Conselheiro do Crime / The Counselor

zzcounselor

Nota: ½☆☆☆

O grande Ridley Scott conseguiu reunir em The Counselor, no Brasil Conselheiro do Crime, praticamente tudo que eu detesto ver no cinema, tudo que desprezo, tudo que me dá nojo.

Quase todos os personagens da história são bandidos – vários deles extremamente, mas extremamente ferozes, violentos.

Cada vez gosto menos de filmes em que os personagens são todos, ou quase todos, bandidos. Sempre acho que só algo em torno de 1%, talvez 2%, no máximo, no máximo 5% das pessoas são bandidos – e no entanto parece que 90% dos filmes do cinemão comercial atual são sobre bandidos.

Cada vez gosto mais de filmes sobre gente como a gente, gente comum, ordinary people.

Cada vez gosto menos de filmes em que a violência é explícita, quase que endeusada, edulcorada, glorificada. The Counselor parece endeusar, edulcorar, glorificar a violência. Faz lembrar o pior do que fez outro grande, Sam Peckinpah, em alguns de seus filmes: a violência explicitadíssima, em câmara lenta.

Me enojam cada vez mais os filmes em que o sangue sai das carótidas como se fossem gêisers. Me enojam os filmes em que cabeças são cortadas.

Lá pelas tantas, em The Counselor, uma cabeça é cortada, e sai quicando tela afora.

Um grande elenco: Penépole Cruz, Brad Pitt, Javier Bardem…

Diz a sinopse do filme do respeitabilíssimo site AllMovie:

zzcouselor3The Counselor, de Ridley Scott, de um roteiro de autoria de Cormac McCarthy, é estrelado por Michael Fassbender (na foto) como o personagem do título, um advogado esperto que é loucamente apaixonado por Laura (Penélope Cruz). Ele a pede em casamento, e ela concorda, embora não saiba que sérios problemas financeiros fizeram com que ele aceitasse participar de um negócio envolvendo drogas com um intermediário chamado Westray (Brad Pitt), que pode dar a ele alguns milhões. Parte dos problemas financeiros do advogado se originam do fato de que ele está investindo num clube que está sendo aberto por seu bom amigo Reiner (Javier Bardem), um hedonista e ocasional cliente que ficou rico a partir de todos os meios necessários, e gosta de manter sua mulher, Malkina (Cameron Diaz), coberta por toda a comodidade que a riqueza garante. Todavia, quando o negócio com as drogas começa a dar errado, o advogado se percebe despreparado para enfrentar os problemas, e logo se vê tentando proteger sua noiva assim como a si mesmo do ódio de um cartel de drogas que não tem escrúpulos a respeito de executar vingança.

Os editores do All Movie deram 2 estrelas em 5 para o filme. Perry Seibert, sujeito de quem já muitos bons textos sobre filmes, assina uma longa crítica no site. Com imensa preguiça, nem tentei ver qual é o tom do texto dele sobre o filme.

A moça da locadora disse que Ridley Scott pirou. Está certa ela

Quando fui devolver o DVD, a mocinha da locadora perguntou o que eu tinha achado, e respondi que tinha achado um horror. A mocinha sorriu e disse que achava que o Ridley Scott tinha pirado.

zzcounselor2Antes disso, quando terminamos de ver o filme, e me deu aquela sensação horrorosa de ter perdido meu tempo tão pouco, tão precioso, com uma porcaria, jurei que não escreveria sobre ele.

Mas tenho um site de filmes. Perder 117 minutos da vida vendo uma porcaria e não aproveitar para escrever sobre ele é uma perda de tempo dupla. Então decidi fazer este registro aqui. Ao menos desopilo um pouquinho o fígado, e ganho mais um post.

Pois é. O grande Ridley Scott, um elenco tão bom…

Anotação em março de 2014

Conselheiro do Crime/The Counselor

De Ridley Scott, EUA, 2013

Com Michael Fassbender (o advogado), Penélope Cruz (Laura), Cameron Diaz (Malkina), Javier Bardem (Reiner), Brad Pitt (Westray)

Argumento e roteiro Cormac McCarthy

Fotografia Dariusz Wolski

Música Daniel Pemberton

Montagem Pietro Scalia

Produção Chockstone Pictures, Kanzaman, Nick Wechsler Productions, Scott Free Productions, Translux. DVD 20th Century Fox.

Cor, 117 min. (Há uma versão mais extensa, de 138 min.)

1/2

6 Comentários

  1. Maria Teresa
    Postado em 4 junho 2014 às 1:04 pm | Permalink

    Caro Sergio,

    Assino e reconheço firma onde você escreve: “Cada vez gosto menos de filmes em que a violência é explícita, quase que endeusada, edulcorada, glorificada.” Perfeito, você não se deu ao trabalho de analisar o filme. Parabéns.

  2. Claudia Maria de Oli
    Postado em 4 junho 2014 às 9:30 pm | Permalink

    Hahahahahaha!!!! Costumo falar que suas piores críticas são as melhores. Quando eu vejo que o texto tem meia estrela (e pelo o que vc escreveu, meia estrela foi generosidade), eu já clico na hora!
    Bem, não vi esse filme no cine pq a sala estava lotada (sorte? dinheiro e tempo economizados?), e desde então estava na minha lista de filmes a serem vistos. Eu farejei uma bomba no trailer, mas o elenco, o diretor… como perder?
    Aí é que está. Eu tenho uma certa curiosidade mórbida em ver filmes-coquetel molotov. Quem sabe?

  3. Jussara
    Postado em 4 junho 2014 às 10:40 pm | Permalink

    Eu tinha visto esse filme para baixar e fiquei meio tentada, devido principalmente ao Javier Bardem, mas fui salva por alguns comentários que diziam que era uma porcaria, que o roteiro era sem pé nem cabeça (mesmo quem viu a versão do diretor disse que a bomba é a mesma). E agora, lendo seu texto, vi que fiz bem em não ter baixado. Eu também não tenho paciência e não gosto de filmes com violência explícita, já larguei alguns pela metade por causa disso. A menina da locadora deve ter razão: o Ridley Scott pirou.
    Achei que seu texto nem ficou ácido, eu teria batido um pouco mais (pelo menos no diretor).

  4. Sérgio Vaz
    Postado em 4 junho 2014 às 11:02 pm | Permalink

    Cara Maria Teresa, muito obrigado por enviar o comentário.
    De fato, não me dei ao trabalho de tentar analisar o filme. Quis deixar claro que não tinha interesse em fazer isso. Meu propósito foi apenas dizer que, na minha opinião, é uma obra que não merece que se perca tempo com ela.
    Claudia, já que você tem curiosidade por coquetel molotov, veja este. Mas de preferência num sabadão, para que você tenha tempo de, em seguida, ver um filme que preste…
    E, Jussara, como eu conheço você um pouco, passe longe desta bomba. Veja o Bardem em outros filmes…
    Um abraço às trê.
    Sérgio

  5. Jussara
    Postado em 7 junho 2014 às 8:44 pm | Permalink

    Vou pular esse filme sim, Sérgio. Por falar em conhecer um pouco, aproveito para dizer que todas as vezes em que comentei “fiquei com vontade de ver esse filme”, e você me mandou e-mail dizendo para ver, que eu iria gostar, você acertou. O mesmo vale para (deixar de ver) filmes ruins. =)
    Abraços.

  6. Nildo Oliveira
    Postado em 25 junho 2015 às 2:09 am | Permalink

    Um grande elenco: Penépole Cruz, Brad Pitt, Javier Bardem…
    Acho que foi a primeira vez que vi um elenco desses em um lixo de filme.
    Parece que que depois de 15 minutos o diretor se perde…por que se ele não tiver perdido o fio da trama nesse filme….MEO DEOS!

3 Trackbacks

  1. Por 50 Anos de Filmes » Perdido em Marte / The Martian em 15 Fevereiro 2016 às 2:07 pm

    […] de ver Perdido em Marte/The Martian, me ocorreu que Ridley Scott é hoje assim uma espécie de Cecil B. deMille, de David Lean. O Cecil B. DeMille das […]

  2. […] Funeral. Juntaram um grande elenco – um dos melhores atores em atuação no mundo, o espanhol Javier Bardem, uma lindíssima e talentosa atriz italiana, Giovanna Mezzogiorno, uma jovem colombiana indicada ao […]

  3. Por 50 Anos de Filmes » Grande Bolada / Arme Riddere em 1 Março 2017 às 3:27 pm

    […] 2017, The Snowman – a primeira história do detetive Harry Hole a ser filmada. O extraordinário Michael Fassbender foi o escolhido para interpretar Harry Hole, personagem fascinante, que já apareceu em 11 novelas […]

Postar um Comentário

O seu email nunca é publicado ou compartilhado. Os campos obrigatórios estão marcados com um *

*
*