A Sombra da Dúvida / L’Ombre du Doute


Nota: ★★★☆

Anotação em 1996: Uma surpresa. Primeiro filme que vejo dessa cineasta francesa nascida em 1948, que estreou na direção em 1982. O tema pesadíssimo – uma filha de 11 anos que acusa o pai de molestá-la sexualmente, na região de Bordeaux, nos dias de hoje, em plena classe média – é enfrentado como se ela estivesse fazendo um documentário. Uma das coisas que tornam o filme especial é a direção de atores, brilhantíssima, e o próprio casting. A garota Sandrine Blancke é impressionantemente boa. Josiane Balasko faz correta participação especial, e Emmanuelle Riva, a diva de Hiroshima, está bem velhinha.

Evidentemente, o Cinemania não tem uma linha sobre o filme nem sobre a diretora, que mereceu verbete, tendo apenas o filme de estréia, no Dictionaire du Cinéma de Jean Tulard. Copiei do CD-ROM Le Cinéma Française, que Marynha trouxe para mim de Paris este mês, a sinopse, bem detalhada, na qual fiz uns adendos:

“Alexandrine tem 11 anos. Vive em uma família agradável e feliz. Pouco a pouco (na verdade, é meio de cara), percebemos que ela é anoréxica, que seus resultados escolares são deploráveis e ela é praticamente muda (na verdade, ela fala pouco, especialmente com estranhos, mas fala). Essa garota urra em silêncio, a sombra aterradora entra em seu quarto à noite. Ela é apavorada pelo horror: o incesto. A sua mãe, seus amigos, seus avós não querem saber de nada. É evidente que essa menina inventa coisas! Tudo será posto em questão, sua vida vai desabar. Seu professor de francês a encoraja a apresentar queixa. Mas ela não consegue ir até o fim e abandona o combate titânico. E então a Justiça dá seus passos para fazer aparecer o horrível segredo.”

          Um acréscimo em 2010:

Diz o Guide de Films editado por Jean Tulard: “O incesto é um grave e revoltante problema raramente levado às telas, e que Aline Issermann ousa aqui abordar com toda a franqueza, mas também com bastante discrição. Aquilo que poderia ter dado lugar a cenas de tribunal (ver André Cayatte, por exemplo), é aqui apagado para o bem de uma realização simples, sóbria, eficaz, às vezes lírica. A realizadora não condena: ela fica indignada e tenta compreender, de apreender uma realidade que nos recusamos a aceitar. Se a mãe esconde o rosto, o pai não é senão um ser infeliz, ferido, tão vítima quanto culpado. Quanto a Alexandrine, a criança ferida, ela é lancinante por seus pudores, suas dores, seus silêncios. E Sandrine Blancke, que a interpreta, é notável.”

O guia de Tulard tem toda razão: incesto, abuso sexual, violência doméstica são temas importantíssimos que deveriam ser mais abordados pelo cinema. Mas, felizmente, já têm sido feitos bons, ótimos filmes sobre essas questões. Tempos atrás, criei aqui neste site uma tag que os reúne.

Um desabafo, uma explicação, um choque

A cada dia surgem novas surpresas com essa coisa de a gente botar textos na internet.

Vi este filme de Aline Issermann em 1996, em vídeo, o velho VHS. Anotei um único parágrafo sobre ele, e complementei a anotação copiando uma sinopse longa de um CD-ROM francês. Quando, em julho de 2008, criei este site, e passei a colocar minhas anotações nele, julguei que tinha algo publicável a respeito do filme, um texto, embora pequeno, que merecia ser um post. Porque há aqui anotações longas, outras bem mais curtas – achei que dava para botar no ar os poucos parágrafos acima, e botei.

 Agora, maio de 2010, recebo duas mensagens praticamente idênticas: “Gostaria de ter um resume do filme A sombra da duvida, para estudo”, e “Gostaria de ter um resumo do file”A sombra da Dúvida- é materia para estudo”.

Nem vou comentar os erros de digitação dessas mensagens. Não é o caso – embora seja lastimável ver que estudantes não se dão ao mínimo cuidado de reler o que escrevem.

Aí pensei: ué, mas o que eu tinha a falar sobre o filme, falei – ou não? Fui lá ver o post – e verifiquei que o resumo, ou resume, que publiquei estava em francês.

Bem. Não tenho condições de escrever mais sobre o filme que vi 14 anos atrás – teria que revê-lo, é claro. Mas, como duas estudantes estão procurando um resumo/resume da história, achei que poderia cooperar um pouco, traduzindo a sinopse do CD-ROM Le Cinéma Française. Na tentativa de ajudar, traduzi também a avaliação feita no Guide des Films de Jean Tulard.

Mas fico chocado com o, digamos, comodismo dos estudantes. Algum professor em algum lugar do Brasil sugeriu que seus alunos vissem um filme importante sobre um tema importantíssimo, o incesto, o abuso sexual dentro da família. Aí neguinho vai ao Google e espera encontrar lá tudo de que precisa para juntar numas linhas e entregar para o professor. Quando encontra um site que fala do tema em questão, manda e-mail, pedindo que alguém do lado de lá conte para ele tudo o que deve escrever no trabalho de escola. E quase dá ordem: “é matéria para estudo”! Tipo assim: cê tem que me quebrar esse galho porque é coisa séria, é para a escola, não é uma brincadeira minha.

Raciocinar um pouco, nada, nem pensar. Aliás, o que significa mesmo a expressão “pensar”?

Credo em cruz. O que será deste país, com esse tipo de educação que estamos está dando a jovens cada vez mais preguiçosos, indolentes? O que será deles na vida?

A Sombra da Dúvida/L’ Ombre du Doute

De Aline Issermann, França, 1993

Com Mireille Perrier (Marie), Alain Bashung (Jean), Sandrine Blancke (Alexandrine), Emmanuelle Riva (Grand-mère) ,Michel Aumont (Grand-père), Luis Issermann (Pierre), Roland Bertin (Juge d’instruction), Josiane Balasko (Sophia), Dominique Lavanant (Gabrielle), Thierry Lhermitte (Baptiste), Jean-Pierre Sentier (Maître Toussaint), Eric Franklin (Inspecteur). Simon de La Brosse (inspecteur)

Roteiro Aline Issermann, Martine Fadier-Nisse, Frédéric Gruyer

Fotografia Darius Khondji

Música Reno Isaac

Cor, 106 min

5 Comentários para “A Sombra da Dúvida / L’Ombre du Doute”

  1. Coordeno um projeto social e educativo e gostaria de trabalhar este filme com os meus educadores, mas não estou encontrando gostaria que alguém me ajudasse me indicasse onde encontra-lo.O filme é excelente e aborda um tema que a cada dia esta mais frequente, ou melhor esta a cada dia sendo desvelado.

  2. Cara Leonita,
    Infelizmente, não sei como ajudar você. Eu vi o filme A Sombra da Dúvida em VHS, em 1996. O vídeo foi na época lançada pela PlayArte. Talvez você possa ver com eles se eles teriam uma cópia.
    Fiz uma pesquisa no site da locadora que eu frequento, a 2001, e ela não tem o DVD. É possível que não tenha saído em DVD no Brasil. Consultei também o site da Fnac francesa, e lá não consta o DVD.
    Outra sugestão seria você entrar em contato com a Aliança Francesa; eventualmente eles poderiam indicar algum caminho para que você encontre o filme.
    Boa sorte!
    Sérgio Vaz

  3. Tb fico boba com a atitude desses estudantes: têm preguiça de ler, de pensar, de ver um filme! O que será do país e o que será de nós? Talvez serão presidentes do Brasil, senadores, deputados, vereadores… vide o horário eleitoral, onde a maioria fala errado, se expressa pessimamente, e se formos fazer um teste mal sabem fazer o “o” com o copo. Estudar pra quê, não é mesmo?

Comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.