Arquivos do Rótulo: Crime

A Face de um Anjo / The Face of an Angel

Nota: ★★★☆

A Face de um Anjo (2014), do incansável realizador inglês Michael Winterbottom, trata de um crime real: o assassinato, a facadas e por asfixia, de uma jovem e bela estudante inglesa na Itália, em 2007. Mas não pretende, de forma alguma, reconstituir o crime, mostrar como aconteceu, quem matou. Passa longe, muito longe disso. Ler Mais »

A Morte Espera no 322 / Pushover

Nota: ★★★½

A Morte Espera no 322, no original Pushover, de 1954, é muito menos conhecido, falado, lembrado do que deveria. Jamais tinha ouvido falar dele, apesar de gostar especialmente do cinema americano dos anos 30 a 60, e tenha uma predileção pelo film noir. Ler Mais »

The Bletchley Circle

Nota: ★★★☆

Já foram feitos bons filmes sobre o trabalho dos britânicos decifradores de códigos durante a Segunda Guerra Mundial, e seria bom que outros ainda sejam feitos, porque é tema é importante – e também fascinante, apaixonante, glamouroso. Ler Mais »

Silêncio nas Trevas / The Spiral Staircase

Nota: ★★★☆

The Spiral Staircase, no Brasil Silêncio das Trevas, thriller de Robert Siodmak lançado em 1946, começa de forma espetacular, brilhante, coisa que dá vontade de aplaudir de pé como na ópera. Ler Mais »

Dívida de Sangue / Blood Work

Nota: ★★★☆

Em Blood Work, no Brasil Dívida de Sangue, de 2002, seu 23º filme como diretor, Clint Eastwood interpreta um policial bem diferente de Harry Callahan, o inspetor de polícia de San Francisco que parece ter prazer em matar bandidos. Ler Mais »

Atentado em Paris / Bastille Day / The Attack

Nota: ★★★☆

Eis aí um bom filme de ação. Sim, tem muitas cenas de ação e sequências de lutas, mas são extremamente bem realizadas e não ocupam a maior parte do filme. Além delas, há uma bela trama, inteligente, bem engendrada, com personagens interessantes e atores em boas interpretações. Ler Mais »

Iris

Nota: ★★½☆

Tem uma trama muito boa, inteligente, envolvente, este suspense francês de 2016 – um polar, a palavra deles para thriller. Começa contando uma mentira para o espectador – e logo, logo mostra uma surpresa, que será a primeira de muitas. Ler Mais »

O Rei da Comédia / The King of Comedy

Nota: ★★★☆

O Rei da Comédia, que Martin Scorsese lançou em 1983, é seguramente o único filme da longa carreira de Jerry Lewis em que ele não provoca sequer uma risada na audiência. E o único em que ele – conhecido pelo epíteto de Rei da Comédia –  ri e sorri muito, muito pouco.  Ler Mais »

A Criada / Ah-ga-ssi

Nota: ★★★½

A Criada, produção sul-coreana de 2016, é estupidamente bem realizado, em todos os quesitos, das interpretações magníficas ao visual primoroso, requintado, da direção de arte à bela trilha sonora. Ler Mais »

Obsessão / The Paperboy

Nota: ★★½☆

O diretor Lee Daniels usou sexo, violência, neuroses, psicoses, repressão e racismo, tudo em doses paquidérmicas, amazônicas, num coquetel explosivo – e muito frequentemente doentio, nojento, abjeto – como a base do roteiro de The Paperboy, no Brasil Obsessão. Ler Mais »

O Homem Irracional / Irrational Man

Nota: ★★★½

O Homem Irracional, o Woody Allen safra 2015, tem muito, mas muito a ver com Crimes e Pecados, de 1989, e Match Point, de 2005. E, naturalmente, assim como os dois anteriores, tem tudo a ver com Crime e Castigo, de Fiódor Dostoiévski. Ler Mais »

Versões de um Crime / The Whole Truth

Nota: ★★½☆

Versões de um Crime pode até espantar o espectador por sua simplicidade. É um drama de tribunal simples, direto, claro, objetivo. Não usa criativol algum – não tem artifícios, invencionices, fogos de artifício. Ler Mais »

How To Get Away With Murder – A Primeira e a Segunda Temporadas

Nota: ★★★½

O sistema legal, o Judiciário, a instituição do júri popular – tudo é cheio de falhas. Todos mentem, não adianta pensar que não: todos mentem. Não vence a verdade – vence quem apresentar melhor a sua versão. É tudo um teatro mesmo: ganha quem consegue a melhor atuação.  Ler Mais »

Janela Indiscreta / Rear Window

Nota: ★★★★

Janela Indiscreta é um filme genial.

Algumas palavras são tão usadas que acabam perdendo a força, o viço, o frescor. Ficam esgarçadas. “Genial” talvez seja o exemplo mais perfeito disso. Ler Mais »

Major / Manop

Nota: ★★★☆

Major, produção russa de 2013, é um filme impressionante. Na forma, é duro, seco, cru, agressivamente distante de qualquer beleza. Mostra uma Rússia suja, pobre, feia, brutal, violenta, corrupta. Ler Mais »