Fale com Ela / Hable con Ella

Nota: ★★★★

(Disponível na Netflix em 2/2022.)

Em um dos muitos momentos extremamente belos de Fale Com Ela, o Pedro Almodóvar de número 15, de 2002, vemos a jovem toureira Lydia (Rosario Flores) em ação – mas não ouvimos nenhum som produzido na praça de touros lotada, e sim a gravação de Elis Regina de “Por Toda Minha Vida”, aquela do disco Elis & Tom, de 1974. Continue lendo “Fale com Ela / Hable con Ella”

Rapsódia em Agosto / Hachi-gatsu no Rapusodi

Nota: ★★★★

Em agosto de 1945, quando os americanos jogaram uma bomba atômica sobre Hiroshima e logo em seguida uma outra sobre Nagasaki, Akira Kurosawa estava com 35 anos. Foi um ano importante em sua vida pessoal: em fevereiro, o jovem diretor e roteirista e a namorada, Kiyo Kato, se casaram, e, em dezembro, ela lhe daria seu primogênito, Hisao. Seu quarto longa-metragem, Os Homens que Pisaram na Cauda do Tigre, concluído naquele ano, foi proibido. Continue lendo “Rapsódia em Agosto / Hachi-gatsu no Rapusodi”

Resgate de Sangue / We Were Strangers

Nota: ★★½☆

Em 1949, exatos dez anos antes de guerrilheiros liderados por Fidel Castro, Ernesto Che Guevara e Camilo Cienfuegos derrubarem a ditadura sanguinária de Fulgêncio Batista, John Huston fez um filme sobre uma revolução popular que, em 1933, acabava derrubando uma ditadura sanguinária em Cuba. Continue lendo “Resgate de Sangue / We Were Strangers”

Imperdoável / The Unforgivable

Nota: ★★★☆

Imperdoável/The Unforgivable, co-produção Inglaterra-Alemanha-EUA de 2021, é um drama denso, sério, sobre alguns temas importantíssimos, barra-pesadas. O principal deles é a segunda chance – o que acontece a um condenado por crime que cumpre sua sentença e volta ao convívio da sociedade. Continue lendo “Imperdoável / The Unforgivable”

Nunca, Raramente, Às Vezes, Sempre / Never Rarely Sometimes Always

Nota: ★★★½

É excelente, excepcional este filme de título tão estranho e interessante, uma típica produção do cinema independente americano, obra que parece bem pessoal de uma jovem diretora e roteirista, Eliza Hittman. Excelente, excepcional, feito com imenso talento. E é também desagradabilíssimo de se ver. Continue lendo “Nunca, Raramente, Às Vezes, Sempre / Never Rarely Sometimes Always”

O Anjo Embriagado / Yoidore Tenshi

Nota: ★★★☆

Toda a ação de O Anjo Embriagado, de 1948 – apenas três anos, portanto, após a rendição do Japão ao final da Segunda Guerra Mundial –, se passa em um bairro bem pobre, quase miserável, da periferia de uma grande cidade que jamais é identificada. Pode ser Tóquio, mas também poderia ser Osaka ou qualquer outra grande cidade – não importa. Importa é a pobreza. Continue lendo “O Anjo Embriagado / Yoidore Tenshi”

A Ausência Que Seremos / El Olvido Que Seremos

Nota: ★★★☆

O médico colombiano Héctor Abad Gómez era um daqueles homens que Bertold Brecht definiria como imprescindíveis. Lutou a vida inteira pelo bem, pela saúde pública, por melhor as condições de vida das populações mais pobres de seu país. Uma parte de sua vida é contada neste belo El Olvido Que Seremos (2020), do espanhol Fernando Trueba – que, a cada novo filme, demonstra ser, ele também, um imprescindível. Continue lendo “A Ausência Que Seremos / El Olvido Que Seremos”

Vientos de Agua

Nota: ★★★½

Vientos de Agua, série de 2006 do grande Juan José Campanella, é um imenso, gigantesco, incomensurável afresco, um painel ousado, ambicioso, um épico monumental. Pretende fazer nada menos que um retrato da História, das mudanças na vida da Argentina e da Espanha num largo espaço de tempo – de 1934 a 2005. Continue lendo “Vientos de Agua”