O Tempero da Vida / Politiki Kouzina / A Touch of Spice


Nota: ★★★☆

Anotação em 2008: Belo, sensível, com visual apuradíssimo e música maravilhosa, que gravei e ouço volta e meia com prazer.

 O filme tem óbvios traços autobiográficos: o diretor Tassos Boulmetis nasceu em Istambul, em 1957, e mudou-se para a Grécia em 1964 – a mesma trajetória do personagem central, de família grega que vive na Turquia, de onde é expulsa quando os dois países se enfrentam (se não me engano por causa da questão de Chipre), nos anos 60.

O título original, que dá para entender por causa da obviedade das palavras, Política da Cozinha, ou Cozinha Política, é perfeito – define bem o espírito do filme.

A narrativa usa o tradicionalíssimo esquema abre no presente-corta para longo flashback. O filme abre com o personagem central, Fanis (Georges Corraface), um respeitado astrônomo, vivendo hoje na Grécia, que se prepara para receber a visita do avô, Vassilis (Tassos Bandis). Aí voltamos a 35 anos antes, onde o comerciante Vassilis ensina ao garoto Fanis as afinidades entre especiarias e o universo. Fanis é apaixonado por uma garotinha vizinha, Saime. 

Quando termina o longo flashback – que ocupa a maior parte do filme -, o Fanis adulto volta pela primeira vez a Istambul, onde reencontra Saime (Basak Köklükaya), hoje casada, e revisita o lugar onde na sua infância funcionava a loja do avô. As cenas desses reencontros são esplêndidas – em especial a seqüência, extasiante, em que Fanis, o astrônomo, vê as especiariais voando, formando o universo.

Além do visual primoroso, o filme tem um texto fascinante. Algumas amostras:

  • Os turcos nos mandaram embora por sermos gregos. Os gregos nos receberam como turcos.
  • Meu avô dizia que a palavra gastrônomo contém a palavra astrônomo. Assim, minhas lições de astronomia envolveram o uso de especiarias.
  • Antepastos são parecidos com as histórias que nos falam de sabores de viagens até mundos distantes, e os aromas seduzem seus sentidos e preparam você para aventuras. É por isso que a palavra grega para “retorno” esconde em si própria a palavra “volta”, que esconde a palavra “comida”.
  • Não olhe para trás, Saime. Numa plataforma de estação de trem, se olharmos para trás a imagem permanece como uma promessa.

Foi o primeiro longa-metragem do diretor Tassos Boulmetis, e parece que foi um espetacular sucesso de bilheteria na Grécia. E o simples fato de ser uma co-produção de Grécia e Turquia – dois países permanentemente em conflito, às vezes aberto, às vezes surdo, como se demonstra na própria narrativa – já é uma maravilha.

A compositora Evanthia Reboutsika, nascida em 1958, começou a tocar violino aos seis anos de idade e teve sólida formação musical, em conservatórios de sua cidade, Patras, depois de Atenas e Paris. É autora da trilha de várias séries da TV grega e também de filmes. Exemplos de sua música extraordinária – inclusive o tema final deste filme aqui – podem ser ouvidos no MySpace, no endereço http://profile.myspace.com/index.cfm?fuseaction=user.viewprofile&friendID=175570474. Mestres Teodorakis e Hadjidakis certamente ficariam orgulhosos da conterrânea.

O Tempero da Vida/Politiki Kouzina/A Touch of Spice

De Tassos Boulmetis, Grécia-Turquia, 2003.

Com Georges Corraface, Renia Louzidou, Basak Köklükaya

Argumento e roteiro Tassos Boulmetis

Música Evanthia Reboutsika

Produção Village Roadshow

Cor, 108 min

***

2 Comentários

  1. Postado em 1 maio 2011 às 8:50 pm | Permalink

    Vi hoje. Faz um tempinho que comprei, quando uma locadora aqui perto fechou. Desconhecia de todo, mas o nome me cativou. Gostei especialmente do ator que faz o Fanis (não só porque ele é hiperlindo) e do leve tom humorístico com que a família é tratada.

  2. Ivan
    Postado em 16 setembro 2012 às 1:39 pm | Permalink

    Este filme é simplesmente maravilhoso,lindo demais.Prá variar,assisti online.É um filme de 2003,só se passaram 9 anos e,não encontro
    em nenhuma locadora aqui do bairro.Mas encontro muita porcaria atual.
    Como disseste,Sergio,esses dois países vivem em constantes conflitos e, fazem um cinema desta qualidade, de fato, uma maravilha!
    É um filme para se rever várias vezes.
    OBS- no canal online que assisti, diz que é uma comédia.Certo,tem algumas cenas de muito bom humor,como por exemplo, o Mal de Parkson daquela velhinha simpática, que ía e vinha mas, daí rotular de comédia . . .
    Para mim ,assim como tu, Sergio,é um drama com romance.A fotografia é linda, a trilha sonora muito linda, a música que encerra o filme,então,linda demais!!
    As músicas,as lindas imagens,o romance e,(claro)os tempêros, fazem deste filme,algo lindo demais de se ver.
    A atriz,Basak Köklükaya, que mulher linda!!!
    Isto aqui,é uma opinião minha: não sei se continuaría casado com a Saime;a “sombra” do Fanis,a partir dali,ía estar sempre presente.
    Não sei se vais te lembrar, Sergio, a Saime, não olhou para trás como o Fanis, pediu. Mas,um pouquinho lá na frente, a filhinha dela, olhou. Ficou algo no ar ?
    O Fanis,usava os dotes culinários que tinha, para apimentar a vida dos que o cercavam.
    No final,fiquei com a certeza de que ele esqueceu de colocar um pouco de tempêro na vida dele.
    Só mais uma última coisa sôbre este filme.
    Como não podia deixar de ser,EU ADOREI PROVAR
    DESTE TEMPÊRO !!!!!!!

Postar um Comentário

O seu email nunca é publicado ou compartilhado. Os campos obrigatórios estão marcados com um *

*
*