Arquivos do Rótulo: Geléia Geral

2.000!

zzzzzzzzmarynovoO 50 Anos de Filmes chega ao post 2.000.

Cerca de 2.000 filmes comentados! Ler Mais »

Férias

Ninguém é de ferro, e então saio de férias por uma semana. Ler Mais »

Quando nasceram as estrelas

Ingrid Bergman era três anos mais velha do que Ingmar Bergman. Nasceram no mesmo ano Anthony Hopkins, Dustin Hoffman, Jack Nicholson, Jane Fonda, Morgan Freeman, Paulo José, Reginaldo Faria, Robert Redford, Vanessa Redgrave, Virna Lisi e Warren Beatty. Ler Mais »

1.500 posts!

Mas p q p, este site já tem 1.500 posts!

Mil e quinhentos posts. Uma bobagem, comparado aos 18 mil filmes do Cinéguide francês, ou dos mais de 17 mil filmes do Movie Guide de Leonard Maltin. Ler Mais »

Os filmes que não suportei ver até o fim (4)

Anotações em 2009, com atualização em 2010: Eis aí a quarta leva dos filmes que não consegui ver até o fim; as tentativas foram no segundo semestre de 2009. Ler Mais »

Dennis Hopper foi se encontrar com James Dean e Marlon Brando


Alguns anos atrás, Bob Dylan teve uma doença grave; quando o perigo passou, as agências de notícias distribuíram uma declaração dele: “Pensei que tivesse chegado a hora de me encontrar com Elvis”. Ler Mais »

Os filmes que não suportei ver até o fim (3)


Anotações em 2008, com atualização em 2010: Aí vai a terceira leva dos filmes que me derrubaram, que não tive estômago para ver até o fim; as tentativas de vê-los foram em 2008. Nem todos são ruins demais. Como tudo na vida, ver filme tem a ver com o momento.  Às vezes não bate, simplesmente. Ler Mais »

Os filmes que não suportei ver até o fim (2)

princípio

 

 

 

 

 

 

 

Anotação em novembro de 2009: Aqui estão os filmes que nem eu nem Mary agüentamos ver até o fim ao longo de 2007, que nos derrubaram, que foram mais poderosos que minha paciência de Jó. Ler Mais »

O cinema é uma arma quente contra o racismo e a xenofobia

Ao longo de seus cento e tantos anos de história, o cinema tem abordado, examinado, perscrutado, dissecado das mais diferentes formas – e combatido – o racismo, esse crime que é um dos piores que a humanidade soube inventar. Ler Mais »

O que seria do cinema se fosse proibido fumar?

O texto abaixo foi escrito para o portal estadao.com.br, em junho de 2000. Boto aqui no meu site neste momento, agosto de 2009, em que uma lei fascista, totalitária, do governador José Serra proíbe o fumo em praticamente todos os lugares do Estado de São Paulo. E convido os eventuais leitores a apreciar o excelente artigo do sociólogo Demétrio Magnoli, publicado no Estadão e no Globo, demonstrando por A mais B como e por que a lei é fascista. Ler Mais »

O clube em que os caubóis estão na tela e na platéia

A reportagem abaixo, escrita por Valdir Sanches, foi publicada no Diário do Comércio, de São Paulo, no dia 20 de julho de 2009. Pedi a autorização dele e do jornal para reproduzi-la aqui no site. Ler Mais »

Os títulos dos filmes estrangeiros no Brasil e em Portugal: uma louca (e até divertida) confusão

 

Por que, raios, alguém inventa um título imbecil, babaca, cretino como Noivo Neurótico, Noiva Nervosa, para o maravilhoso Annie Hall? Ou Os Brutos Também Amam para Shane? Ou algo tão absolutamente pomposo como Assim Caminha a Humanidade para Giant, gigante? Ou tão distante do original The Night of the Hunter, a noite do caçador, quanto Mensageiro do Diabo? Ou O Pecado de Todos Nós para Reflections on a Golden Eye, reflexos num olho dourado? Ler Mais »

Os filmes que não suportei ver até o fim (1)

Anotação em julho de 2009: Vejo filmes demais, muito deles ruins, alguns abaixo do péssimo. Costumo ter uma paciência de Jó com porcarias. Mas algumas conseguem me derrubar, e desisto no meio. 

Ler Mais »

Mil cidades! É tudo muito doido

MUNDO - CIDADES
 

 

 

 

 

 

13 de junho de 2009: Este meu site já foi visto em 1.001 cidades diferentes, em 84 países. Coisa de louco. É tudo muito doido, este mundo da internet.

Ler Mais »

EUA-Europa, uma relação de amor e ódio

Pardon my French. Quantas vezes a gente já ouviu essa frase nos filmes americanos? John Wayne, por exemplo, gostava de falar isso. Para quem não sabe, a expressão vem sempre depois um termo um tanto chulo, e significa mais ou menos “desculpe o palavrão”, “desculpe a falta de educação”, “desculpe a grosseria”. Em inglês, e especialmente para os americanos, francês é sinônimo de palavrão. Ler Mais »