Os Estranhos / The Strangers


Nota: ½☆☆☆

Anotação em 2009: Este aqui é mais um daqueles filmes que eu deveria ter tirado do DVD com uns cinco, dez minutos. Só que fui em frente, até o fim da trolha – mas tive que usar a tecla de avanço rápido em algumas das cenas mais para o final, quando o terror macabro e sanguinolento vira slasher puro.

“Os filmes slasher geralmente apresentam violência explícita e sangue, em geral nas mãos de assassinos em série e psicopatas mascarados – e às vezes que não param nunca”, define o AllMovie.

Por que raios eu peguei este lixo para ver? Confesso que basicamente, acho, foi por causa da Liv Tyler, essa garota de beleza deslumbrante. E também por causa da frase na capa do DVD, “Inspirado em fatos reais”.

 O filme abre com um texto que informa – ao mesmo tempo em que um locutor com voz cavernosa o lê, numa redundância absurda, desnecessária – que “o que você verá em seguida é inspirado por eventos reais”. É mentira – nada daquilo aconteceu, conforme o espectador pode ficar sabendo se der uma olhadinha na internet. Na verdade, o diretor e roteirista Bryan Bertino – um estreante – criou uma história inteiramente fictícia a partir de um pequeno incidente que presenciou. E vendeu gato por lebre.

Para resumir, a trama é a seguinte: jovem casal sai, tarde da noite, de uma festa de casamento, e vai para a casa de veraneio da família do rapaz, no meio do mato, distante de tudo. Mascarados cercarão e invadirão a casa, armados de facas e um machado, aterrorizando de todas as formas possíveis o sujeito e a namorada, até o ataque final.

A crítica do AllMovie massacra o filme, com toda a razão, e insiste em que o diretor usou todos os ingredientes do receituário de como se fazer um slasher. “Embora não seja uma refilmagem, The Strangers parece que é, graças ao uso de todos os clichês surrados do gênero e da teimosa falta de vontade de Bertino de tentar qualquer coisa nova ou inovadora. Conflito romântico sem conseqüências? Tem. Ato sexual interrompido? Tem. Personagens feridos miraculosamente curados quando o roteiro exige que não estejam mais feridos? Tem. Máscaras assustadoras? Tem.”

E tem também, é claro, os óbvios ruídos e barulhos em nível altíssimo junto das cenas que têm que ser assustadoras, apavorantes.

Conflito romântico, diz o AllMovie. Pois é, existe, sim, um conflito romântico, bem no comecinho do filme. O mais fantástico é que o filme não nos conta por que raios afinal existe o conflito entre Kristen (o papel de Liv Tyler) e James (Scott Speedman). Há um flashback que mostra Kristen feliz, na festa de casamento. Mas, pouco depois da festa, quando os dois estão indo de carro para a casa afastada do mundo, ela está chorando, amargurada, e James está sério, triste. Aconteceu algo ruim, um problema muito grave, entre a festa e a ida deles de carro até a casa dos pais dele – só que o filme não nos conta o que foi. Insinua-se, mas só insinua-se, que James está apaixonado por um grande amigo, Mike – mas ele diz a toda hora para Kristen que a ama muito. Durma-se com um barulho destes.

Então, fica aí o conselho para quem porventura ler isto aqui: evite essa bobagem, passe longe dela.

Os Estranhos/The Strangers

De Bryan Bertino, EUA, 2007.

Com Liv Tyler, Scott Speedman, Glenn Howerton, Gemma Ward, Laura Margolis

Argumento e roteiro Bryan Bertino

Produção Rogue Pictures e Intrepid Pictures. Estreou em SP 20/11/2008.

Cor, 88 min.

Bola preta

3 Comentários para “Os Estranhos / The Strangers”

  1. Eu também vi em DVD e não sei como consegui aguentar até ao fim.
    Se calhar estava à espera que melhorasse para o fim…
    E como era com a Liv Tyler fui deixando.

Comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *