Arquivos da Categoria: EUA e Canadá

Homeland – A Quarta e a Quinta Temporadas

Nota: ★★★½

Na quarta e na quinta temporadas, lançadas respectivamente em 2014 e 2015, a equipe de Homeland – vasta, numerosa – realizou uma façanha: conseguiu melhorar ainda mais o que já era ótimo. Ler Mais »

Janela Indiscreta / Rear Window

Nota: ★★★★

Janela Indiscreta é um filme genial.

Algumas palavras são tão usadas que acabam perdendo a força, o viço, o frescor. Ficam esgarçadas. “Genial” talvez seja o exemplo mais perfeito disso. Ler Mais »

007 – Os Diamantes São Eternos / Diamonds Are Forever

Nota: ★★½☆

007 – Os Diamantes São Eternos, de 1971, é o sétimo filme de James Bond, o sexto e penúltimo com Sean Connery no papel do agente secreto britânico com permissão para matar, o segundo dos quatro dirigidos por Guy Hamilton. Ler Mais »

Sangue de Artista / Babes in Arms

Nota: ★★☆☆

É impressionante como o cinema está presente em Babes in Arms, no Brasil Sangue de Artista, musical da Metro dirigido por Busby Berkeley em 1939, com a dupla de astros juvenis Mickey Rooney & Judy Garland. Ler Mais »

A Primeira Vitória / In Harm’s Way

Nota: ★★★☆

Apesar de ser uma produção caprichada, com a prestigiosa assinatura de Otto Preminger, e um elenco multi-estelar como o de poucos, A Primeira Vitória/In Harm’s Way (1965) não foi um sucesso de crítica na sua época. Bem ao contrário, na verdade. Ler Mais »

A Chave Mestra / The Skelton Key

Nota: ★½☆☆

Uma casa grande, bonita, rica, atraente, impressionante. De preferência (mas não necessariamente) um tanto isolada do resto deste insensato mundo. Uma pessoa ou um grupo de pessoas jovens, alegres, cheias de vida, que chegam àquela casa. E aí, depois de algum tempo… tcham-tcham-tcham-tcham… Perigo! Ler Mais »

No Tempo das Diligências / Stagecoach

Nota: ★★★★

Uma das coisas mais fascinantes, impressionantes, extraordinárias de No Tempo das Diligências/Stagecoach, talvez o mais clássico de todos os westerns, é o contraste entre a amplidão extrema e a exiguidade de um pequeno espaço fechado. Ler Mais »

O Mercador de Almas / The Long, Hot Summer

Nota: ★☆☆☆

The Long Hot Summer, no Brasil O Mercador de Almas, de 1958, é um absoluto espanto. O diretor é o ótimo Martin Ritt. O elenco é espetacular: Paul Newman, Joanne Woodwarsd, Anthony Franciosa, Lee Remick – linda de morrer aos 23 aninhos de idade –, Angela Lansbury. E, como se não bastasse, Orson Welles. Ler Mais »

Homeland – As três primeiras temporadas

Nota: ★★★½

Carrie Mathison é uma daquelas personagens absolutamente especiais, uma figura fascinante. Agente da CIA, tem um fantástico faro, uma incrível capacidade de percepção do que as pessoas nesse mundo louco da espionagem, da inteligência, da contra-inteligência – e do terrorismo – são na verdade, e do que elas tentam esconder. Ler Mais »

Coração de Caçador / White Hunter Black Heart

Nota: ★★½☆

Depois que rolam todos os créditos finais de White Hunter Black Heart, no Brasil Coração de Caçador, ali nos segundos finais dos 112 minutos de projeção, surge a seguinte afirmação: “Este filme é um trabalho de ficção”. Ler Mais »

Manchester à Beira-Mar / Manchester by the Sea

Nota: ★★★★

Manchester by the Sea é um filmaço, uma beleza, uma maravilha. Drama familiar denso, pesado, tristíssimo, o filme, no entanto, é de encher os cinéfilos de alegria e esperança: sucesso de público e crítica, ele veio comprovar, mais uma vez, que há espaço, sim, para filmes sérios, voltados para platéias maduras. Ler Mais »

Uma Aventura na África / The African Queen

Nota: ★★★★

Acho que dá para afirmar, sem medo de errar, que Uma Aventura na África/The African Queen é um dos mais adorados de todos os filmes do período clássico de Hollywood. Ler Mais »

Tubarão / Jaws

Nota: ★★★★

Tubarão não seria o que é sem a música de John Williams. Aqueles acordes gravíssimos, soturnos, abafados, opressivos, que precedem cada ataque do monstro, definem todo o clima de medo, de pavor que permeia  o filme. Ler Mais »

Assumindo a Direção / Learning to Drive

Nota: ★★★☆

A catalã Isabel Coixet é uma realizadora de filmes sobre pessoas comuns, gente como a gente, e seus relacionamentos com os outros – afetivos, passionais, familiares. Ela fala sobre a imensa maior parte da humanidade, e não sobre os temas da maioria dos filmes de hoje: bandidos, ladrões, assassinos, traficantes, super-heróis ou seres de alguma outra dimensão, diferente desta em que vivemos o eventual leitor e eu. Ler Mais »

A Última Sessão de Cinema / The Last Picture Show

Nota: ★★★★

Nós todos envelhecemos – nós, os das gerações nascidas aí entre 1945 e 1955, que vimos A Última Sessão de Cinema quando éramos jovens e tínhamos desejos fortes e sonhos ambiciosos e nos apaixonamos pelo filme. Peter Bogdanovich e aquela penca de atores envelheceram, é claro, e nós os vimos envelhecer nas telas. Ler Mais »