Moby Dick


Nota: ½☆☆☆

Anotação em 1999, com complemento em 2008: Eis aí um grande clássico que eu nunca tinha visto na vida – e que simplesmente detestei. Este é, possivelmente, o primeiro grande clássico que eu vejo e detesto em tudo por tudo, sem qualquer respeito ao mestre John Huston, à lenda toda que cerca o filme e o livro. Continue lendo “Moby Dick”

A Lágrima Que Faltou / The Five Pennies


Nota: ★½☆☆

Anotação em 1999: O mais espantoso, ou marcante, ou ambos deste filme é a falta de ritmo, de estilo, de decisão do diretor a respeito do que raios ele queria fazer. Começa como uma comedinha leve, meio sem graça e absurda, com o trompetista de Ogden, Utah, chamado Red Nichols, chegando a Nova York em 1924 para tocar com um band leader cantor meloso. Continue lendo “A Lágrima Que Faltou / The Five Pennies”

Casei-me com um Morto / No Man of Her Own


Nota: ★★★½

Anotação em 1999, com complemento em 2008: Uma belíssima trama. Parte de um belo achado, e vai firme nele: mulher pobre, infeliz, abandonada grávida pelo amante, conhece durante viagem de trem mulher rica, recém-casada com homem muito rico, grávida; há um acidente, a rica e o marido morrem, a pobre é tomada como a nora pelos pais que esperavam o casal para conhecer a noiva. Continue lendo “Casei-me com um Morto / No Man of Her Own”

Absolutamente Certo!

Nota: ★☆☆☆

Anotação em 1999: Eis aí um filme absolutamente ruim e absolutamente intrigante: como é possível que o Anselmo Duarte tenha feito isso em 1957 e, apenas cinco anos depois, O Pagador de Promessas? Como é possível que ele tenha aprendido tudo em cinco anos? É ruim demais da conta; é tão caricaturalmente mal feito que até parece aqueles filmes propositalmente idiotas do tipo Apertem os Cintos que o Piloto Sumiu. Continue lendo “Absolutamente Certo!”

O Passado do Meu Marido / The Constant Husband


Nota: ★★½☆

Anotação em 1996:  É uma boa comédia bem inglesa. Um sujeito acorda num quarto de hotel com amnésia. Olha para fora, está na beira do mar. Sai, e vê um monte de pescadores conversando numa língua estranha. Pergunta em alemão se eles falam alemão, em francês se falam francês. Nada. Pergunta se alguém fala inglês e percebe que está no País de Gales. Continue lendo “O Passado do Meu Marido / The Constant Husband”