Brincando de Seduzir / Beautiful Girls


Nota: ★★½☆

Anotação em 1997: O filme demora um pouco a mostrar a que veio. Começa como mais um desses filminhos banais e sem graça e sem inteligência sobre um grupo de jovens de cidade pequena do interior. Depois engrena, vai mostrando, com alguma sensibilidade, os problemas afetivos e as dificuldades de relacionamento entre as mulheres e os homens do grupo. Acaba discutindo a fixação dos homens (ou de boa parte deles) pelas mulheres especialmente bonitas, e a óbvia verdade de que o ser humano é maior que a beleza. Continue lendo “Brincando de Seduzir / Beautiful Girls”

Atos de Amor / Carried Away


Nota: ★★★☆

Anotação em 1997: Este filme americano do carioca Bruno Barreto começa com uma cena em P&B, obviamente uma cena do passado: um garotinho, Joey, cai de um trator. Corta, e vemos Joey (Dennis Hopper) adulto, maduro, quase 50 anos de idade, sendo acordado pela mãe, para ordenhar as vacas. Corta, e vemos, numa panorâmica, feita numa grua, pessoas chegando de manhã a uma escola rural; Joey é um deles; de outro carro chega uma mulher madura com seu filho adolescente; Joey a cumprimenta, cumprimenta o garoto, entram na escola. Continue lendo “Atos de Amor / Carried Away”

Armadilha Selvagem / In the Gloaming


Nota: ★★★★

Anotação em 1997: Um show de sensibilidade, de seriedade. Todos nós espectadores poderíamos estar a favor do filme por ele ser a estréia de Christopher Reeve, o Super-Homem dos anos 70 e 80 na direção depois do acidente trágico que o transformou em paralítico. Mas não é por aí. É que o texto é brilhante, corretíssimo, e o filme de fato esbanja sensibilidade. E que beleza de elenco. Continue lendo “Armadilha Selvagem / In the Gloaming”

Um Amor na Alemanha / Eine Liebe in Deutschland


Nota: ★★★★

Anotação em 1997: Um grande, magnífico filme. O espectador sente que Andrzej Wajda quer dissecar as reações das pessoas na Alemanha durante o nazismo; quer entender por que os alemães permitiram o nazismo. Não sei o romance no qual ele se baseou, mas o filme é um estudo da fragilidade do caráter das pessoas comuns de uma cidade pequena, um microcosmo do que para o diretor é a Alemanha toda. Continue lendo “Um Amor na Alemanha / Eine Liebe in Deutschland”

O Que É Isso, Companheiro


Nota: ★★★½

Anotação em 1997: Fugi dele enquanto pude, com medo de não gostar. Adorei. Belíssimo filme. Tem um monte de defeitos, é verdade. Mas é um grande filme, que todos os brasileiros deveriam assistir. Não só pela importância do tema – Lamarca e o documentário sobre Prestes, por exemplo, tratam de temas tão importantes quanto. Mas também porque é um bom filme brasileiro, um ótimo filme brasileiro, de que se pode gostar sem ter que dar qualquer tipo de desconto. Continue lendo “O Que É Isso, Companheiro”

A Noite de São Lourenço / La Notte di San Lorenzo


Nota: ★★★½

Anotação em 1997: Brilhante, sim. Brilhante, fortíssimo, emocionante, com uma puta simpatia pelo bicho homem, esse ser infeliz que cria maravilhas e guerras. O filme tem aquela coisa em que os italianos são especialistas – o painel, o afresco, o retrato de uma realidade grande, vasta. Continue lendo “A Noite de São Lourenço / La Notte di San Lorenzo”

O Destino de uma Vida / Losing Isaiah


Nota: ★★★☆
Anotação em 1997, com complemento em 2008: Um belo filme. Um belo filme, adulto, sério, discutindo de uma forma muito boa, muito aberta, muito sensível, um tema polêmico, difícil: a adoção, e a questão de quem merece ficar com a criança, quando a mãe biológica se arrepende de ter abandonado o filho e o quer de volta. E tendo como pano de fundo o arraigado, fortíssimo, violento racismo da sociedade americana e a onda atual do politicamente correto. Continue lendo “O Destino de uma Vida / Losing Isaiah”

Os Visitantes da Noite / Les Visiteurs du Soir


Nota: ★★½☆

Anotação em 1996, com complemento em 2008: O filme famosíssimo de Marcel Carné, feito em 1942, é pesadão, teatral, com diálogos artificiais. Tudo só funciona mesmo como documento histórico de uma parábola feita para enfrentar a censura dos invasores nazistas e do governo de Vichy. Os críticos chamaram o filme de “irrealismo poético”. Continue lendo “Os Visitantes da Noite / Les Visiteurs du Soir”

As Pontes de Madison / The Bridges of Madison County


Nota: ★★★★

Anotação em 1996: Um filme absolutamente extraordinário. Depois de vê-lo, me ocorre uma comparação que poderá parecer absurda para muita gente: acho que Clint Eastwood é hoje o diretor de maior sensibilidade do cinema – para falar das sensações, das emoções dos homens. Depois de velho, Clint Eastwood ocupou o lugar que era de François Truffaut. Continue lendo “As Pontes de Madison / The Bridges of Madison County”

Os Últimos Passos de um Homem / Dead Man Walking


Nota: ★★★★

Anotação em 1996: Tim Robbins, essa grande revelação, a maior do cinema americano dos últimos 20 anos, fez um emocionante, belíssimo, brilhante, violento, brutal panfleto contra a pena de morte. Nisso ele segue uma linhagem de filmes excepcionais – A Sangue Frio, de Richard Brooks, A Vida o Amor a Morte, de Lelouch, por exemplo. Continue lendo “Os Últimos Passos de um Homem / Dead Man Walking”