As Duas Vidas de Audrey Rose / Audrey Rose


Nota: ★★½☆

Anotação em 2008: Este filme dirigido pelo veterano Robert Wise  defende, com toda a seriedade, a tese da reencarnação. Achei isso corajoso, interessante.

Anthony Hopkins faz um sujeito rico e estudado que tenta convencer um casal (Marsha Mason e John Beck), em plena Nova York, capital do mundo, de que a filha deles é a reencarnação da sua própria filha, Audrey Rose, que morreu queimada em um acidente de carro.

Aparentemente, pouca gente levou o filme a sério, apesar do peso do nome de Wise, vencedor de quatro Oscars, diretor de A Noviça Rebelde/The Sound of Music, um dos maiores sucessos de bilheteria de todos os tempos, e do extraordinário Amor, Sublime Amor/West Side Story, para citar apenas duas obras de sua vasta filmografia – que inclui o trabalho de montagem de Cidadão Kane/Citizen Kane.

O livro The United Artists Story diz que o filme é “uma história improvável de reencarnação”, e que ele próprio é uma reencarnação de O Exorcista/The Exorcist. Leonard Maltin o define como “um thriller de reencarnação longo demais e com atuações ruins”.

Já o AllMovie, numa crítica assinada por Craig Butler, dá importância ao filme. “Audrey Rose, parte do ciclo de filmes de terror dos anos 1970 causado pelo enorme sucesso de O Exorcista, é um exemplo mais inteligente, cheio de nuances, do gênero – o que é ao mesmo tempo sua bênção e sua maldição. Robert Wise o dirigiu numa maneira relativamente suavizada, mas ainda assim tem diversos momentos apavorantes. Trabalhando sobre um roteiro muito palavroso – e que tenta discutir racionalmente o conceito de reencarnação ao mesmo tempo em que mantém uma atmosfera de horror -, Wise inteligentemente faz das palavras uma vantagem. Mantém o foco no diálogo – ou, muitas vezes, monólogo -, enquanto sutilmente dá grande ênfase aos movimentos para criar tensão ou suspense. Wise também dá ao filme um estilo visual, e a cena do homem de neve na escola é particularmente bem feita. Ele é ajudado pela atuação intensa, cheia de dor, de Anthony Hopkins, e pela mudança impressionante por que passa Susan Swift no papel título. Ao fim e ao cabo, as pretensões do roteiro impedem que ele seja um thriller de primeira linha, mas ainda assim é uma alternativa decente a outros thrillers mais conhecidos.”

Outros filmes de Robert Wise no site:

O Enigma de Andrômeda/The Andromeda Strain;

Quero Viver!/I Want to Live!;

Cidade Cativa/Captive City;

Homens em Fúria/Odds Against Tomorrow.

 As Duas Vidas de Audrey Rose/Audrey Rose

De Robert Wise, EUA, 1977.

Com Anthony Hopkins, Marsha Mason, John Beck, Susan Swift

Roteiro Frank de Felitta, baseado em sua novela

Produção United Artists

Cor, 113 min

**1/2

5 Comentários