Apasionados


Nota: ★☆☆☆

Anotação em 2006: Eis aí um filme argentino recente que impressiona – e não pela extrema qualidade, como O Filho da Noiva, Kamchatka ou Lugares Comuns, mas pela pobreza de idéias e, sobretudo, pelo artificialismo, pelo tom cor-de-rosa, pela recusa determinada em mostrar qualquer traço da realidade de um país do Terceiro Mundo e permanentemente em crise econômica. Continue lendo “Apasionados”

Kamchatka


Nota: ★★★★

Anotação em 2003, com acréscimo em 2008: Uma beleza, uma maravilha. Foi uma das muitas pérolas da nova safra do cinema que se faz na Argentina que nos deixou e deixa maravilhados – uma beleza de safra que já trouxe os ótimos O Filho da Noiva, Lugares Comuns, O Abraço Partido, Memória de Quem Fica/18-j, Conversando com Mamãe, Clube da Lua/La Luna de Avellaneda. Herencia, Nove Rainhas, Não é Você, Sou Eu, As Leis da Família, XXY. Continue lendo “Kamchatka”

Tango


Nota: ★★★☆

Anotação em 2000: Extraordinariamente bem feito, um espanto de perfeito artesanato. O espanhol Saura, depois de fazer as elegias ao flamenco, tinha mesmo que filmar esta homenagem ao melhor produto argentino que, sintomaticamente, os argentinos desprezam. Continue lendo “Tango”

Sandino


Nota: ★★★☆

Anotação em 1997: Uma bela surpresa. É uma biografia romanceada de Augusto César Sandino, o líder nicaraguense que inspirou a FSLN, Frente Sandinista de Libertação Nacional, do Daniel Ortega, que derrubou o ditador Anastácio Somoza nos anos 70 e muitos ou 80 e poucos. O filme é dirigido pelo chileno Littin, que teve cargo oficial no governo Allende e partiu para o exílio logo após o golpe de 1973. Continue lendo “Sandino”

Guantanamera


Nota: ★★★½

Anotação em 1996: Uma delícia, tão bom, competente e bem feito quanto o anterior da dupla de diretores cubanos, Morango e Chocolate. (Alea morreu em abril deste ano, 1996.) É igualmente crítico dos erros do regime cubano, mas com uma crítica feita com amor e simpatia. A rigor, é ainda mais crítico que o anterior, é mais contudente no ataque à rigidez do regime, à incapacidade do regime de se adaptar, abrir brechas na estrutura imutável desde 1960. Continue lendo “Guantanamera”