Arquivos do Rótulo: EUA-Europa: amor e ódio

Walt nos Bastidores de Mary Poppins / Saving Mr. Banks

zzsaving1

Nota: ★★★½

Nos primeiros 10, 15 minutos do fascinante Saving Mr. Banks, no Brasil Walt nos Bastidores de Mary Poppins, o espectador fica se perguntando: como uma mulher tão absolutamente chata, mal-humorada, de mal com a vida, intolerável, pôde criar um personagem tão alegre, tão delicioso quanto Mary Poppins? Ler Mais »

Quando o Coração Floresce / Summertime

zzsummertime1

Nota: ★★★½

Sir David Lean (1908-1991), um dos maiores cineastas da História, foi homem de filmografia não muito vasta. Dirigiu apenas 16 longa-metragens, ao longo de 42 anos. Summertime, de 1955, foi o 11º, e o último de seus filmes mais intimistas. A partir daí, ele passaria a fazer superproduções, grandes épicos, gigantescos afrescos. Ler Mais »

A Datilógrafa / Populaire

zzdati1

Nota: ★★★☆

A Datilógrafa, no original Populaire, é um filme bem sem-vergonha – sem vergonha de ser alegre, pra cima, de ter um gosto de nostalgia, de fugir do realismo como o diabo foge da cruz. É uma absoluta delícia. Ler Mais »

Para Roma com Amor / To Rome with Love

kinopoisk.ru

Nota: ★★☆☆

Depois de mais de quatro décadas fazendo um filme por ano, e filmes que variam entre bons, ótimos e extraordinários, Woody Allen errou a mão. Para Roma com Amor é uma decepção. Ler Mais »

O Turista Acidental / The Accidental Tourist

zzturista1

Nota: ★★★★

Apenas sete anos depois de terem protagonizado algumas das mais quentes, arrebatadoras cenas de sexo do cinema americano em Corpos Ardentes/Body Heat (1981), Kathleen Turner e William Hurt se reencontram, dirigidos pelo mesmo realizador, Lawrence Kasdan. Estão frios, gélidos. Ler Mais »

A Princesa e o Plebeu / Roman Holiday

zzroman1

Nota: ★★★★

Joe Bradley e Anne formam, com toda certeza, um dos casais mais simpáticos, charmosos, encantadores da história do cinema. Ler Mais »

Quatro Casamentos e um Funeral / Four Weddings and a Funeral

zzfour1

Nota: ★★★★

Foi um baita prazer rever Quatro Casamentos e um Funeral. Que maravilha de filme, meu Deus do céu e também da terra! Ler Mais »

Quando Setembro Vier / Come September

Nota: ★★★☆

Quando Setembro Vier, no original Come September, a comedinha feita por Robert Mulligan em 1961, com o galãzão Rock Hudson, a gostosérrima Gina Lollobrigida e os garotinhos Bobby Darin e Sandra Dee, e mais estonteantes paisagens da Itália, é uma total, absoluta delícia. Ler Mais »

Charada em Veneza / The Honey Pot

Nota: ★★★☆

Uma diversão inteligente, elegante, suavemente sofisticada – e extremamente palavrosa, é verdade. Não se poderia esperar nada diferente de Joseph L. Mankiewicz, um dos mais palavrosos, literários dos realizadores americanos, se não for o mais de todos. Ler Mais »

Sete Dias com Marilyn e O Príncipe Encantado

Nota: ★★★½

Nota: ★★☆☆

Para contar como foi feito um filme fraco, bobo, menor, fizeram um filme espetacular. Ler Mais »

Paris Vive à Noite / Paris Blues

Nota: ★★★☆

Paris Vive à Noite, no original Paris Blues, é um filme riquíssimo em informações, qualidades, belezas. Não chega, ao menos na minha opinião, a ser grande filme. Mas como documento tem imenso, fantástico valor. Ler Mais »

Momento Inesquecível / Local Hero

Nota: ★★★½

Momento Inesquecível, no original Local Hero, de 1983, é uma pequena pérola. Uma ode à alegria de viver, aos pequenos prazeres da vida, uma fábula para defender a moral de que o dinheiro é pouco importante, que há muitos valores mais fundamentais, que é imbecilidade centrar a vida na busca de ganhar e juntar bens materiais. Ler Mais »

Meia-Noite em Paris / Midnight in Paris

Nota: ★★★★

Meia-Noite em Paris só poderia se passar em Paris. Não poderia ser Meia-Noite em Londres, ou em Nova York, ou em Moscou, ou em Berlim, ou em Roma, ou em Atenas, ou no Rio de Janeiro. Não apenas porque Paris é extraordinariamente bela. Londres, Roma, Berlim, Moscou, Rio também são belas cidades. Ler Mais »

Charity, Meu Amor / Sweet Charity

Nota: ★★★½

Charity, Meu Amor/Sweet Charity é uma maravilha, um encanto, uma alegria. Filme de estréia na direção de Bob Fosse, feito em 1969, tem um ou outro defeitinho, um ou outro momento que denota um tom datado. Detalhinhos, coisinhas menores, de somenos importância. É uma beleza de filme, uma explosão de talento. Ler Mais »

Como Arrasar um Coração / L’Arnacoeur

Nota: ★★½☆

É gostosinha, às vezes bem divertida e, naturalmente, descartável, esta comedinha romântica do cinemão comercial francês. Não é para ser levada a sério – e ela mesma não se leva a sério. É um divertissement, tout court, e, como tal, cumpre bem seu papel. Ler Mais »