À Procura de Kitty / Looking for Kitty


Nota: ★★½☆

Anotação em 2008: Edward Burns começou a carreira de diretor e autor contando várias histórias ao mesmo tempo. No filme de estréia, Os Irmãos McMullen, de 1995, e no segundo, Nosso Tipo de Mulher, de 1996, eram as histórias de dois irmãos, de namoradas e/ou mulheres e/ou amantes, da mãe, do pai. Neste À Procura de Kitty, seu sexto filme como diretor-autor, ele enxugou o número de histórias, foi mais econômico, quase minimalista.

Agora, são apenas dois personagens centrais, duas histórias – o investigador particular nova-iorquino Jack Stanton (o papel do próprio Burns) e o treinador de times juvenis de beisebol do interiorzão, Abe Fiannico (David Krumholtz, do seriado Numbers, que está muito bem). Abe está em Nova York e paga ao investigador para localizar sua mulher, Kitty, que, segundo sua primeira versão, desapareceu; em seguida ele vai revelar que na verdade ela saiu de casa há seis meses, já pediu o divórcio e deve estar vivendo com um cantor de rock.

Os outros personagens aparecem quase de passagem, não têm grande importância na história – ao contrário do que acontecia nos primeiros filmes do diretor. Há Marcia, a loura que se muda para o apartamento em frente ao do investigador; há KK, o zelador do prédio, mas é figura secundária, assim como Julie, a moça solitária e meio alcoólatra que o treinador encontra num bar; e há o cantor de rock, Ron Stewart, e Kitty – mas eles vão aparecer bem pouco, e só bem mais para o final do filme.

Me ocorre que Burns, nessa trajetória entre o contar várias histórias e o escolher a concisão, quase o minimalismo, fez o caminho oposto ao de Lelouch. Este partiu do fiapo de história em Um Homem, Uma Mulher para os filmes em que conta diversas histórias que se sobrepõem e interagem umas sobre as outras, como Um Homem e Uma Mulher 20 Anos Depois ou Crimes de Autor.

O personagem central dos filmes de Edward Burbs (sempre interpretado por ele mesmo) mantém algumas características básicas – gosta de perambular por Nova York, tem um misto de amor e ódio pela cidade em que vive, é suavemente rebelde contra o sistema. Mas neste filme ele está bem mais amargo que nos primeiros, mais solitário, mais fechado em si mesmo, acredita menos nas pessoas e na vida. “Não gosto muito das pessoas”, diz ele ao pobre marido abandonado que ainda insiste em tentar reaver a mulher que não quer mais saber dele.

Ao tentar convencer o cliente a desistir de procurar a mulher que optou por outros caminhos na vida, diz, repetindo o bordão americano de sempre, que afinal este é um país livre – mas completa: “Bem, atualmente menos livre do que já foi, com este criminoso ocupando a Casa Branca”. O alter ego de Edward Burns de fato está muito mais amargo, nestes tempos de George W. Bush. 

Apesar dessa amargura, no entanto, Burns mostra que ainda se mantém um believer. Seus personagens centrais, o investigador e seu cliente, duas pessoas solitárias na capital do mundo, afinal aprendem lições que os fazem capazes de se tornarem melhores.

À Procura de Kitty/Looking for Kitty

De Edward Burns, EUA, 2004.

Com Edward Burns, David Krumholtz, Connie Britton

Argumento e roteiro Edward Burns

Cor, 77 min. Teve uma versão com 95 min.

**1/2

Postar um Comentário

O seu email nunca é publicado ou compartilhado. Os campos obrigatórios estão marcados com um *

*
*