Trumbo – Lista Negra / Trumbo

Nota: ★★★★

Trumbo é um filmaço, uma beleza, uma maravilha. É cinema da mais alta qualidade – e é também um documento importantíssimo sobre o período mais negro, mais pavoroso de Hollywood, do cinema e da cultura americana como um todo, um dos períodos mais negros, mais pavorosos da História recente: os anos do macartismo, da caça às bruxas entre os profissionais do showbusiness, a partir do final dos anos 40 e atravessando todos os anos 50. Continue lendo “Trumbo – Lista Negra / Trumbo”

1983

Nota: ★★½☆

A imensa maior parte da série polonesa 1983 se passa em 2003 – mas é um 2003 totalmente diferente daquele que conhecemos. Na história criada por Joshua Long, houve em 1983 uma série de atentados terroristas em Varsóvia, Gdansk e Cracóvia – e a História do mundo passou a ser outra. A História andou em outra direção. Continue lendo “1983”

Wanted – A Primeira Temporada

Nota: ★★★☆

Se fosse para simplificar, daria para definir Wanted como assim uma espécie de Thelma e Louise australiano – só que as duas mulheres que viajam de carro por diversos lugares do país-continente estão fugindo ao mesmo tempo da polícia e dos bandidos, inclusive um matador de aluguel com fama de incapaz de errar. Continue lendo “Wanted – A Primeira Temporada”

Um Reino Unido / A United Kingdom

Nota: ★★★½

Um Reino Unido (2016) é daqueles filmes extremamente bem realizados em todos os quesitos: fotografia, figurinos, direção de arte… A reconstituição de época (a ação se passa na segunda metade dos anos 1940) é um brilho. A trilha sonora, do grande Patrick Doyle, é uma beleza. Mas o melhor do filme é a história, a trama. Continue lendo “Um Reino Unido / A United Kingdom”

Inspire, Expire / Andið eðlilega

Nota: ★★★½

Inspire, Expire, primeiro longa-metragem da autora e diretora islandesa Isold Uggadottir, de 2018, é um drama pesado, denso, tristíssimo, sobre destituídos, pobres, em situações extremas. Daqueles que deixam o espectador angustiado, sofrendo junto com os personagens. Continue lendo “Inspire, Expire / Andið eðlilega”

O Menino Que Descobriu o Vento / The Boy Who Harnessed the Wind

Nota: ★★★☆

O Menino Que Descobriu o Vento conta, de forma clara, límpida, competente, uma história fantástica, incrível, admirável. Que se torna ainda mais fantástica, incrível, admirável pelo fato de ser verdadeira. Continue lendo “O Menino Que Descobriu o Vento / The Boy Who Harnessed the Wind”

Tully

Nota: ★★★☆

A primeira coisa que vemos de Marlo, a protagonista de Tully, é sua barriga de grávida, imensa, de nove meses. Marlo está no quarto de seu filho Jonah, e começa um longo processo de escovar toda a pele do garoto com uma escova de cabelo. Continue lendo “Tully”

O Caminho das Tormentas / Khozhdenie po mukam

Nota: ★★★☆

O Caminho das Tormentas, minissérie russa de 2017, é a terceira adaptação da trilogia escrita por Aleksei Nikolaievich Tolstói e publicada entre 1921 e 1940. Concentra-se no primeiro período retratado na trilogia – uma das épocas mais turbulentas da História da humanidade, entre 1916 e aí por volta de 1920, os anos da Revolução Russa que derrubou o czarismo e instaurou o regime comunista.  Continue lendo “O Caminho das Tormentas / Khozhdenie po mukam”

Nosso Fiel Traidor / Our Kind of Traitor

Nota: ★★★☆

Our Kind of Traitor, no Brasil Nosso Fiel Traidor, co-produção Inglaterra-França de 2016, é um filme inquietante, perturbador – como em geral são todos os baseados em histórias de John le Carré. Traça um retrato pavoroso, podre, da Rússia pós fim do comunismo – mas não deixa barato com o seu próprio país, a Inglaterra, o Reino Unido. Continue lendo “Nosso Fiel Traidor / Our Kind of Traitor”

Como Nossos Pais

Nota: ★★★½

Em seu quarto longa-metragem, a autora e realizadora paulistana Laís Bodanzky vai fundo no que, afinal de contas, mais importa na vida: as relações familiares, as relações afetivas. Pode haver tema melhor que a vida em família de gente comum, “normal” (se é que isso existe)? A vida em família de gente como você, eu, nossos parentes, amigos, conhecidos. Gente como a gente. Continue lendo “Como Nossos Pais”