O Sabor da Magia / The Mistress of Spices


Nota: ½☆☆☆

Anotação em 2008: Uma droga absoluta. É uma história fantasiosa e sem sentido sobre uma indiana que tem poderes mágicos com especiarias e tem uma loja em Oakland, junto da baía de San Francisco.

A atriz Aishwarya Rai, uma indiana nascida em 1973, tem um rosto lindo de doer – e o talento interpretativo de uma árvore. Vejo no IMDB que ela tem gigantesca filmografia em Bollywood, a prolífica indústria cinematográfica da Índia: fez 41 filmes entre 1997 e 2008. Foi até capa da revista Time, com o título de A Nova Face do Cinema!

O monumento de mulher conversa com as especiarias a todo momento, tratando-as com a reverência devida a Buda. Mereceria entrar na galeria das seqüências mais grotescamente ridículas do cinema universal.

O filme é tão desnecessário que tenho preguiça de fazer uma sinopse. Esta é a do AllMovie:

… “história de realismo mágico sobre encantadora órfã indiana que aprende a utilizar as propriedades mágicas das especiarias. A órfã Tilo (Aishwarya Rai) é raptada por uma gangue de bandidos. Ela consegue fugir e, depois de ir parar em praias misteriosas, é recolhida por uma senhora de idade (Zohra Segal) que revela a ela os fantásticos poderes das especiarias comuns. Mais tarde, depois que ela se muda para Oakland, Califórnia, e abre sua própria loja de especiarias, Tilo é obrigada a seguir as três regras básicas: nunca usar os poderes para seu proveito pessoal, nunca sair de sua loja, e nunca encostar na pele de outra pessoa. Quando um arquiteto bonitão (Dylan McDermott) bate sua motocicleta diante da loja, uma química instantânea se estabelece entre os dois e põe em prova a fidelidade de Tilo aos ensinamentos de sua mestra.”

É. Boa sinopse: depois de lê-la, ninguém com a cabeça no lugar perderá tempo com esta bobagem.

O Sabor da Magia/The Mistress of Spices

De Paul Mayeda Berges, EUA-Inglaterra, 2006.

Com Aishwarya Rai, Dylan McDermott, Zohra Segal

Roteiro Gurinder Chadha e Paul Mayeda Berges

Baseado em livro de Chitra Banerjee Divakaruni

Produção Balle Pictures

Cor, 92 min.

1/2

9 Comentários para “O Sabor da Magia / The Mistress of Spices”

  1. sei lá, quem é este cara lá em cima,
    claro que é algo fantasioso….mas não deve ter sensibilidade nenhuma….além da atriz realmente ser belissima….o filme é de um encanto só….o filme fala de tradições…..
    as especiaías são maravilhosas….provavelmente este cara ai não gostou de chocolate…..
    vá ver os fracos não tem vez…quem sabe assim se sensibiliza….

  2. É uma pena,mas é possível perceber que a pessoa acima não entende quase nada sobre a magia do amor e a fantasia que irradia quando por ele somos tocados, por q pra nós que temos e entendemos os sentimentos o filme expressa algo maravilhoso!! E olhe, que não pude assistir por completo mas irei em breve! Fiquem com Deus!!

  3. o idiota ai em cima provavelmente nao sabe que o filme fala de uma religiao e que se o texto nao for mudado e for acrescentado um pedido de desculpas eu e os repressentantes de minha comunidade iremos processar o site .
    voçes tem 2 messes.

  4. O idiota aqui não entendeu: vão me processar por que eu não gostei do filme? Qual é o artigo do Código Penal que proíbe não se gostar do filme?
    De qualquer forma, não tive qualquer intenção de ofender religião alguma. Se é para pedir desculpas, peço.
    Peço desculpas.
    Sérgio

  5. Acredito que gosto não se discute, mas denegrir o filme desse jeito… acho que vc não captou a mensagem..que tal assitir de novo? O filme é muito bonito e traz mensagens que dá o que pensar!

  6. Porra, o cara tem todo o direito de não gostar de um filme…agora vir aqui, no site do cara, reclamar da sinopse que ele fez, é tão perda de tempo quanto eu parar pra escrever isso! Ando procurando pelo filme por causa da tatuagem da Tilo…

  7. Menos, pessoal, bem menos!!!
    O Sérgio tem todo o direito de não gostar do filme. Vocês – e eu também – temos todo o direito de gostar. Mas chegar ao ponto de exigir pedido de desculpas e ameçar com processo judicial é, no mínimo, infantilidade!!!
    O filme é um conto de fadas à indiana. É um história de amor temperada (!) com beleza e magia. A fotografia é linda, a atriz, emobora de parcos recursos dramáticos, é belíssima.
    Mas o filme não é inesquecível, é apenas bonitinho!

Comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *