O Inocente / The Innocent


Nota: ★★½☆

Anotação em 2003: Um filme pesado, denso, com seqüências horripilantes, com um clima que lembra o cinema noir. A ação se passa na Alemanha dos anos 50, no auge da guerra fria: Leonard, um jovem oficial inglês (Campbell Scott), especialista em comunicações e vigilância, se apresenta perante um grupo de militares aliados em Berlim, chefiado por um oficial americano, Bob Glass (interpretado pelo galês Anthony Hopkins), cuja missão é instalar uma escuta em um túnel escavado sob a área soviética.

Leonard é bom no que faz, o trabalho com os fios, mas, de resto, é muito jovem, ingênuo, completamente despreparado para a vida, em especial para entender a situação complexa em que aquela ação de espionagem está metida. Bob Glass o leva para conhecer coisas da ex-capital do Reich, então ocupada pelos Exércitos vencedores e dividida ao meio; num dos passeios, em um cabaré, ele conhece Maria, uma bela e misteriosa mulher que tem segredos que Leonard jamais poderia imaginar.

Maria é interpretada por Isabella Rossellini, no auge da beleza, aos 41 anos, tão absolutamente esplendorosa quanto a mãe.

O pobre Leonard vai sofrer miseravelmente nas mãos de Maria. A forma como o jovem casal se vira com o cadáver do ex-marido dela é de uma violência de arrepiar, mesmo depois de décadas de todo tipo de violência explícita no cinema.

No final há um tributo a Casablanca, o filme fetiche que a mãe de Isabella fez quando tinha 27 anos – a decisão sobre várias vidas sendo executada no aeroporto, na hora do adeus.

Um P.S. em 2008: Aqui preciso lembrar, de novo, mais uma vez, que estamos sempre vivendo e aprendendo, wimwenders e aprendenders. Só agora, em 2008, relendo a anotação original que fiz logo depois de ver o filme em 2003, é que reparei que o roteiro é de Ian McEwan, baseado em uma obra dele mesmo. Só vim a saber da existência de Ian McEwan no final de 2007, quando li Na Praia; logo depois foi que li Reparação/Atonement. Ele realmente é um dos escritores mais extraordinários dos últimos tempos. Dá vontade de ir atrás do livro que originou este filme.    

Um P.S. em 2017: O livro de In McEwan é extraordinário. Depois que li o livro, em 2014, escrevi um longo texto sobre ele

O Inocente/The Innocent

De John Schlesinger, Inglaterra-Alemanha, 1993.

Com Campbell Scott, Isabella Rossellini, Anthony Hopkins,

Roteiro Ian McEwan

Baseado em seu livro

Cor, 118 min

5 Trackbacks

  1. […] de variadas formas. Pode-se mostrar isso como um imenso, amargo drama – como, por exemplo, John Schlesinger fez em Perdidos na Noite/Midnight Cowboy, o caipirão chegando a Nova York achando que vai se dar […]

  2. […] este Domingo Maldito/Sunday, Bloody Sunday, tido como o mais pessoal da carreira do diretor inglês John Schlesinger […]

  3. […] O Inocente, o filme, em 2003, na TV a cabo, conforme mostram minhas anotações. Embora fosse um sujeito que, como Ian […]

  4. Por 50 Anos de Textos » O cinema e o Muro em 8 novembro 2014 às 11:43 pm

    […] O Inocente/The Innocent, de John Schlesinger (1993), […]

  5. Por 50 Anos de Filmes » Grande Bolada / Arme Riddere em 1 março 2017 às 4:35 pm

    […] em Fargo (1996), dos irmãos Coen. No livro O Inocente, de Ian McEwan, que deu origem ao filme O Inocente (1993) de John Schlesinger, com Campbell Scott, Isabella Rossellini no auge da beleza, tão […]

Postar um Comentário

O seu email nunca é publicado ou compartilhado. Os campos obrigatórios estão marcados com um *

*
*