Cálculo Mortal / Murder by Numbers

Nota: ★★★☆

Murder by Numbers, no Brasil Cálculo Mortal, que Barbet Schroeder lançou em 2002, é um bom thriller, valorizado por excelentes atuações e alguns cenários deslumbrantes da costa da Califórnia. Sandra Bullock, essa moça que divide opiniões – parece ter tantos admiradores quanto detratores –, nunca esteve tão bem nem tão bela, na opinião deste admirador aqui. Continue lendo “Cálculo Mortal / Murder by Numbers”

Um Barco e Nove Destinos / Lifeboat

Nota: ★★★★

Lifeboat, no Brasil Um Barco e Nove Destinos, lançado em 1944, em plena Segunda Guerra Mundial, é um dos melhores dos 53 longa-metragens dirigidos por Alfred Hitchcock. É também – tive certeza disso ao revê-lo agora – um dos mais sérios, mais pesados, mais densos filmes de sua extraordinária obra. Continue lendo “Um Barco e Nove Destinos / Lifeboat”

Hebe: A Estrela do Brasil

Nota: ★★½☆

Hebe: A Estrela do Brasil, de 2019, dirigido por Maurício Farias, com Andrea Beltrão no papel-título, não é uma biografia de Hebe Camargo. É bem diferente, nesse sentido, de outros filmes mais ou menos recentes que contam as histórias de grandes personalidades da cultura brasileira, como Chacrinha – O Velho Guerreiro (2018) ou Gonzaga – De Pai Pra Filho (2012). Continue lendo “Hebe: A Estrela do Brasil”

Gentleman Jack

Nota: ★★★☆

No meio do terceiro dos oito episódios da série Gentleman Jack, caprichada produção da BBC e da HBO de 2019, a protagonista da história, Anne Lister, num momento de muito otimismo, confidencia à sua tia idosa e homônima, Anne, que está pensando em morar com Miss Walker. As duas têm se dado muito bem, e poderiam ser companheiras pelo resto da vida, Anne Lister conta para a tia. Seria uma combinação prudente – duas respeitáveis mulheres morando juntas como companhia uma para a outra. Continue lendo “Gentleman Jack”

Chamas do Destino / Le Bazar de la Charité

Nota: ★★★☆

A partir de um fato real – uma tragédia, um incêndio em área nobre de Paris em 1897 que causou 126 mortes, quase todas de mulheres ricas –, a escritora e roteirista Catherine Ramberg criou uma história absolutamente fascinante, impressionante, magnífica. Continue lendo “Chamas do Destino / Le Bazar de la Charité”

A Última Vez que Vi Paris / The Last Time I Saw Paris

Nota: ★★★☆

Os irmãos Julius e Philip Epstein, autores do roteiro de Casablanca, entre muitos bons filmes, e o diretor Richard Brooks – três grandes roteiristas – foram os responsáveis por transformar um conto de apenas 25 páginas de F. Scott Fitzgerald, “Babylon Revisited”, neste filme de quase 2 horas de projeção. Continue lendo “A Última Vez que Vi Paris / The Last Time I Saw Paris”

O Jantar / The Dinner

Nota: ★★★☆

O Jantar/The Dinner, produção americana de 2017, com um belo elenco (Richard Gere, Laura Linney, Rebecca Hall, Steve Coogan, mais Chloë Sevigny numa participação especial), é um filme pesado, duro, forte, violento. Daqueles que mostram um grande número de eventos terríveis, e – pior ainda – um grande número de pessoas desprezíveis, nojentas, asquerosas. Continue lendo “O Jantar / The Dinner”

Coronel Blimp: Vida e Morte / The Life and Death of Colonel Blimp

Nota: ★★★★

Coronel Blimp: Vida e Morte, da dupla inglesa Michael Powell e Emeric Pressburger, de 1943, é uma obra-prima, um filmaço, dos maiores que já houve. E tem uma história de vida, se é que se pode usar a expressão, tão rica, complexa e séria quanto a trama que conta. Continue lendo “Coronel Blimp: Vida e Morte / The Life and Death of Colonel Blimp”

Sem Amor / Nelyubov

Nota: ★★★½

Sem Amor (2017), do diretor russo Andrey Zvyagintsev, é um filme aterrador. Apavorante, chocante, horripilante. Não, não é um filme de terror. Não tem fantasmas vingativos, espíritos maus – são só seres humanos. Sem Amor é um dos filmes mais pessimistas, mais desesperançados que já vi. Ele não tem dúvida alguma: tem certeza de que a humanidade é uma invenção que não deu mesmo certo.  Continue lendo “Sem Amor / Nelyubov”

Um Pecado em Cada Alma / The Violent Men

Nota: ★★★☆

The Violent Men, western classe A de 1955, dirigido por Rudolph Maté com elenco de primeira – Glenn Ford, Barbara Stanwyck e Edward G. Robinson –, ganhou dos exibidores brasileiros o título Um Pecado em Cada Alma, que parece mais apropriado a um melodrama de Douglas Sirk. Não é, no entanto, um título sem sentido: é um western com boa dose de melodramão. Continue lendo “Um Pecado em Cada Alma / The Violent Men”

Lion: Uma Jornada Para Casa / Lion

Nota: ★★★☆

Lion, co-produção Inglaterra-Austrália-EUA de 2016 que no Brasil ganhou no título o complemento de Uma Jornada Para Casa, foi premiadíssimo mundo afora. Ganhou 59 prêmios e teve outras fantásticas 104 indicações, inclusive 6 aos prêmios mais badalados do mundo, aquelas estatuetas douradas. Continue lendo “Lion: Uma Jornada Para Casa / Lion”