Arquivos da Categoria: Europa

Loucas de Alegria / La Pazza Gioia

Nota: ★★★☆

Beatrice é podre de rica, teve um monte de boas oportunidades na vida. Está em geral alegre, até demais; fala pelos cotovelos, sem parar. Donatella é de família pobre, teve uma vida cheia de perdas e tragédias; é frágil, calada, fechada em si mesma. Ler Mais »

Tudo Vai Ficar Bem / Every Thing Will Be Fine

Nota: ★★½☆

Tudo Vai Ficar Bem, de 2015, é o primeiro longa-metragem de ficção de Wim Wenders desde 2008, quando fez Palermo Shooting. Entre os dois, o grande realizador fez vários documentários, entre eles o belo Pina (2011), homenagem à coreógrafa Pina Bausch. Ler Mais »

Programado para Vencer / The Program

Nota: ★★★½

A história de Lance Armstrong, um dos desportistas mais famosos do mundo, sete vezes vencedor do Tour de France, é absolutamente impressionante, fascinante – e aterradora. Nas mãos de Stephen Frears, um dos melhores cineastas que há, não poderia ser diferente: este The Program, no Brasil Programado para Vencer, é um filmaço. Ler Mais »

Preso na Escuridão / Abre los Ojos

Nota: ★★★½

Abre los Ojos, no Brasil Preso na Escuridão, de 1997, foi o segundo longa-metragem co-escrito e dirigido por Alejandro Amenábar. Veio logo depois de Morte ao Vivo/Tesis, do ano anterior. Dois belíssimos filmes, o bastante para chamar a atenção do mundo para esse jovem nascido em Santiago do Chile e criado desde 1 ano de idade na Espanha. Ler Mais »

Downton Abbey – A Sexta Temporada

Nota: ★★★★

Em O Leopardo, seu único livro, o príncipe Giuseppe Tomasi Lampedusa colocou na boca de Tancredi Falconeri, o sobrinho predileto do protagonista, o príncipe de Salina, don Fabrizio Corbera, a frase que se tornou histórica: “Se quisermos que tudo permaneça como está, é preciso que tudo mude”.  Ler Mais »

Belas Famílias / Belles Familles

Nota: ★★★☆

O veterano Jean-Paul Rappeneau passou 12 anos sem lançar um filme, depois do maravilhoso Viagens do Coração/Bon Voyage, de 2003, uma obra excitante, feérica, um tour-de-force cheio de estilo, sobre a fuga de milhares e milhares de pessoas de Paris antes da chegada dos invasores nazistas, em 1940. Ler Mais »

Noite de Verão em Barcelona / Barcelona, Nit d’estiu

Nota: ★★½☆

São seis histórias de amor e uma única cidade. Ou, como se diz no site oficial do filme, “Sis històries d’amor i una única ciutat”. Sim – como a cidade é Barcelona, a imensa maior parte dos diálogos não é em espanhol, e sim em catalão. Ler Mais »

Um Dia no Campo / Une Partie de Campagne

Nota: ★★★½

Em 1936, três anos antes de estourar a Segunda Guerra Mundial e logo antes de fazer as obras-primas A Grande Ilusão (1936) e A Regra do Jogo (1939), Jean Renoir fez este pequeno Une Partie de Campagne. Uma pequenina pérola. Ler Mais »

Lolo, o Filho da Minha Namorada / Lolo

Nota: ★★½☆

Aquela velha história: ela é refinada, sofisticada, ele é meio grosso, meio bronco. Já vimos este filme bem antes de Julie Delpy lançar este Lolo, de 2015, que no Brasil ganhou o complemento de O Filho da Minha Namorada. Ler Mais »

Negócio das Arábias / A Hologram for the King

Nota: ★★★☆

Negócio das Arábias, no original A Hologram for the King, do diretor alemão Tom Tykwer, é o que se pode chamar – com alguma dose de frescura, de coisa pernóstica – de um filme que permite várias leituras. Se o espectador quiser entendê-lo como uma gostosa comédia, tudo bem – é, sim, uma gostosa comédia. Ler Mais »

A Corte / L’Hermine

Nota: ★★★☆

O realizador Christian Vincent criou em A Corte/L’Hermine (2015) uma trama fascinante, original, sui generis mesmo. É um drama de tribunal, que acompanha, do começo ao fim, o julgamento de um homem acusado de assassinar a própria filha, um bebê de 7 meses. Só que tão importante quanto o julgamento em si – ou mais – é o que está acontecendo na mente e no coração do juiz. Ler Mais »

O Salão de Jimmy / Jimmy’s Hall

Nota: ★★★☆

Apenas oito anos após Ventos da Liberdade/The Wind that Shakes the Barley (2006), Palma de Ouro em Cannes e mais um monte de prêmios e indicações, o grande Ken Loach voltou à mesma Irlanda dividida, partida, conflagrada, do período entre a guerra civil de 1922 e a total independência da Grã-Bretanha em 1937, neste Jimmy’s Hall (2014). Ler Mais »

Truman

Nota: ★★★★

Truman, do diretor catalão Cesc Gay, co-produção Espanha-Argentina de 2015, tem sido elogiado por onde passa. Ganhou 28 prêmios, fora outras 29 indicações. Foi o grande vencedor do Goya, o troféu da Academia Espanhola, e do Gaudí, o corresponde catalão. Merece todos os elogios, todos os prêmios. É uma obra-prima. Um filmaço. Ler Mais »

Fahrenheit 451

Nota: ★★★½

Fahrenheit 451, o quinto longa-metragem de François Truffaut, o primeiro em cores e o único feito em país estrangeiro, a Inglaterra, tem uma das frases mais belas, mais fortes, mais marcantes, mais dramáticas destes cento e dez anos de cinema: – “Do you ever read the books you burn?” Ler Mais »

O Que os Homens Falam / Una Pistola en Cada Mano

Nota: ★★★★

Depois de tantas conquistas das mulheres, ao longo dos últimos 100 anos ou mais, na luta pela igualdade de direitos, oportunidades, empregos, salários, tudo, como ficaram os homens? Pós-feminismo, pós os feminismos todos, como anda o Planeta Homem? Ler Mais »