Fräulein Doktor


Nota: ★★½☆

Anotação em 2000: O veterano italiano Alberto Lattuada, atuante desde antes do fim da Segunda Guerra e um dos nomes do neo-realismo, fez um filme de espionagem competente, com boas atuações, e um final violentamente antibelicista, com cenas impressionantes sobre uso de gás mortal na Primeira Guerra. Continue lendo “Fräulein Doktor”

This Happy Breed


Nota: ★★★☆

Anotação em 1999: Um belo filme, já com a marca de competência do mestre David Lean, em seu primeiro filme como único diretor. Esforço de guerra, sim, assim como Lean e Noel Coward já haviam feito juntos em Nosso Barco, Nossa Alma/In Which We Serve, de 1942, uma ode à força, à coragem, ao brio dos soldados ingleses que naquele momento estavam enfrentando o nazismo – e às famílias que enfrentavam em casa os efeitos da guerra, inclusive as bombas sobre seus tetos. Continue lendo “This Happy Breed”

A Trégua / La Tregua


Nota: ★★★★

Anotação em 1998: Um excelente filme, um grande espetáculo cinematográfico, uma obra para alimentar o espírito. Como é uma superprodução, por causa do tema e da época em que ele foi produzido, é impossível para o espectador deixar de lembrar de A Lista de Schindler. E é interessante notar que o filme, de autoria de Francesco Rosi, nome forte do cinema político italiano desde os anos 60, não tem qualquer pudor de ser o que os críticos chamam de “sentimental”, ou “que apela para o sentimentalismo”. Característica tida como um dos defeitos de Spielberg. Continue lendo “A Trégua / La Tregua”

Um Amor na Alemanha / Eine Liebe in Deutschland


Nota: ★★★★

Anotação em 1997: Um grande, magnífico filme. O espectador sente que Andrzej Wajda quer dissecar as reações das pessoas na Alemanha durante o nazismo; quer entender por que os alemães permitiram o nazismo. Não sei o romance no qual ele se baseou, mas o filme é um estudo da fragilidade do caráter das pessoas comuns de uma cidade pequena, um microcosmo do que para o diretor é a Alemanha toda. Continue lendo “Um Amor na Alemanha / Eine Liebe in Deutschland”

A Noite de São Lourenço / La Notte di San Lorenzo


Nota: ★★★½

Anotação em 1997: Brilhante, sim. Brilhante, fortíssimo, emocionante, com uma puta simpatia pelo bicho homem, esse ser infeliz que cria maravilhas e guerras. O filme tem aquela coisa em que os italianos são especialistas – o painel, o afresco, o retrato de uma realidade grande, vasta. Continue lendo “A Noite de São Lourenço / La Notte di San Lorenzo”

Os Miseráveis / Les Misérables


Nota: ★★★★

Anotação em 1996: Lindo, emocionante, brilhante, inteligente, bem feito, com tudo da parte técnica absolutamente perfeito. Uma obra-prima, um tour-de-force, uma imensa beleza. Tudo bem, Lelouch é um dos meus cineastas preferidos, é um cineasta do meu coração, e sento numa poltrona de cinema diante de um filme dele não para julgar, mas para me entregar à beleza e à emoção. Continue lendo “Os Miseráveis / Les Misérables”

Nascido para Matar / Full Metal Jacket


Nota: ★★★★

Texto publicado na revista Afinal de 19 de janeiro de 1988: O recruta Joker é o único dos membros de sua turma que ousa tentar reagir à enxurrada de ordens e impropérios com que o sargento instrutor se apresenta, logo no início dos treinamentos – mas, até por isso mesmo, é promovido a líder do grupo e, na prática, entrega-se à lavagem cerebral imposta a todos os futuros fuzileiros navais. Mais tarde, no Vietnã, é capaz de manter um aguçado espírito crítico e uma boa dose de humanidade – mas, ao mesmo tempo, se diz entediado quando passa um dia sem ver sangue. Continue lendo “Nascido para Matar / Full Metal Jacket”