Um Homem Fora de Série / The Natural


Nota: ★★☆☆

Anotação em 2007, com complemento em 2008: Apesar de todos os nomões envolvidos – o bom diretor Barry Levinson, o elenco maravilhoso com Robert Redford, Glenn Close, Kim Basinger, Barbara Hershey, Robert Duval, com Randy Newman na trilha sonora e Bernard Malamud como o autor da história -, este filme é uma decepção.

Só fui ver em 2007 este filme de 1984; a trilha sonora eu já conhecia bem: tenho o disco, comprado na época em que fui atrás de tudo o que era possível de Randy Newman, sobrinho do mestre Alfred Newman e primo de Thomas Newman, autor de belíssimas, amarguradas canções, e ótimas trilhas sonoras, como a de Na Época do Ragtime/Ragtime.

Redford faz um jogador de beisebol talentosíssimo, nos anos 30 da Grande Depressão. Acontece uma tragédia em sua vida – que o filme faz questão de não explicar direito -, e ele perde sua época; quando tenta voltar a jogar, já está velho para o esporte. Mesmo assim, consegue dar uma temporada de glória ao time que o acolhe.  

Teve quatro indicações ao Oscar: atriz coadjuvante para Glenn Close, trilha sonora para Randy Newman, fotografia para Caleb Deschanel e direção de arte para várias pessoas.  

 Mas todo mundo meteu o pau. Leonard Maltin deu 2.5 estrelas em quadro e resumiu: “Alguns momentos efetivos, com um ótimo elenco, mas longo demais e inconsistente. O melhor de tudo: a trilha sonora de Randy Newman”.

Pauline Kael reclama de tudo, diz que é uma “fantasia edificante” e que Redford “é fotografado parecendo um deus cauteloso e modesto, com bastante iluminação por trás e foco atenuado para torná-lo incandescente mesmo quando não está fazendo nada. (…) E espera-se que fiquemos ali sentados embasbacados ao vê-lo levantar a perna”.

Roger Ebert dá 2 estrelas em quatro, e desce a lenha – até ele, que gosta de ver filmes, não os vê por obrigação, de mau humor e saco cheio, como tantos críticos. “Por que eles não fizeram um filme sobre beisebol? Por que The Natural tinha que virar uma idolatria de Robert Redord? Por que uma história perfeitamente boa, cheia de gente interessante, teve que virar a ascensão de um homem à divindidade, especialmente quando nenhum esforço é feito para dar um sentido a essa ascensão?”

Para depois concluir: “Quanto ao beisebol, o filme não é sequer sutil. Quando um time está perdendo, comete erros dos times de terceira divisão. Quando está ganhando, as batidas são tão perfeitas que até quebram as janelas do sujeito ruim. Não há um segundo de estratégia real de beisebol no filme inteiro. A mensagem é: Beisebol é pura e simplesmente uma questão de intervenção divina”.    

Cacilda! O Ebert não deixa pedra sobre pedra. Eu não achei tão ruim assim.

Um Homem Fora de Série/The Natural

De Barry Levinson, EUA, 1984.

Com Robert Redford, Glenn Close, Kim Basinger, Barbara Hershey, Robert Duvall

Roteiro Roger Towne e Phil Dusenberry

Baseado em novela de Bernard Malamud

Fotografia Caleb Deschanel

Música Randy Newman

Cor, 134 min.

**

2 Comentários para “Um Homem Fora de Série / The Natural”

Comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *