Os Irmãos Cara de Pau / The Blues Brothers


Nota: ★★½☆

Anotação em 2008: Vimos este filme que virou cult, ou pelo menos teve pencas de admiradores, com 28 anos de atraso. Não sei por que não vi na época (Mary também não tinha visto).

Ouvi falar muito dele, é claro; lembro que houve o LP da trilha sonora, tal e coisa, mas o fato é que não pintou antes. Estávamos zapeando, vimos que estava para começar, e arriscamos.

Naturalmente, não dá para saber o que eu teria achado na época, mas, agora, minha impressão foi assim: eis aí um filme que anda o tempo todo, perigosamente, no fio da navalha entre o engraçado e o absolutamente ridículo.

Os números musicais – e há vários, com uma absurda quantidade de gente excelente e/ou muito importante – são ótimos. Afinal, é John Landis, um dos caras que, se não estou enganado, forjaram a linguagem do videoclip musical. E, segundo afinal, mas não menos importante, os músicos que desfilam na tela são Ray Charles, Aretha Franklin, Cab Calloway, James Brown, John Lee Hooker, Chaka Khan. Gente finíssima.

Para encadear um número musical com outro, para segurá-los, uni-los num longa-metragem, tiveram que construir uma historinha, e espalhar gags. Aí é que a coisa ameaça cair para o outro lado do fio da navalha.

Acho que todo mundo no planeta sabe a historinha, mas lá vai: são dois irmãos bem cara de pau, Jake (James Belushi) e Elwood (Dan Ayckroy); quando Jake sai da penitenciária em liberdade condicional, depois de cumprir três dos cinco anos a que foi condenado, os dois vão visitar Pingüim (Mary Stigmata no original, interpretada por Kathleen Freeman), a madre que comanda o orfanato em que Jake e Elwood foram criados. A madre precisa com urgência de US$ 5 mil para pagar imposto devido, ou então o imóvel que o orfanato ocupa será tomado pelo poder público. Jake e Elwood saem então à procura dos membros de sua antiga banda para fazer apresentações que arrecadem a grana. Enquanto procuram, são perseguidos primeiro por a) uma assassina misteriosa; b) dois policiais que querem multá-los por trocentos delitos no trânsito; e depois por c) um grupo de neonazistas que eles jogaram num lago; d) um conjunto country em que eles passaram a perna; e e) toda a força policial de Chicago, do Estado de Illinois inteiro, a SWAT, o Exército, a Marinha, a Aeronáutica.

John Landis brinca com o exagero do exagero do exagero. Goza todas as instituições americanas, inclusive a música country & western e o cinema de Hollywood. Tem mais perseguição de carro que cinco Bullitts e três Operações França reunidos, mais nonsense que dez Levada da Breca/Bringing Up Baby e Apertem os Cincos, o Piloto Sumiu juntos.

De tudo, o que mais fica oscilando no fio da navalha é o próprio humor da dupla Belushi-Ayckroyd – pelo menos pra gente, que não é americano, nem vê o programa Saturday Night Live, onde, parece, os personagens se originaram, e além de tudo ainda viu o filme fora do seu tempo. Acho que a brincadeira deles é interpretar de jeito suave, impassível, cool, nonchalant, como se não estivessem nem aí pra nada. É engraçadinho nos três, cinco primeiros minutos, mas depois cansa.  

Mas tudo bem. A verdade é que, só pelos clips com James Brown (fazendo um pastor pregando a seu rebanho), Aretha Franklin (fazendo dançar toda a rua à frente de sua lanchonete de bairro) e Cab Calloway (fazendo um número musical da Broadway), o filme já vale.

Vejo no iMDB que o item Trivia – trivialidades mesmo: informações interessantes, curiosas – tem 37 quilômetros. É tanta informação que me deu um pouco de preguiça de escolher alguma para colocar aqui. O endereço é http://www.imdb.com/title/tt0080455/trivia

Mas – epa! – vejo que não sou completamente louco, ou pelo menos não estou sozinho. Pauline Kael diz, sobre os dois protagonistas: “Seu estilo taciturno não permite que eles mostrem personalidade suficiente para este longa-metragem”.

Os Irmãos Cara de Pau/The Blues Brothers

De John Landis, EUA,1980

Com James Belushi, Dan Ayckroy, Carrie Fischer, Henry Gibson, Kathleen Freeman. E mais Ray Charles, Aretha Franklin, Cab Calloway, James Brown, John Lee Hooker, Chaka Khan. E, em participações especiais, Steven Spielberg, Frank Oz, Twiggy,

Roteiro John Landis e Dan Ayckroyd

Produção Universal

Cor, 133 min. (Houve versão estendida com 148 min.)

**1/2

Um Comentário

  1. José Luís
    Postado em 13 outubro 2016 às 11:15 pm | Permalink

    Adorei este filme que vi no cinema quando ele saiu e tenho o DVD já há alguns anos. De vez em quando ponho a rodar e fico consolado. O Sérgio esqueceu-se de referir o Ray Charles que tem para mim o melhor número.

2 Trackbacks

  1. […] papel de Bernie, o porco chauvinista, era perfeito para James Belushi, o mais velho do elenco. Estava com 32 anos, mas este foi apenas seu quarto […]

  2. […] por John Landis, esse diretor que é a cara do cinemão comercial americano nos anos 80. São dele Os Irmãos Cara de Pau/The Blues Brothers (1980), Um Lobisomem Americano em Londres (1983) e o clipe de “Thriller”, de Michael Jackson […]

Postar um Comentário

O seu email nunca é publicado ou compartilhado. Os campos obrigatórios estão marcados com um *

*
*