Rosa e Momo / La Vita Devanti a Sé

[rating;3]

O cinema e os cinéfilos devem agradecer a Edoardo Ponti pela oportunidade de ver Sophia Loren em um novo filme. La Vita Devanti a Sé, no Brasil Rosa e Momo, de 2020, vem após dez anos de seu longa-metragem anterior, La mia casa è piena di specchi, feito para a TV italiana. Durante estes dez anos, a atriz – essa lenda, uma das maiores estrelas destes 125 anos de História do cinema – apareceu apenas em um curta-metragem, Voce umana, de 2014 – também dirigido por Edoardo Conti. Continue lendo “Rosa e Momo / La Vita Devanti a Sé”

A Mula / The Mule

Nota: ★★★½

É impressionante como Clint Eastwood consegue dar um toque pessoal a seus filmes – obras em geral caras, de orçamento alto, bancadas por grandes estúdios, além de por sua própria produtora, a Malpaso. Não são produções independentes: são produtos de Hollywood, do grande sistema – e no entanto são, ao mesmo tempo, de maneira fantástica, pessoais. Continue lendo “A Mula / The Mule”

O Último Amor de Mr. Morgan / Mr. Morgan’s Last Love

zzlove1

Nota: ★★★☆

O Último Amor de Mr. Morgan é um desses filmes absolutamente multinacionais. O personagem central, o Mr. Morgan do título, é um americano que vive em Paris, embora não fale mais que uma ou duas palavras em francês – e é interpretado por um inglês, Michael Caine, esse monumento do cinema. Continue lendo “O Último Amor de Mr. Morgan / Mr. Morgan’s Last Love”

Um Fim de Semana em Paris / Le Week-End

zzweek1

Nota: ★★★☆

Este Um Fim de Semana em Paris, no original Le Week-End, pode enganar o espectador. Parece uma comedinha gostosa, leve: tem de fato situações bem engraçadas, piadas deliciosas surgem nos diálogos do casal de velhinhos ingleses que vão a Paris 30 anos depois de passar ali a lua de mel. Continue lendo “Um Fim de Semana em Paris / Le Week-End”

Álbum de Família / August: Osage County

zzaugust1

Nota: ★★★☆

Dos Estados Unidos já saíram dezenas e dezenas de comédias sobre famílias com problemas, famílias disfuncionais. Talvez até centenas, milhares –muitas delas com razoáveis pitadas dramáticas, várias delas bons filmes. Mas dramas familiares tão absolutamente pesados, tão amargos, tão desesperançados como este Álbum de Família, ao contrário, não são tão comuns assim. Continue lendo “Álbum de Família / August: Osage County”