Glória Feita de Sangue / Paths of Glory

Nota: ★★★★

Quando a obra de arte é boa demais, o tempo – ao contrário do que canta o Cazuza – pára. Glória Feita de Sangue, que Stanley Kubrick lançou em 1957, tem portanto 61 anos, mas não envelheceu absolutamente nada. Poderia perfeitamente ter sido lançado um mês atrás. Continue lendo “Glória Feita de Sangue / Paths of Glory”

A Estrada da Vida / La Strada

Nota: ★★★★

O cinema adora histórias de trupes mambembes, saltimbancos, artistas de variedades, gente simples, humilde, pobre, não raro feia, andrajosa, que se põe na estrada e vai de cidade em cidade exibindo suas artes, muitas vezes apenas por alguns trocados. Há motivos de sobra para crer que Gelsomina e Zampano são, de toda a imensa galeria de tipos assim que o cinema já nos mostrou, os mais pobres de todos, os mais tristes, os mais sofridos. Continue lendo “A Estrada da Vida / La Strada”

A Lenda dos Beijos Perdidos / Brigadoon

Nota: ★☆☆☆

Poderia chamar Dois Americanos na Escócia. Ou Dois Americanos no Mundo da Lua, ou na Ilha da Fantasia. Três anos depois do extraordinário sucesso de público e crítica de An American in Paris, o diretor Vincente Minnelli e o ator-dançarino-coreógrafo-cantor Gene Kelly voltaram a trabalhar juntos neste Brigadoon. Continue lendo “A Lenda dos Beijos Perdidos / Brigadoon”

Lola Montès

Nota: ★★★½

Os adjetivos mais ácidos, mais avassaladores – e também os mais babantes, mais superlativos – foram usados para classificar Lola Montès, de 1955, o último filme de Max Ophüls. Fascinante – porque, se existe filme inclassificável, é Lola Montès, exatamente como, se houver realizador inclassificável, é Max Ophüls. Continue lendo “Lola Montès”

Dá-me um Beijo / Kiss Me, Kate

Nota: ★★★½

História dentro de história é isso aí: Kiss Me, Kate, o filme de George Sidney de 1953, é a transposição para o cinema da peça musical Kiss Me, Kate, que havia estreado na Broadway de Nova York em 1948 e no West End de Londres em 1951, e conta a história de como foi encenado na Broadway uma versão musical da peça A Megera Domada, escrita por William Shakespeare entre 1590 e 1592. Continue lendo “Dá-me um Beijo / Kiss Me, Kate”

Mogambo

Nota: ★★½☆

Que tal uma trama assim? O sujeito está enfurnado no meio da selva africana há décadas, vivendo de capturar animais selvagens e vendê-los para algum lugar da civilização e eventualmente de servir de hospedeiro e guia de ricaços interessados em fazer safáris. De repente, cai de pára-quedas diante dele a Ava Gardner. Continue lendo “Mogambo”

Páginas da Vida / O. Henry’s Full House

Nota: ★★½☆

O’Henry’s Full House, no Brasil Páginas da Vida, de 1952, pode não ser um grande filme – e não é mesmo, na minha opinião. É bem intencionado, defende bons valores, mas abusa do sentimentalismo, da pieguice. Continue lendo “Páginas da Vida / O. Henry’s Full House”