Nove Rainhas / Nueve Reinas


Nota: ★★★½

Anotação em 2007, com complemento em 2008: Delícia de filme sobre dois vigaristas agindo em Buenos Aires, um mais esperto que o outro, numa história cheia de surpresas e viradas, à la David Mamet, à la Golpe de Mestre/The Sting.

O novo cinema argentino está com tudo.

O filme começa com Marcos (o papel de Ricardo Darín), um vigarista escoladíssimo, e que se acha o maioral, vendo um rapaz mais novo, Juan (Gastón Pauls), dando um conhecido golpe de troco na caixa de uma loja; em seguida, quando Juan tenta dar o mesmo golpe em outra loja, ele é flagrado, mas consegue fugir. Marcos vai atrás dele, se oferece para ensiná-lo outros truques, outras sacanagens mais rentáveis.

Os dois acabarão envolvidos em um golpe milionário, relacionado com a venda de preciosíssimos selos, as Nove Rainhas do título. Evidentemente, Marcos vai tentar passar a perna em Juan. A questão é que Juan é, ele também, escoladíssimo, sabe de todas as malandragens possíveis e um pouco mais.

O filme é cheio de cenas filmadas nas ruas de Buenos Aires, com extrema habilidade e competência. Parece coisa de um diretor experiente, veterano – e no entanto foi o primeiro longa-metragem dirigido por Fabián Bielinsky, autor também do argumento original e do roteiro. 

Nove Rainhas colecionou nada menos que 21 prêmios em festivais mundo afora.

Nove Rainhas/Nueve Reinas

De Fabián Bielinsky, Argentina, 2000.

Com Ricardo Darín, Gastón Pauls, Letícia Brédice

Argumento e roteiro Fabián Bielinsky

Música Cesar Lerner

Cor, 114 min.

***1/2

6 Comentários