Uma Família Quase Perfeita / En Helt Vanlig Familj

 

 

 

 

 

Nota: ★★★☆

(Disponível na Netflix em 1/2024.)

Competentíssima minissérie sueca de seis episódios, de 2023, Uma Família Quase Perfeita é uma mistura de drama familiar com thriller-policial-mistério. Na sua porção vida em família, vai fundo no exame de como é trágico quando pais e filhos não se falam, não se comunicam, não exprimem seus sentimentos. Continue lendo “Uma Família Quase Perfeita / En Helt Vanlig Familj”

Unwed Woman

Nota: ★★½☆

(Disponível no YouTube em 1/2024.)

Produção simples, de orçamento bem pequeno e diretor nada marcante, Walter A. Doniger, sem astros e estrelas, um típico filme B, obscuro, pouquíssimo falado, Unwed Mother, de 1958, mereceu do crítico Leonard Maltin a cotação de 1.5 estrelas em 4 e uma única, massacrante frase: “O título diz tudo neste programa não sensacional”. Continue lendo “Unwed Woman”

Caso de Polícia / The Good Cop

Nota: ★★★½

(Disponível na Netflix em 7/2024.)

Os dois atores principais são Tony Danza e Josh Groban, e a figura feminina que encanta os olhos, a mocinha da história, é Monica Barbaro. Os dez episódios da série, lançada em 2018, foram dirigidos por sete diferentes profissionais – Randy Zisk, Kevin Hooks, Rebecca Asher, Neema Barnette, Alex Hardcastle, Silver Tree, Rodrigo García – e, deles, eu só conhecia este último, um ótimo realizador. Continue lendo “Caso de Polícia / The Good Cop”

Por Causa de uma Mulher / Whistle Stop

(Disponível no YouTube em 1/2024.)

O título original, Whistle Stop, literalmente parada de apito, é uma expressão americana. Significa uma cidade pequena em que os trens só param se houver um pedido, segundo o Dictionary of English Language and Culture. Uma cidade pequena em que na maioria das vezes os trens passam apitando, mas não param, porque o movimento é pequeno. Continue lendo “Por Causa de uma Mulher / Whistle Stop”

Meu Único Amor / The Man I Love

Nota: ★★½☆

(Disponível no Dwan & Walsh Filmes do YouTube em 12/2023.)

A característica mais interessante de The Man I Love, no Brasil Meu Único Amor, produção da Warner Bros de 1946 dirigida pelo respeitado, cultuado Raoul Walsh, que o torna diferente da imensa maioria dos filmes de sua época, talvez de todas as épocas, são as ausências. Não há bandidos, tiros, perseguições de carro; não há milionários, grandes celebridades; não há gigantescas tragédias, eventos fenomenais. Os personagens são gente como a gente, suas vidas são como as nossas. Continue lendo “Meu Único Amor / The Man I Love”

A Senda do Temor / The Chase

Nota: ★★★☆

(Disponível no YouTube em 12/2023.)

É bem interessante este The Chase, de 1946, lançado no Brasil como A Senda do Temor e hoje disponível no YouTube em uma versão colorizada com o título que recebeu em Portugal, Sós Contra o Mundo. Deve seguramente ser ainda melhor na versão original em preto-e-branco, porque é um autêntico filme noir. Continue lendo “A Senda do Temor / The Chase”

Bastidores de uma Conspiração / Schlafende Hunde

]Nota: ★★★☆

(Disponível na Netflix em 12/2023.)

São várias as características marcantes da série alemã Schlafende Hunde, no Brasil Bastidores de Uma Conspiração. Há muitos, muitos, muitos personagens importantes, e há diversas tramas secundárias, acessórias. E o que se mostra é uma grande podridão nas instituições – a polícia, o Judiciário. Não que as instituições sejam intrinsicamente podres – mas estão permeadas de mentiras, corrupção, podridão. Continue lendo “Bastidores de uma Conspiração / Schlafende Hunde”

O Poder do Ódio / Slightly Scarlet

Nota: ★☆☆☆

(Disponível no YouTube em 12/2023.)

O diretor Allan Dwan é um nome de respeito. O roteiro se baseia em um livro do grande James M. Cain, autor dos romances que deram origem a dois dos maiores clássicos do cinema noir, Pacto de Sangue (1944) e O Destino Bate à Porta, com duas das mais perfeitas femmes fatales do cinema, interpretadas por grandes estrelas, Barbara Stanwyck e Lana Turner. Continue lendo “O Poder do Ódio / Slightly Scarlet”

O Guardião Invisível / El Guardián Invisible

]

Nota: ★★½☆

(Disponível na Netflix em 11/2023.)

O Guardião Invisível/El Guardián Invisible, produção de 2017, abre com belas, bem cuidadas tomadas de um bosque em uma manhã chuvosa e tudo indica que fria. A câmara parece passear pelo bosque, onde há um lago, um rio, até encontrar o primeiro dos cadáveres que o espectador verá ao longo dos 129 minutos de filme. Continue lendo “O Guardião Invisível / El Guardián Invisible”

O Salário do Pecado / The Naked Street

Nota: ★★★☆

(Disponível no YouTube.)

Não é uma bela sociedade, um belo país com instituições respeitáveis o que é mostrado em The Naked Street, no Brasil O Salário do Pecado, uma produção da United Artists de 1955 hoje um tanto – ou bastante – obscura. Muito, muitíssimo ao contrário. É uma realidade de deixar com muita vergonha os americanos que acham que o American Way of Life e os United States of America são a melhor coisa do mundo. Continue lendo “O Salário do Pecado / The Naked Street”

Histórias Incomuns / Ajeeb Daastaans

Nota: ★★★☆

(Disponível na Netflix em 11/2023.)

Histórias Incomuns, produção indiana de 2021, caprichadíssima, muitíssimo bem realizada em todos os quesitos, é formada por quatro episódios completamente, absolutamente independentes. Cada um tem seu diretor e seu(s) roteirista(s), seu elenco, sua história. Continue lendo “Histórias Incomuns / Ajeeb Daastaans”

O Que Terá Acontecido a Baby Jane? / What Ever Happened to Baby Jane?

Nota: ★★★☆

(Disponível no Max e no YouTube  em 6/2024.)

O Que Terá Acontecido a Baby Jane?, que Robert Aldrich produziu e dirigiu em 1962, é uma daquelas obras-primas que parecem imunes à passagem do tempo. Estrelado por Bette Davis e Joan Crawford – duas das melhores, mais carismáticas, marcantes, importantes atrizes dos anos 1930, terríveis rivais na vida real – interpretando irmãs que são exatamente atrizes rivais daquela década, o filme não pára de inspirar novas produções. Continue lendo “O Que Terá Acontecido a Baby Jane? / What Ever Happened to Baby Jane?”

1976

Nota: ★★★½

(Disponível na Netflix em 11/2023.)

1976 fala da sangrenta, assassina ditadura de direita implantada no Chile em 1973 da maneira menos tonitruante, berrante, escandalosa possível. A diretora Manuela Martelli, também co-autora da história e do roteiro, escolheu o tom menor; privilegiou o subentendido, o implícito. Fugiu das obviedades, das explicitudes, como o diabo da cruz, as ditaduras dos direitos das pessoas. Continue lendo “1976”