Que Estranho Chamar-se Federico / Che Strano Chiamarse Federico

Nota: ★★★★

Ettore Scola era um garoto de 9 anos de idade quando viu pela primeira vez o nome Federico Fellini. Seu avó era cego, e então pedia para o garoto ler para ele as histórias da Marc’Antonio, uma revista semanal humorística, satírica, publicada em Roma. Leu uma piada para o avó, e disse o nome do autor, Federico Fellini. Atento, observador, o velho comentou que aquele redator era novo na revista. Continue lendo “Que Estranho Chamar-se Federico / Che Strano Chiamarse Federico”

Santa Joana / Saint Joan

Nota: ★★★☆

A vida de Joana D’Arc inspirou diversos filmes, e não é de se espantar, já que é uma vida em tudo por tudo absolutamente fascinante, das mais fascinantes histórias da História. Cecil B. DeMille fez Joana D’Arc – A Donzela de Orleans em 1916 – quatro anos antes de o papa Benedito XV a canonizar. Continue lendo “Santa Joana / Saint Joan”

Grande Bolada / Arme Riddere

Nota: ★★½☆

O cinema ainda não descobriu direito o imenso potencial dos livros do escritor norueguês Jo Nesbø. Este Arme Riddere aqui, co-produção Noruega-Suécia de 2011, exibido na TV a cabo brasileira como Grande Bolada, foi apenas o segundo filme baseado em história de Nesbø; neste segundo semestre de 2016, os americanos já começavam a produzir uma refilmagem, com o mesmo título do filme original no mercado de língua inglesa, Jackpot. Continue lendo “Grande Bolada / Arme Riddere”

O Homem Errado / The Wrong Man

zzwrong1

Nota: ★★★★

O Homem Errado (1956) é um dos filmes mais sérios, pesados, densos e realistas de todos os do mestre Alfred Hitchcock – ao lado de Lifeboat, no Brasil Um Barco e Nove Destinos. É também, seguramente (isso é um pequeno detalhe, mas é interessante), o filme de Hitch com o maior número de palavras escritas na tela. Continue lendo “O Homem Errado / The Wrong Man”

Beijos Proibidos / Baisers Volés

zzbeijos1

Nota: ★★★★

No final de Antoine et Colette, de 1962, o segundo volume de suas aventuras, Antoine Doinel está com 18 anos, vive sozinho e trabalha na fábrica de discos da Philips. Quando começa este Baisers Volés, de 1968, haviam-se passado, portanto, seis anos, Antoine está com 24, e há nada menos de três anos serve como soldado raso no exército francês. Continue lendo “Beijos Proibidos / Baisers Volés”

Álbum de Família / August: Osage County

zzaugust1

Nota: ★★★☆

Dos Estados Unidos já saíram dezenas e dezenas de comédias sobre famílias com problemas, famílias disfuncionais. Talvez até centenas, milhares –muitas delas com razoáveis pitadas dramáticas, várias delas bons filmes. Mas dramas familiares tão absolutamente pesados, tão amargos, tão desesperançados como este Álbum de Família, ao contrário, não são tão comuns assim. Continue lendo “Álbum de Família / August: Osage County”

Estranhos Normais / Happy Family

zzhappy1

Nota: ★★★☆

Estranhos Normais, de Gabriele Salvatores, começa de forma brilhante, estupidamente brilhante. É um início tão sensacional que faz a gente esperar algo como O Fabuloso Destino de Amélie Poulain, (500) Dias com Ela, Medianeras – filmes inteligentes, que soltam faísca de tanto brilho, tanta idéia, tanta criatividade. Continue lendo “Estranhos Normais / Happy Family”

O Pecado de Hadewijch / Hadewijch

zzhade1

Nota: ★☆☆☆

É possível que o diretor Bruno Dumont tenha querido mostrar, em O Pecado de Hadewijch, que todo e qualquer fanatismo religioso é, em si mesmo, um perigo. E que os fanatismos todos a rigor se aproximam. Céline, a protagonista do filme, passa de um cristianismo exagerado, lunático, fanático, ao terrorismo muçulmano. Do abnegadérrimo amor a Cristo à jihad sangrenta dos muçulmanos fanáticos. Continue lendo “O Pecado de Hadewijch / Hadewijch”