Syriana


Nota: ★★★☆

 Anotação em 2006, com complemento em 2008: Há filmes que abordam tão bem um determinado assunto, vão tão fundo nele, que são definitivos. Depois deles, a rigor o cinema não precisaria voltar àquele tema. Este aqui é um deles.  

Este filme está para a indústria petrolífera assim como O Senhor das Armas/Lord of War está para a indústria armamentista, assim como Traffic está para o tráfico de drogas, assim como Boa Noite, e Boa Sorte está para a questão do macartismo na TV, assim como Crash está para a questão da violência e do racismo nas grandes cidades americanas, assim como Munique está para o terrorismo patrocinado pelo Estado, assim como Babel está para os grandes problemas que afligem a humanidade na era da globalização.

Não é, no entanto, e nem pretende ser, um filme simples, fácil. Muito ao contrário. Ele é necessariamente complexo, intrincado, como o tema que aborda, e precisa de revisões para ser melhor compreendido.

Foi o segundo filme dirigido por Stephen Gaghan, que, no entanto, já havia ganho o Oscar de roteiro adaptado exatamente por Traffic, de Steven Soderbergh, que eu citei acima. Este filme aqui também foi indicado ao Oscar de roteiro, também escrito por Gaghan, e George Clooney levou a estatueta como melhor ator coadjuvante.   

Como sintetiza o AllMovie, o filme acompanha a corrupção da indústria do petróleo desde as salas de Washington até os campos do Oriente Médio. Baseado parcialmente nos textos de um ex-agente da CIA, Robert Baer, Syriana combina múltiplas histórias para explorar as complexidades existentes por trás de uma iminente fusão entre duas gigantescas empresas de petróleo americanas.

Syriana

De Stephen Gaghan, EUA, 2005.

Com George Clooney, Christopher Plummer, Chris Cooper, Matt Damon, Amanda Peet, Jeffrey Wright, Tim Blake Nelson

Roteiro Stephen Gaghan

Baseado em livro de Robert Baer

Música Rachel Portman

Cor, 126 min.

2 Comentários para “Syriana”

Comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.