Êxtase de Amor / Daisy Kenyon


Nota: ★★★☆

Anotação em 2000: Eis aí um filme extremamente interessante. É um filme sobretudo adulto. Extremamente à frente do seu tempo, 1947 – e ainda hoje, tantos anos depois, pode ser visto sem qualquer desconto pelo fato de ter sido feito quando as censuras – da sociedade e da indústria – eram tão mais fortes. Continue lendo “Êxtase de Amor / Daisy Kenyon”

A Noiva Era Ele / I Was a Male War Bride


Nota: ★★½☆

Anotação em 1999, com complemento em 2008: A trama dessa comédia é bem chegada ao ridículo – na Alemanha logo após o fim da Segunda Guerra, capitão francês (interpretado por Cary Grant, o que já é mais ridículo ainda) e tenente americana (Ann Sheridan) se apaixonam ao se beijarem durante missão, mas não conseguem um lugar para trepar, mesmo depois de três cerimônias de casamento, porque ela tem que voltar para os Estados Unidos e não há chance de os dois ficarem juntos sozinhos. Continue lendo “A Noiva Era Ele / I Was a Male War Bride”

Uma Vida por um Fio / Sorry, Wrong Number


Nota: ★★★½

Anotação em 1999: Uma beleza. A trama é excelente, a narrativa é interessantíssima – toda a história vai sendo mostrada em flashbacks (há flashbacks dentro de flashbacks) à medida em que a personagem de Barbara Stanwyck (Leona, ou sra. Henry Stevenson) vai conversando com as pessoas ao telefone. Continue lendo “Uma Vida por um Fio / Sorry, Wrong Number”

This Happy Breed


Nota: ★★★☆

Anotação em 1999: Um belo filme, já com a marca de competência do mestre David Lean, em seu primeiro filme como único diretor. Esforço de guerra, sim, assim como Lean e Noel Coward já haviam feito juntos em Nosso Barco, Nossa Alma/In Which We Serve, de 1942, uma ode à força, à coragem, ao brio dos soldados ingleses que naquele momento estavam enfrentando o nazismo – e às famílias que enfrentavam em casa os efeitos da guerra, inclusive as bombas sobre seus tetos. Continue lendo “This Happy Breed”

Margie


Nota: ★★★☆

Anotação em 1999: Simpático filme, uma deliciosa nostalgia dos anos 20 feita em 1946. A belíssima Jeanne Crain estava com 21 anos quando fez o papel de Margie beirando os 40 – no início e no fim do filme – e aos 17 – em 90% da ação, um flashback em que ela conta para a filha suas aventuras na high school. Continue lendo “Margie”

Lembra-te Daquela Noite / Remember the Night


Nota: ★★☆☆

Anotação em 1999: Tem aquele charme de filme dessa época dourada, os anos 1940, e, em especial o charme com o qual me fascino cada vez mais de Barbara Stanwyck, essa atriz de presença extremamente forte e beleza estranha e hoje fora do padrão. Mas a trama é tão pouco verossímil, tão insensata, tão estranha. Continue lendo “Lembra-te Daquela Noite / Remember the Night”

Pacto de Sangue / Double Indemnity e Assassinos / The Killers


Nota: ★★★★

Anotação em 1998: Interessantíssima coincidência ter visto numa mesma semana estes dois belos filmes, grandes clássicos do film noir, que têm tantas semelhanças e aproximações. A primeira semelhança, claro, é o próprio estilo, dois filmes sobre crime com o maravilhoso estilo noir, as tramas complexas, cheias de sordidez e corrupção, o preto e branco, muitas sombras, a influência do expressionismo alemão trazida pelos imigrantes que fugiam do nazismo. Continue lendo “Pacto de Sangue / Double Indemnity e Assassinos / The Killers”

Os Visitantes da Noite / Les Visiteurs du Soir


Nota: ★★½☆

Anotação em 1996, com complemento em 2008: O filme famosíssimo de Marcel Carné, feito em 1942, é pesadão, teatral, com diálogos artificiais. Tudo só funciona mesmo como documento histórico de uma parábola feita para enfrentar a censura dos invasores nazistas e do governo de Vichy. Os críticos chamaram o filme de “irrealismo poético”. Continue lendo “Os Visitantes da Noite / Les Visiteurs du Soir”