Arquivos da Categoria: Ásia

Flores do Oriente / Jin líng shí san chai

zzflores1

Nota: ★★★½

Flores do Oriente não tem vergonha alguma em apelar para as emoções do espectador. De ser chamado de sentimental, melodramático, até mesmo piegas. É isso tudo, sim – e é um belo filme. Zhang Yimou conta uma história incrível e trágica, inspirada em fatos reais, com aquele talento mastodôntico que já demonstrou tantas vezes. Ler Mais »

O Passado / Le Passé

zzpassado1

Nota: ★★★★

Com O Passado, de 2013, o iraniano Asghar Farhadi confirma ser um dos mais brilhantes, mais talentosos realizadores em atividade. Ler Mais »

Pais e Filhos / Soshite chichi ni naru

zzpais1

Nota: ★★★★

Pais e Filhos, do realizador Hirokazu Koreeda, é uma obra-prima.

Drama familiar adulto, sério, sóbrio, profundo, sensível, trata de questões importantíssimas, fundamentais – com uma maestria de deixar o espectador profundamente tocado pelos personagens, por seu destino, e, ao fim e cabo, admirado, enlevado por tanto talento e tanta sabedoria. Ler Mais »

Uma Garrafa no Mar de Gaza / Une Bouteille à la Mer

zzgarrafa1

Nota: ★★★½

Uma Garrafa no Mar de Gaza, co-produção França-Canadá-Israel de 2011, é uma absoluta maravilha. É belo, esplêndido, nos aspectos formais todos, mas, além disso, é daquelas obras necessárias, daquelas que é preciso haver para que caiamos na desesperada certeza de que a humanidade foi uma invenção que não deu certo. Ler Mais »

O Relutante Fundamentalista / The Reluctant Fundamentalist

zzrelutante1

Nota: ★★★★

É um filme extraordinário, este O Relutante Fundamentalista, uma co-produção EUA-Inglaterra-Qatar que a indiana radicada nos Estados Unidos Mira Nair lançou em 2012. Um filmaço. Daquelas obras que, além de serem excelentes enquanto arte, são também admiráveis, importantes, pelo que falam, pelo seu significado. Ler Mais »

E Agora, Aonde Vamos? / Ou Halla La Weyn? / Et maintenant on va où?

zzonde1

Nota: ★★★½

Nadine Labaki é um espanto, um estupor. Seu segundo filme, E Agora, Aonde Vamos?, é totalmente diferente do primeiro, o excelente Caramelo – e tão brilhante quanto ele. Ler Mais »

Conspiração Xangai / Shanghai

zzxangai1

Nota: ★★½☆

Conspiração Xangai, no original só Shanghai (um nome que fica mais sonoro pronunciado em inglês, Shang-rrai, como o Krig-Ha, Bandolo! do Raul Seixas), é uma gigantesca, cara, produção do cinemão comercial. E cinemão comercial é mais ou menos a mesma coisa, seja qual for o país de origem. Ler Mais »

Lola

zzlola1

Nota: ★★★☆

Durante 110 minutos, Lola carrega o espectador para dentro da mais profunda miséria material que pode haver. A vida da Antonio Ricci, o protagonista de Ladrões de Bicicleta, de Vittorio De Sica, chega a parecer quase um mar de rosas, comparada às de Lola Sepa e Lola Puring, as personagens centrais do filme do diretor filipino Brillante Mendoza. Ler Mais »

Flor de Neve e o Leque Secreto / Snow Flower and the Secret Fan

Nota: ★★½☆

Flor de Neve e o Leque Secreto tem belezas – belezas estranhas. É belo – e estranho – como devem ser belas as manhãs em Mercúrio, ou os entardeceres vistos de uma das luas de Saturno. É um filme tão distante de nós – ou de mim, pelo menos – quanto um planeta qualquer que gire em torno de uma das estrelas mais distantes da nossa galáxia. Ler Mais »

A Separação / Jodaeiye Nader az Simin

Nota: ★★★★

A Separação, do realizador iraniano Asghar Farhadi, é uma obra-prima. Um dos filmes mais extraordinários que vi nos últimos tempos. Ler Mais »

Ó Jerusalém / O Jerusalem

Nota: ★★★☆

Ó Jerusalém é um filme raro, singular. Não tanto por suas qualidades especificamente cinematográficas, mas pelo que diz, e como diz. É uma obra extraordinária por causa das idéias, da postura política. Ler Mais »

Um Herói do Nosso Tempo / Va, vis et deviens

Nota: ★★★☆

Não dá para saber de onde os distribuidores brasileiros tiraram o título Um Herói do Nosso Tempo para o filme que Radu Mihaileanu lançou em 2005, Va, vis et deviens, uma co-produção de França, Israel, Bélgica e Itália. Ler Mais »

O Bebê de Kabul / Kabuli Kid

Nota: ★★½☆

O Bebê de Kabul, primeiro longa-metragem de ficção do documentarista afegão Barmak Akram, feito com ajuda financeira e técnica da França, é uma bem-vinda possibilidade de vermos um pouco da realidade desse país tão miserável, tão sofrido. Ler Mais »

A Missão do Gerente de Recursos Humanos / The Human Resources Manager

Nota: ★★★½

Depois de duas maravilhas, A Noiva Síria, de 2004, e Lemmon Tree, de 2008, o diretor israelense Eran Riklis mantém o nível, a categoria, o talento: A Missão do Gerente de Recursos Humanos, sua obra de 2010, é um grande filme. Mais um grande filme. Ler Mais »

Anatomia do Medo / Ikimono No Kiroku

Nota: ★★★☆

Em Anatomia do Medo, de 1955, o grande Akira Kurosawa faz o espectador refletir sobre as armas que a humanidade construiu e que têm o poder de, simplesmente, aniquilá-la. Ler Mais »