O Motim / The Rising: Ballad of Mangal Pandey


Nota: ★★★☆

Anotação em 2007, com complemento em 2008: Um épico indiano sobre episódio real ocorrido no século XIX. É uma superprodução de deixar babando de inveja o Cecil B.de Mille.

O episódio foi uma revolta, em 1857, contra os colonizadores ingleses, da qual fez parte o personagem do título original, Mangal Pandey (Aamir Khan), um soldado a serviço da Companhia da Índia Oriental – uma das empresas britânicas mais poderosas a operar na colônia, tão poderosa que tinha a sua própria milícia, supervisionada pelo exército de Sua Majestade. Mangal Pandey viraria um herói indiano, um proto-mártir da independência indiana, algo assim como um Tiradentes na história do Brasil. A revolta teve o apoio de um oficial britânico (Toby Stephens), amigo e parceiro de Mangal Pandey.

O filme tem belíssimos planos gerais, uma multidão de figurantes de fazer justiça ao absurdo tamanho da população indiana, ótimas seqüência de música e dança de deixar babando de inveja o Gene Kelly e duas atrizes (Rani Mukherjee e Amisha Patel) de beleza extraordinária, exuberante, gostosas como Sonia Braga no auge do auge do auge.

 Um leitor do iMDB, muito provavelmente indiano, que se assina Hanharan, termina assim sua longa e superlativa resenha: “O filme conta uma história de amigos, amantes e inimigos, exploradores e explorados, e o crescimento e a consciência de um homem e uma nação. É a história de um homem e seu sonho de liberdade. Este épico é baseado em acontecimentos históricos reais, vistos como um gatilho para a independência da Índia”.

 Hurra!

É isso aí que ele falou. E é também a) um exemplo do luxo de que é capaz o cinema da Índia, o país que mais produz filmes em todo o mundo; e b) um exemplo de como é uma pena a gente ter tão pouco acesso a essa cinematografia.

O Motim/The Rising: Ballad of Mangal Pandey

De Ketan Mehta, Índia, 2005.

Com Aamir Khan, Toby Stephens, Amisha Patel, Rani Mukherjee

Roteiro Farrukh Dhondy

Música A.R. Rhaman, canções Javed Akhtar

Produção Kaleidoscope Entertainment

Cor, 150 min.

11 Comentários