Quando o Striptease Começou / The Night They Raided Minsky’s


Nota: ★★★☆

Anotação em 2004, com complemento em 2008: Este filme um tanto obscuro, nada badalado, é uma delícia. Conta a história de uma inocente garota amish (Britt Ekland) – aquela comunidade religiosa cristã ortodoxa que se recusa a aceitar todos os tipos de modernidade – que vai para Nova York à procura de um emprego como bailarina em histórias religiosas, nos anos 20, e acaba se envolvendo com pessoal do teatro burlesco. Ali, onde, como bem nota a resenha do AllMovie, a única coisa levemente relacionada com a Bíblia é a sensual dança dos sete véus de Salomé, ela conhece um bando de figuras malucas, excêntricas, engraçadíssimas, interpretadas por um bando de ótimos atores – e acaba, sem saber, sem querer, inventando o striptease.  

Me pareceu um filme bem recente, tamanhos o despudor, a tranqüilidade, a naturalidade com que trata desses temas. Assim que terminei de ver e vim fazer esta anotação, vi que ele é de 1968. Tem sentido: era a época em que o cinema refletia a revolução dos costumes, da liberdade sexual. E era també a época em que o diretor William Friedkin estava começando, cheio de gás e talento – três anos depois, em 1971, faria Operação França, e, em 1973, O Exorcista.

O iMDB informa que a primeira versão do filme foi considerada desastrosa por todos os envolvidos. “O montador Ralph Rosemblum trabalho no material durante mais de um ano para salvá-lo, muito tempo depois de o diretor William Friedkin ter deixado o projeto. O uso extensivo de clips de filmes da época foi uma idéia de Rosenblum. A técnica de voltar desses clipes para o filme, começando com uma versão preto-e-branco da tomada e mudando para cor foi inventada acidentalmente quando o assistente do montador não conseguiu encontrar uma versão e cores de um pedaço do filme.”  

Que seja. De qualquer forma, é um filme para ver de novo e curtir muito.

Quando o Striptease Começou/The Night They Raided Minsky’s

De William Friedkin, EUA, 1968

Com Jason Robards, Jr, Britt Ekland, Denholm Elliott, Elliott Gould

Roteiro Norman Lear, Sidney Michaels e Arnold Schulman

Baseado no livro homônimo de Rowland Barber

Música Charles Strouse

Cor, 99 min.

Comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *