Não Amarás / Krotki Film o Milosci


Nota: ★★★☆

Anotação em 1996: Um filme muito, muito triste, amargo, desesperançado. A moral seria mais ou menos assim: não amarás – ou então, caso ames, serás tragado pelo inferno da infelicidade, da solidão, da falta, da ausência, da privação. Ou ainda: o amor não é encontro, é necessariamente desencontro, frustração, vontade que não pode ser saciada. Ou ainda: o amor é sempre unilateral e nunca tem duas vias ao mesmo tempo. Continue lendo “Não Amarás / Krotki Film o Milosci”

Assassinato Sob Custódia / A Dry White Season


Nota: ★★★☆

Anotação em 1995, com complemento em 2008: Professor branco de história na África do Sul (Donald Sutherland) demora, mas vai aos poucos compreendendo como vivem os negros sob o apartheid. O processo de compreensão da realidade é demorado, e nisso ele faz lembrar muito o personagem de Jack Lemmon em Missing em relação ao golpe de Pinochet, que vai para o Chile para encontrar o filho desaparecido certo do que ele deve ter sido culpado de alguma coisa, e que os militares estão mais é certos em prender os subversivos. Continue lendo “Assassinato Sob Custódia / A Dry White Season”

Atraída pelo Perigo / Catchfire ou Backtrack


Nota: ★★☆☆

Anotação em 1995: Um filme muito estranho, e ao mesmo tempo bastante previsível. Daquele tipo de filme que se candidata desde o início a virar cult – tem todos os trejeitos, todas as manhãs, todos os truquezinhos para virar cult. Só que quem decide o que vira cult não é o diretor, é o público e a porra da crítica. Esse, por exemplo, não virou. Continue lendo “Atraída pelo Perigo / Catchfire ou Backtrack”

Nascido para Matar / Full Metal Jacket


Nota: ★★★★

Texto publicado na revista Afinal de 19 de janeiro de 1988: O recruta Joker é o único dos membros de sua turma que ousa tentar reagir à enxurrada de ordens e impropérios com que o sargento instrutor se apresenta, logo no início dos treinamentos – mas, até por isso mesmo, é promovido a líder do grupo e, na prática, entrega-se à lavagem cerebral imposta a todos os futuros fuzileiros navais. Mais tarde, no Vietnã, é capaz de manter um aguçado espírito crítico e uma boa dose de humanidade – mas, ao mesmo tempo, se diz entediado quando passa um dia sem ver sangue. Continue lendo “Nascido para Matar / Full Metal Jacket”

Os Intocáveis / The Untouchables


Nota: ★★★½

Texto para a revista Afinal de 20 de outubro de 1987: Quando Indiana Jones se encontra com Sergei Mikhailovitch Eisenstein, em uma das seqüências mais brilhantes, mais bem realizadas deste quase um século de cinema, a platéia aplaude, grita, assobia – como nos velhos seriados, nos velhos filmes de bangue-bangue. Continue lendo “Os Intocáveis / The Untouchables”

Uma Janela para o Amor / A Room With a View


Nota: ★★★½

Texto publicado na revista Afinal de 24 de março de 1987: Poderia perfeitamente passar na TV às 6 da tarde, o horário das novelas ingênuas e adocicadas para velhinhas e crianças. As senhoras de Santana e a afiada tesoura da velhíssima censura não teriam nada a opor. É tudo absolutamente recatado, dentro dos mais rígidos padrões da moral e dos bons costumes. Continue lendo “Uma Janela para o Amor / A Room With a View”

A Cor Púrpura / The Color Purple

Nota: ★★★½

Texto publicado na revista Afinal de 12 de agosto de 1986: O mago desta vez veio sem sua cartola. Steven Spielberg, o maior fenômeno de bilheteria de toda a história do cinema mundial, o garoto prodígio de Hollywood, responsável por quatro dos oito filmes de maior renda já feitos até hoje, o Walt Disney da era dos computadores e dos videogames, que aos 25 anos era comparado a Orson Welles, abandonou a fantasia, a imaginação, a aventura, os efeitos especiais, os heróis, os monstrinhos, as naves espaciais – toda a sua marca registrada, a sua fórmula perfeita de fazer lotar as salas escuras de cinema ao redor do mundo de multidões ávidas de sonho. Continue lendo “A Cor Púrpura / The Color Purple”

Um Homem, Uma Mulher Vinte Anos Depois / Un Homme et Une Femme Vingt Ans Déjà


Nota: ★★★★

Texto para a revista Afinal de 14 de outubro de 1986: Vinte anos atrás era um fiapo de história. Um homem e uma mulher encontravam-se na vida; apaixonavam-se, desencontravam-se na hora da cama, separavam-se, encontravam-se de novo. Vinte anos depois são muitas histórias que se entrecruzam e se modificam. Continue lendo “Um Homem, Uma Mulher Vinte Anos Depois / Un Homme et Une Femme Vingt Ans Déjà”

Retratos da Vida / Les Uns et les Autres


Nota: ★★★★

Anotação em 1983: E a crítica que não toque na poesia, disse Caetano Veloso, o ídolo mais incensado pela crítica deste país. E a crítica que não toque na poesia. Prepotente, dono da verdade, o pavão não quer que ninguém diga que ele tem os pés feios. Ele adora o seu umbigo, os seus pés; que ninguém toque neles. Quem diria. Caetano, o que dizia que é proibido proibir, o que queria derrubar as prateleiras, as estantes, louças, livros, sim. Agora ele diz não a quem diz não a ele. Continue lendo “Retratos da Vida / Les Uns et les Autres”