Fuga Proibida / Hidden Agenda


Nota: ★★☆☆

Anotação em 1998: Thriller de espionagem com trama complexa que inclui alguns furos e alguns absurdos, mas tem certo valor pelo clima de Berlim pós-derrubada do Muro, dois países voltando a ser um só depois de meio século de separação, o mundo sendo revisto e modificado, enquanto as feridas do passado teimam em doer. Continue lendo “Fuga Proibida / Hidden Agenda”

Festa de Família / Festen


Nota: ★★☆☆

 Anotação em 1998: Sim, é um filme importante. Sem dúvida. Segue o tal do Dogma 95 – um manifesto dinamarquês radical, com acho que dez mandamentos absolutamente rígidos contra o cinema comercial que se faz no mundo inteiro. Não se pode usar luz que não seja natural, não se pode usar música, todo o som tem que ser direto, não se permite nenhum efeito especial ou cenário artificial, a câmara tem que ser sempre de mão ou no ombro, o filme tem que ser sempre 18mm, um bando de coisas nesse gênero. Continue lendo “Festa de Família / Festen”

August – Outono de Paixões / August


Nota: ★★☆☆

Anotação em 1997: O filme de estréia do grande ator Anthony Hopkins na direção é todo meticulosamente bem feito. Interpretações corretíssimas de todo o elenco. Música, do próprio Hopkins, com dedo de George Fenton, muito boa (há interessantes trechos humorísticos, feitos para sublinhar a falta de sentido das discussões da família de posses e de pouco caráter). Continue lendo “August – Outono de Paixões / August”

Particularidades do Casamento / Married to It


Nota: ★★☆☆

Anotação em 1997: O filme é tão cheio de boas intenções quanto o cemitério. A primeira proposta já é boa: um filme sobre relações afetivas, casamentos, relações dos casais, relações entre casais amigos de diferentes situações financeiras. Com alguma discussão sobre o que restou dos nossos sonhos da juventude agora que somos maduros e nossas vontades, menos fortes. Passando por alguma discussão sobre criação de filhos, e a convivência da segunda mulher com a filha do primeiro casamento do marido. Continue lendo “Particularidades do Casamento / Married to It”

Shine – Brilhante / Shine


Nota: ★★☆☆

Anotação em 1997: Teve 7 indicações para o Oscar, e 5 para o Globo de Ouro. Geoffrey Rush levou o Oscar e o Globo de Ouro como melhor ator. Não acho que o filme seja pra tudo isso. Às vezes o diretor do filme dá a impressão de que não está espantado com aquilo que está mostrando – a música como objeto de concurso, de premiação, de campeonato, de disputa, de concorrência, como se fosse normal disputar quem toca melhor em estádio. Só faltam as cheer-leaders. Continue lendo “Shine – Brilhante / Shine”

Festa de Casamento / The Wedding Party


Nota: ★★☆☆

Anotação em 1997: Os guias americanos metem o pau neste filme da pré-história de Brian De Palma. Leonard Maltin, por exemplo, diz que o filme é palavroso, piegas, chato, e só tem interesse pela participação de Brian De Palma, e o surgimento, nos créditos, de Jill Clayburgh e De Niro (que aparece como “DeNero”). Continue lendo “Festa de Casamento / The Wedding Party”

A Mulher Infiel / La Femme Infidèle


Nota: ★★★☆

Anotação em 1996: Claude Chabrol insiste, como vários de seus contemporâneos, em mostrar as vilanias da burguesia. Pega aqui uma família de posses (cuja origem do dinheiro nunca é mostrada), que mora numa bela propriedade num subúrbio de Paris, garoto de uns dez anos pouco delineado, mulher jovem, bonita e sensual (Stéphane Audran), marido (Michel Bouquet) mais velho, educado, polido, frio e nunca interessado em carinho ou sexo. Continue lendo “A Mulher Infiel / La Femme Infidèle”

A Guerra de um Homem Só / One Man’s War


Nota: ★★☆☆

Anotação em 1995, com complemento em 2008: Este filme é bem um exemplo de que o inferno está de fato cheio de boas intenções. Os gringos querem mostrar um saudável exemplo da luta contra uma ditadura de direita lá no cu do quinto mundo. (Trata-se especificamente do Paraguai; nada de disfarces do tipo “algum país da América do Sul”; tudo explícito, com nome do Stroessner, com aviso de cara que é história real.) Continue lendo “A Guerra de um Homem Só / One Man’s War”

O Sangue de Romeu / Romeo is Bleeding


Nota: ★★☆☆

Anotação em 1995: Quase um bom filme. Excelentes interpretações de ótimo elenco (é muito nome bom junto), música, de Mark Isham, muito competente. Em várias cenas, esse Peter Medak, um diretor nascido na Hungria e que passou pela Inglaterra, cria um clima quase tão opressivo e sufocante quanto o de Coração Satânico, de Alan Parker. Continue lendo “O Sangue de Romeu / Romeo is Bleeding”

Atraída pelo Perigo / Catchfire ou Backtrack


Nota: ★★☆☆

Anotação em 1995: Um filme muito estranho, e ao mesmo tempo bastante previsível. Daquele tipo de filme que se candidata desde o início a virar cult – tem todos os trejeitos, todas as manhãs, todos os truquezinhos para virar cult. Só que quem decide o que vira cult não é o diretor, é o público e a porra da crítica. Esse, por exemplo, não virou. Continue lendo “Atraída pelo Perigo / Catchfire ou Backtrack”