1408


Nota: ★½☆☆

Anotação em 2008: Este filme de terror baseado em história de Stephen King parte de uma premissa boa, mas da metade para frente o diretor sueco Mikael Hafström exagera demais na tentativa de assustar o espectador e acaba ficando chato.

John Cusak faz o papel de Mike Enslin, um jornalista e escritor especializado em ir a lugares tidos como assombrados e desmascará-los, mostrando que não há nada de esquisito ali. Mike simplesmente não acredita na existência de assombrações e nada paranormal ou sobrenatural; é um absoluto cético. Quando a ação começa, ele está trabalhando no projeto de um livro chamado Dez Noites em Hotéis Assombrados. Visita hotéis que se dizem assombrados para atrair freguesia – tem louco pra tudo, certo? – e tudo o que consegue é sair de lá com ar de tédio, enfado.

A experiência seguinte dele será se hospedar no quarto 1408 do Dolphin Hotel, em Manhattan, onde dezenas de pessoas já se mataram.

 Samuel L. Jackson faz o gerente do hotel, que tenta de todas as maneiras impedir que Mike de fato passe uma noite lá. Usa todo tipo de argumentação possível, mas nosso cético herói não quer nem saber. Tranca-se no quarto – e aí terá que enfrentar todos os tipos de pavor possíveis e imagináveis.

 Os roteiristas Scott Alexander e Larry Karaszewski trabalharam com o grande Milos Forman em O Mundo de Andy/Man on the Moon, de 1996, e O Povo Contra Larry Flynt/The People Vs. Larry Flynt, de 1996, e levaram o Globo de Ouro de melhor roteiro pelo segundo deles.

 O diretor Mikael Hafström tinha feito antes deste um bom thriller, Fora de Rumo/Derailed, sua estréia no cinema americano. Neste seu segundo filme lá, quis seguir as linhas mestras da indústria à caça de bilheteria – e derrapou, saiu dos trilhos.

1408

De Mikael Hafström, EUA, 2007.

Com John Cusak, Samuel L. Jackson, Mary McCormack, Tony Shalhoub

Roteiro Matt Greenberg, Scott Alexander e Larry Karaszewski

Música Gabriel Yared

Baseado em conto de Stephen King

Cor, 94 min.

Produção Dimension Films. Estreou em São Paulo 2/11/2007.

*1/2

3 Comentários

  1. Danilo vicente
    Postado em 18 setembro 2009 às 12:50 am | Permalink

    Bem fraco. A história nao se segura. Previsível. Se estiver passando na TV… mudo de canal.

  2. Jussara
    Postado em 11 janeiro 2010 às 5:53 pm | Permalink

    Fraco mesmo, tão fraco que até cochilei no final, rsrs. Vi no cinema com um primo (já notei que só vejo filmes ruins no cinema quando estou com meus primos).

  3. José Luís
    Postado em 19 maio 2011 às 7:13 pm | Permalink

    Eu vi esse filme e fiquei assustado foi de ser tão mau.
    Com bons actores e tudo.
    Não sabia que era uma história de Stephen King, eu até gosto de muitas das suas obras e até tenho aqui ao lado na estante, mas às vezes escorrega e muito, é cada trambolhão!

3 Trackbacks

  1. Por 50 Anos de Filmes » Ensinando a Viver / Martian Child em 10 fevereiro 2010 às 11:11 pm

    […] John Cusak, esse bom ator que trabalha demais, faz o papel de David Gordon, um bem sucedido escritor de histórias de ficção científica para adolescentes que perde a mulher e resolve adotar um garoto de uns 6, 7 anos, Dennis (Bobby Coleman). O garoto tem a absoluta certeza de que veio de Marte. […]

  2. […] Fragata mostra no próprio filme que gosta de Philip K. Dick e de Stephen King. Este Pequenos Milagres é um ficção-fantasia, com um pé no sobrenatural, como os contos e […]

  3. […] até uma participação especial de Stephen King, o grande autor de tantos best-sellers, fazendo a voz dele mesmo em uma sequência deliciosa, […]

Postar um Comentário

O seu email nunca é publicado ou compartilhado. Os campos obrigatórios estão marcados com um *

*
*