assassinato do Primeiro-Ministro / Den Osannolika Mördaren”

Maid

Nota: ★★★★

No primeiro episódio, a série Maid faz o espectador se apaixonar pela protagonista, e morrer de pena dela. Alex (o papel de Margaret Qualley, essa menina que chegou com o brilho de uma supernova) sofre feito uma condenada, come o pão que o diabo amassou, tem vida mais dura do que escravo remador nas galés romanas. Continue lendo “Maid”

Crimes em Délhi / Delhi Crime

Nota: ★★★★

Crimes em Délhi/Delhi Crime, série indiana de sete episódios de cerca de 50 minutos cada, feita em 2019, reconstitui, ao que tudo indica de maneira fiel, rigorosamente fiel, num estilo quase de documentário, um caso real acontecido em 2012. É um trabalho magistral, de uma qualidade absolutamente impressionante. Mas não é algo fácil de se ver, de forma alguma. Continue lendo “Crimes em Délhi / Delhi Crime”

The White Lotus

Nota: ★★★½

The White Lotus, minissérie de 6 episódios da HBO de 2021 passada num resort caríssimo no Havaí, tem momentos cômicos e paisagens deslumbrantes, cheias de cores fortes, mas deixa no espectador um gosto bem amargo. Como se ele tivesse assistido a um drama serííssimo, em preto-e-branco, sobre a vida de seres miseráveis no sertão nordestino, num vilarejo do fundo da absoluta pobreza africana ou numa favela carioca ou paulistana. Continue lendo “The White Lotus”