Arquivos do Rótulo: Clássico

Grisbi, Ouro Maldito / Touchez Pas Au Grisbi

Nota: ★★★☆

Touchez Pas Au Grisbi, no Brasil Grisbi, Ouro Maldito, que Jacques Becker lançou em 1954, fala sobre gângsteres, e tem, sim, rajadas de metralhadora. Mas é um filme em que o ambiente, o clima importam a rigor mais que a trama. E, como maravilhosamente definiu o historiador Georges Sadoul, é sobretudo um filme sobre a amizade e a chegada da velhice. Ler Mais »

Glória Feita de Sangue / Paths of Glory

Nota: ★★★★

Quando a obra de arte é boa demais, o tempo – ao contrário do que canta o Cazuza – pára. Glória Feita de Sangue, que Stanley Kubrick lançou em 1957, tem portanto 61 anos, mas não envelheceu absolutamente nada. Poderia perfeitamente ter sido lançado um mês atrás. Ler Mais »

A Estrada da Vida / La Strada

Nota: ★★★★

O cinema adora histórias de trupes mambembes, saltimbancos, artistas de variedades, gente simples, humilde, pobre, não raro feia, andrajosa, que se põe na estrada e vai de cidade em cidade exibindo suas artes, muitas vezes apenas por alguns trocados. Há motivos de sobra para crer que Gelsomina e Zampano são, de toda a imensa galeria de tipos assim que o cinema já nos mostrou, os mais pobres de todos, os mais tristes, os mais sofridos. Ler Mais »

Uma Aventura na Martinica / To Have and Have Not

Nota: ★★½☆

A mística em torno de To Have and Have Not, no Brasil Uma Aventura na Martinica, é imensa, densa, gostosa, passional – e enfumaçada, como eram os bares de antigamente. O filme, na verdade, é muitíssimo menor que a mística, a lenda, a fama, a glória, mas fazer o quê? Nada é perfeito. Ler Mais »

Adorável Vagabundo / Meet John Doe

Nota: ★★★½

O cinema de Frank Capra é tão otimista, tão esperançoso, tão believer, de um humanismo tão amplo, tão positivo, tão generoso, que, ao rever Adorável Vagabundo/Meet John Doe agora, nestes nossos tempos tão sórdidos, desesperançados, desalentados, cheguei a achar, por alguns momentos, que o filme era ingênuo, bobinho, tolo. Naïf, como as pinturinhas. Ler Mais »

Silêncio nas Trevas / The Spiral Staircase

Nota: ★★★☆

The Spiral Staircase, no Brasil Silêncio das Trevas, thriller de Robert Siodmak lançado em 1946, começa de forma espetacular, brilhante, coisa que dá vontade de aplaudir de pé como na ópera. Ler Mais »

Ralé / Donzoko

Nota: ★★★★

Em Ralé, seu filme de 1957, Akira Kurosawa demonstra cabalmente que, de fato, é o William Shakespeare do cinema. Ler Mais »

Janela Indiscreta / Rear Window

Nota: ★★★★

Janela Indiscreta é um filme genial.

Algumas palavras são tão usadas que acabam perdendo a força, o viço, o frescor. Ficam esgarçadas. “Genial” talvez seja o exemplo mais perfeito disso. Ler Mais »

No Tempo das Diligências / Stagecoach

Nota: ★★★★

Uma das coisas mais fascinantes, impressionantes, extraordinárias de No Tempo das Diligências/Stagecoach, talvez o mais clássico de todos os westerns, é o contraste entre a amplidão extrema e a exiguidade de um pequeno espaço fechado. Ler Mais »

A Noite dos Mortos-Vivos / Night of the Living Dead

Nota: ★★★☆

A Noite dos Mortos-Vivos é um daqueles grandes clássicos de que sempre ouvi falar mas nunca tinha visto – até agora. O filme é mesmo muito impressionante, fortíssimo, marcante, mas não resisto à tentação de brincar que o maior susto que ele me deu foi quando, bem depois que terminou e eu me preparava para escrever esta anotação, vi que ele é de 1968. Ler Mais »

Os 39 Degraus / The 39 Steps

Nota: ★★☆☆

Lá pelas tantas, a fantasticamente, tresloucadamente fantasiosa trama de Os 39 Degraus tem que mocinho e mocinha – que nutrem a maior antipatia do mundo um pelo outro – ficam ligados por um par de algemas. Consta que, antes de começar a filmar qualquer uma das diversas cenas com os dois daquele jeito, o diretor Alfred Hitchcock prendeu o braço direito de Robert Donat ao esquerdo de Madeleine Carroll com uma algema, e os deixou assim por várias horas, dizendo que não sabia onde tinha posto a chave. Ler Mais »

Pavor nos Bastidores / Stage Fright

Nota: ★★★★

Stage Fright, no Brasil Pavor nos Bastidores, de 1950, é da fase em que Alfred Hitchcock tinha assinado um contrato com a Warner Bros, depois de ter trabalhado para o produtor David O. Selznick, que o importou de Londres para Hollywood. Ler Mais »

Um Dia no Campo / Une Partie de Campagne

Nota: ★★★½

Em 1936, três anos antes de estourar a Segunda Guerra Mundial e logo antes de fazer as obras-primas A Grande Ilusão (1936) e A Regra do Jogo (1939), Jean Renoir fez este pequeno Une Partie de Campagne. Uma pequenina pérola. Ler Mais »

O Pecado Original / Les Parents Terribles

Nota: ★★★☆

Os fatos e as circunstâncias em torno de Les Parents Terribles (1948) são absolutamente fascinantes – tanto quanto, ou talvez até mais, que a trama desse drama familiar tão exagerado, tão superlativo e cheio de tantas reviravoltas que chega em alguns momentos a ser cômico. Ler Mais »

Laços Humanos / A Tree Grows in Brooklyn

zztree

Nota: ★★★☆

A Tree Grows in Brooklyn, no Brasil Laços Humanos, de 1945, foi o primeiro filme dirigido por Elia Kazan, que chegou a Hollywood depois de se firmar como um dos grandes diretores do teatro americano. Nos anos seguintes, Kazan (1909-2003) se firmou como um dos maiores diretores de Hollywood. Seus oito primeiros filmes, realizados entre 1945 e 1952, tiveram 32 indicações ao Oscar e venceram em 10 delas. Ler Mais »