Nunca é Tarde para Amar / I Could Never Be Your Woman


Nota: ★☆☆☆

Anotação em 2008: Comedinha romântica bem bestinha, sobre bela mulher na faixa dos 40 (Michelle Pfeiffer, sempre deslumbrante), produtora de TV em Los Angeles, que se apaixona por ator bem talentoso e bem jovem (Paul Rudd).

A garotinha de nome difícil, Saoirse Ronan, que interpreta a filha de Michelle Pfeiffer, faria no mesmo ano o papel de Briony em Desejo e Reparação/Atonement. É uma grande revelação, um talento absurdo.  

Este deve ser, seguramente, o filme mais descartável de toda a carreira de Michelle Pfeiffer. Ela poderia perfeitamente ter passado sem essa bobagem.

Ela tinha ficado cinco anos sem fazer filmes. Em 2002, tinha feito Deixe-me Viver/White Oleander; aí parou por um tempo. Diz ela que para cuidar dos filhos. Voltou em 2007 em três filmes: este aqui, mais Hairspray, mais Stardust – O Mistério da Estrela/Stardust

Vejo no iMDB informações que podem ajudar a explicar por que o filme não funciona. O personagem de Michelle Pfeiffer tem 40 anos, embora a atriz estivesse com 47; o personagem do ator por quem ela se apaixona tem 29, mas Paul Rudd estava com 36. E Stacey Dash, que faz o papel de uma adolescente no show de TV produzido pela personagem principal, estava com 40 anos. Tudo falso como uma nota paraguaia de 3 guaranis.

Nunca é Tarde para Amar/I Could Never Be Your Woman

De Amy Heckerling, EUA, 2007.

Com Michelle Pfeiffer, Paul Rudd, Saoirse Ronan, Stacey Dash, Archie Panjabi

Argumento e roteiro Amy Heckerling

Produção Scott Rudin. Estreou em São Paulo 14/9/2007.

Cor, 97 min.

*

2 Trackbacks

  1. […] Fiel/The Constant Gardner, de Fernando Meirelles, Um Bom Ano/A Good Year, de Ridley Scott, Nunca é Tarde para Amar/I Could Never Be Your Woman, O Preço da Coragem/The Mighty Heart, de Michael Winterbottom. Por causa de seu rosto moreno de […]

  2. Por 50 Anos de Filmes » Quando nasceram as estrelas em 2 junho 2011 às 8:16 pm

    […] Ronan: Nunca é Tarde Para Amar/I Could Never Be Your Woman (2007); Atos Que Desafiam a Morte/Death Defying Acts (2007); Um Olhar no Paraíso/The Lovely Bones […]

Postar um Comentário

O seu email nunca é publicado ou compartilhado. Os campos obrigatórios estão marcados com um *

*
*