Arquivos do Rótulo: 1970’s

Lua de Papel / Paper Moon

Nota: ★★★★

Lua de Papel, de 1973, é uma gema, uma pérola, uma preciosidade. Uma daquelas jóias raras do cinema em que tudo funciona perfeitamente, tudo se encaixa, não falta nada, não sobra nada. E boa parte do encanto absoluto vem da interpretação de uma garotinha que ainda não tinha completado 10 anos de idade durante as filmagens – as primeiras de que participou na vida. Ler Mais »

Jake Grandão / Big Jake

Nota: ★★★☆

Jake Grandão/Big Jake, lançado em 1971, foi o último filme dirigido por George Sherman, um realizador veterano, que havia se tornado amigo de John Wayne ainda nos anos 30. Ler Mais »

Ciúme à Italiana / Dramma della Gelosia (tutti i particolari in cronaca)

Nota: ★★★☆

Embora tenha a palavra “drama” no título original, Dramma della gelosia (tutti i particolari in cronaca), o primeiro dos dez filmes de Ettore Scola com Marcello Mastroianni – e o único do diretor com Monica Vitti, a musa de Michelangelo Antonioni e uma das deusas do cinema mundial na segunda metade do século XX – é uma comédia escrachada, aberta, escancarada. Ler Mais »

007 – Os Diamantes São Eternos / Diamonds Are Forever

Nota: ★★½☆

007 – Os Diamantes São Eternos, de 1971, é o sétimo filme de James Bond, o sexto e penúltimo com Sean Connery no papel do agente secreto britânico com permissão para matar, o segundo dos quatro dirigidos por Guy Hamilton. Ler Mais »

Tubarão / Jaws

Nota: ★★★★

Tubarão não seria o que é sem a música de John Williams. Aqueles acordes gravíssimos, soturnos, abafados, opressivos, que precedem cada ataque do monstro, definem todo o clima de medo, de pavor que permeia  o filme. Ler Mais »

A Última Sessão de Cinema / The Last Picture Show

Nota: ★★★★

Nós todos envelhecemos – nós, os das gerações nascidas aí entre 1945 e 1955, que vimos A Última Sessão de Cinema quando éramos jovens e tínhamos desejos fortes e sonhos ambiciosos e nos apaixonamos pelo filme. Peter Bogdanovich e aquela penca de atores envelheceram, é claro, e nós os vimos envelhecer nas telas. Ler Mais »

Frenesi / Frenzy

Nota: ★★★★

Para fazer seu filme de número 52 (e que acabaria sendo seu penúltimo), Frenesi, lançado em 1972, Alfred Hitchcock voltou à capital de seu país natal, que havia abandonado três décadas antes para se instalar em Hollywood, a Meca da gente de cinema. Ler Mais »

Duelo de Gigantes / The Missouri Breaks

Nota: ★☆☆☆

Eram dois dos maiores atores de Hollywood em meados dos anos 1970, quando este The Missouri Breaks, um western de produção caprichadíssima, foi lançado, em 1976. Ler Mais »

A Noite Americana / La Nuit Américaine

Nota: ★★★★

A Noite Americana (1973) é uma das mais belas declarações de amor ao cinema que já foram feitas. É alegre (e às vezes triste), envolvente, simpático, agradável, engraçado (e às vezes sério), gostoso, inteligente, terno, apaixonado, apaixonante. Ler Mais »

O Último Pistoleiro / The Shootist

zzshotist1

Nota: ★★★½

Um bonde é elemento de grande importância em The Shootist, no Brasil O Último Pistoleiro, no mundo todo conhecido pelos fãs de western como O Último Filme de John Wayne – e também como O Último Faroeste de James Stewart.

O último isso, o último aquilo, o último aquilo outro. Ler Mais »

O Dorminhoco / Sleeper

zzdorme1

Nota: ★★★☆

Duas palavras me vieram à cabeça de cara enquanto revíamos O Dorminhoco/Sleeper, que Woody Allen cometeu em 1973: bobo e engraçado. As duas coisas em grandes doses. O Dorminhoco é muito, é extremamente bobo – e muito, extremamente engraçado. Ler Mais »

A História de Adèle H. / L’Histoire d’Adèle H.

zzadele1

Nota: ★★★☆

Homem passional, apaixonado pelas mulheres e pelas paixões, François Truffaut tinha uma admiração sem fim por histórias de amor trágicas, tristíssimas, sem saída. Isso explica, acho, por que ele quis filmar a trágica, tristíssima, sem saída história de Adèle Hugo e seu amor louco, absolutamente insano, por um tenente inglês que não a amava. Ler Mais »

O Garoto Selvagem / L’Enfant Sauvage

l'enfant sauvage 1970 RŽal. : Franois Truffaut Collection Christophel

Nota: ★★★☆

Em seus parcos, exíguos 52 anos de vida, François Truffaut só teve tempo de fazer 24 filmes – 3 curtas e 21 longa-metragens. Poucos, mas, claro, o suficiente para assegurar seu lugar entre os maiores realizadores do primeiro século do cinema. Quatro deles foram sobre crianças, e três sobre crianças de alguma forma mal tratadas – pela vida, pela sociedade, pelos pais. Ler Mais »

A Confissão / L’Aveu

zzaveu1

Nota: ★★★★

Nem mesmo Franz Kafka seria capaz de criar essa história de tamanho absurdo kafkiano que viria a acontecer de verdade ali mesmo, na sua cidade natal, a bela Praga, e que Costa-Gavras, Monsieur Cinéma Politique, transformou em um filme em tudo por tudo extraordinário, eletrizante, importantíssimo, em 1970. Ler Mais »

Três Mulheres / 3 Women

zzwomen1

Nota: ½☆☆☆

Três Mulheres me deixou chocadíssimo. Perdi na época do lançamento, só vim ver agora.

Escrito, produzido e dirigido por Robert Altman, lançado em 1977, é um dos filmes mais cult do grande realizador, reverenciado, adorado por Deus e o mundo. Ler Mais »