Taxi Driver e Vivendo no Limite / Bringing Out the Dead


Nota: ★★★★

Resenha na coluna O Melhor do DVD, no site estadao.com.br, em 2000: Quando Taxi Driver foi mostrado no Festival de Cannes de 1976, o presidente do júri, o dramaturgo Tennesse Williams, ele mesmo um especialista em situações de violência psicológica e emocional, não escondeu de ninguém que achou o filme do jovem Martin Scorsese violento demais. Continue lendo “Taxi Driver e Vivendo no Limite / Bringing Out the Dead”

A Cicatriz / Blizna


Nota: ★★½☆

Anotação em 2000: Tem muito valor, sim, intrínseco, mas o maior valor é relativo e histórico, pela coragem de denunciar diversas mazelas ainda em pleno comunismo – decisões arbitrárias de dirigentes ligados ao Partido, sem consulta ao povo; agressão estúpida ao meio ambiente; corrupção; ineficiência empresarial – e por registrar o surgimento do Solidariedade. Continue lendo “A Cicatriz / Blizna”

Kotch – Ainda Há Fogo Sobre as Cinzas / Kotch


Nota: ★★½☆

Anotação em 1999: Não é um grande filme, este que foi a única experiência na direção de Jack Lemmon, o ator que trabalhou em algumas das comédias mais amargas do cinema americano; tem trechos um tanto arrastados, é previsível. Mas é sensível, sim, delicado, um hino de louvor à velhice. Continue lendo “Kotch – Ainda Há Fogo Sobre as Cinzas / Kotch”

O Flagrante


Nota: ★★½☆

Anotação em 1999: Bem intencionado, antimachista, honesto, corajoso. Tem ritmo irregular, por – foi o que achei – falta ainda de domínio na direção do bom ator Reginaldo Faria, embora ele já tivesse feito quatro filmes antes deste aqui; afinal, prática mesmo nesse metiê quem tem é seu irmão Roberto, que lá atrás, no início dos anos 60, fez o grande Assalto ao Trem Pagador. Mas é um filme acima da média, com frescor de juventude e afirmações a fazer. Continue lendo “O Flagrante”