Michael Collins, o Preço da Liberdade / Michael Collins

Nota: ★★★☆

 

O diretor Neil Jordan e o ator Liam Neeson são contemporâneos e conterrâneos. O primeiro nasceu em 1950, em Isligo, e o segundo, em 1952, em Ballymenna, a 190 km da outra cidade. Cada uma delas, no entanto, fica num país diferente. Continue lendo “Michael Collins, o Preço da Liberdade / Michael Collins”

Rebellion

Nota: ★★★☆

Na Semana Santa de 1916, enquanto a Europa estava mergulhada na Primeira Guerra Mundial, a Grande Guerra, uns poucos milhares de irlandeses se armaram e pretenderam se libertar do Império Britânico, proclamar e estabelecer a República da Irlanda.  Continue lendo “Rebellion”

A Estrada da Vida / La Strada

Nota: ★★★★

O cinema adora histórias de trupes mambembes, saltimbancos, artistas de variedades, gente simples, humilde, pobre, não raro feia, andrajosa, que se põe na estrada e vai de cidade em cidade exibindo suas artes, muitas vezes apenas por alguns trocados. Há motivos de sobra para crer que Gelsomina e Zampano são, de toda a imensa galeria de tipos assim que o cinema já nos mostrou, os mais pobres de todos, os mais tristes, os mais sofridos. Continue lendo “A Estrada da Vida / La Strada”

Três Cartazes para um Crime / Three Billboards Outside Ebbing, Missouri

Nota: ★★★★

Duro. Violento. Pesado. Amargo. Brutal. Perturbador. Esses e muitos, muitos outros adjetivos cabem muito bem para definir Três Cartazes Para um Crime – e eles podem e devem ser reforçados com expressões como demais, imensamente, terrivelmente. Continue lendo “Três Cartazes para um Crime / Three Billboards Outside Ebbing, Missouri”

Lola Montès

Nota: ★★★½

Os adjetivos mais ácidos, mais avassaladores – e também os mais babantes, mais superlativos – foram usados para classificar Lola Montès, de 1955, o último filme de Max Ophüls. Fascinante – porque, se existe filme inclassificável, é Lola Montès, exatamente como, se houver realizador inclassificável, é Max Ophüls. Continue lendo “Lola Montès”

Land Girls

Nota: ★★½☆

Land Girls começa com uma tomada que é brilho puro, um show, uma maravilha, talento e cuidado artesanal saindo pelo ladrão. Em uma única tomada, longa, a câmara passeia pela plataforma de uma estação de trem apinhada de gente, no interior da Inglaterra, durante a Segunda Guerra Mundial, dá um giro de 360 graus sobre si mesma, e nos apresenta as três principais personagens da primeira temporada da série. Continue lendo “Land Girls”

Adorável Vagabundo / Meet John Doe

Nota: ★★★½

O cinema de Frank Capra é tão otimista, tão esperançoso, tão believer, de um humanismo tão amplo, tão positivo, tão generoso, que, ao rever Adorável Vagabundo/Meet John Doe agora, nestes nossos tempos tão sórdidos, desesperançados, desalentados, cheguei a achar, por alguns momentos, que o filme era ingênuo, bobinho, tolo. Naïf, como as pinturinhas. Continue lendo “Adorável Vagabundo / Meet John Doe”

Victoria e Abdul: o Confidente da Rainha / Victoria & Abdul

Nota: ★★★½

Há filmes demais sobre os reis e rainhas britânicos. Demais, demais da conta. A culpa, creio, não é do cinema, é da família real. Quem manda que ela tenha tantas histórias maravilhosas, sensacionais, algumas tristes, trágicas, outras divertidas, engraçadas, mas todas sempre fascinantes? Continue lendo “Victoria e Abdul: o Confidente da Rainha / Victoria & Abdul”

O Bosque / La Forêt

Nota: ★★★½

La Forêt, produção francesa de 2017, é tudo o que uma série policial – um thriller, ou polar, como se diz lá – pode pretender ser. A trama é muitíssimo bem engedrada, absorvente, fascinante; os atores, embora desconhecidos internacionalmente, têm interpretações impecáveis, e é tudo bem realizado, em cada aspecto técnico. Continue lendo “O Bosque / La Forêt”