Elisa & Marcela / Elisa y Marcela

Nota: ★★★☆

Elisa & Marcela (2019) é um filme que se dedica com imenso empenho a demonstrar como é extremamente belo o amor de duas pessoas – e como pode ser estupidamente forte, violento, virulento, agressivo o preconceito de parte da sociedade contra aquilo que não entende, não admite, não aprova. Continue lendo “Elisa & Marcela / Elisa y Marcela”

Segredos de Alcova e O Diário de uma Camareira

Nota: ★★☆☆

Nota: ★★½☆

Ao longo de sua História, o cinema se mostrou encantado com Le Journal d’une Femme de Chambre, o romance do francês Octave Mirbeau publicado em 1900. A história foi filmada quatro vezes, em 1916, 1946, 1964 e 2015 – duas delas por diretores que estão entre os melhores, mais importantes de todos. Continue lendo “Segredos de Alcova e O Diário de uma Camareira”

À Meia-Luz / Gaslight e À Meia-Luz / Gaslight

Nota: ★★★½

Nota: ★★½☆

À Meia-Luz/Gaslight, de 1944, é uma caprichada e aclamada produção de Hollywood, com diretor e atores de prestígio – George Cukor e Ingrid Bergman, Charles Boyer, Joseph Cotten. Teve nada menos que 7 indicações ao Oscar, inclusive o de atriz coadjuvante para Angela Lansbury em sua estréia no cinema, aos 17 anos de idade – e marcou o primeiro dos 3 Oscars da carreira de Ingrid. Continue lendo “À Meia-Luz / Gaslight e À Meia-Luz / Gaslight”

Laços de Sangue / Hard, Fast and Beautiful!

Nota: ★★½☆

Laços de Sangue, no original Hard, Fast and Beautiful!, assim, com ponto de exclamação, não está entre os grandes filmes de Ida Lupino, essa mulher fantástica que foi uma pioneira, um exemplo, um símbolo na história do avanço feminino na indústria cinematográfica. Continue lendo “Laços de Sangue / Hard, Fast and Beautiful!”

Dias de Ira / Vredens Dag

Nota: ★★★★

Caça às bruxas – e não se trata de força de expressão. É caça às bruxas literalmente. Uma senhora idosa torturada brutalmente diante de um tribunal eclesiástico para que confesse seu pacto com o diabo. A acusada sendo jogada viva na fogueira, e os religiosos dizendo que é para a glória de Deus. Continue lendo “Dias de Ira / Vredens Dag”

Obsessão / Ossessione

Nota: ★★★½

É quase um milagre que Obsessão/Ossessione tenha sido feito, que exista. O filme foi pensado, rodado e produzido em 1942, sob a censura férrea do fascismo de Mussolini, a Itália em plena guerra, ao lado de Alemanha e Japão contra praticamente o resto do mundo. E era tudo, tudo o que o fascismo não queria ver em um filme italiano. Continue lendo “Obsessão / Ossessione”

O Beco das Almas Perdidas / Nightmare Alley

Nota: ★★★☆

Eis aí um filme estranho, esquisito, fora do padrão, fora da curva. Os títulos, tanto o original quanto o escolhido pelos exibidores brasileiros, fortes, dramáticos, na verdade melodramáticos, indicam bem o clima: Nightmare Alley, o beco do pesadelo. O Beco das Almas Perdidas. Continue lendo “O Beco das Almas Perdidas / Nightmare Alley”

Brumas / Moontide

Nota: ★☆☆☆

Como muito bem diz a sabedoria popular, nem tudo que reluz é ouro. Ou, como já escrevi ao menos uma vez aqui, nem tudo que tem grandes nomes e é da época de ouro de Hollywood presta. Este Moontide, no Brasil Brumas, de 1942, que tem duas figuras maravilhosas, fortes, icônicas – Jean Gabin e Ida Lupino – é uma perfeita prova disso. Continue lendo “Brumas / Moontide”

Epílogo de uma Sentença / The Tattered Dress

Nota: ★★½☆

The Tattered Dress, no Brasil Epílogo de uma Sentença, de 1957, começa com um crime, mas não é propriamente um policial. O crime acaba virando algo secundário – o mais importante vem a ser o advogado de defesa do criminoso. E The Tattered Dress, como o título brasileiro indica, é filme de tribunal. Continue lendo “Epílogo de uma Sentença / The Tattered Dress”

Espelhos d’Alma / The Dark Mirror

Nota: ★★★½

Espelhos d’Alma/The Dark Mirror, drama policial-psicológico de 1946, foi indicado ao Oscar de melhor história original. Não levou o prêmio, que ficou com Perfect Strangers, de Alexander Korda, mas dane-se o Oscar: a história do filme é uma absoluta maravilha, uma sacada brilhante. Continue lendo “Espelhos d’Alma / The Dark Mirror”

Vive-se uma Só Uma Vez/You Only Live Once

Nota: ★★★☆

Fazia apenas três anos que Clyde Barrow e Bonnie Parker haviam morrido quando Fritz Lang fez e lançou seu segundo filme americano, You Only Live Once, no Brasil Vive-se Só Uma Vez, em 1937. Ao longo das várias décadas seguintes, historiadores, estudiosos, críticos diriam que o filme se baseia – embora muito vagamente – na história de Bonnie & Clyde, o casal de assaltantes de bancos mais famoso dos tempos da Grande Depressão.

Continue lendo “Vive-se uma Só Uma Vez/You Only Live Once”