Minha Vida Sem Mim / Mi Vida Sin Mí


Nota: ★★★★

Anotação em 2008: Um filme extraordinário. Essa moça Isabel Coixet, uma catalã nascida em 1960, é um dos grandes talentos em atuação nos últimos anos.

Ela e Sarah Polley, outro maravilhoso talento, se encontrariam de novo no também excelente A Vida Secreta das Palavras.

Aqui, a jovem canadense interpreta Ann, uma moça simples, comum, classe média baixa, que vive uma vida duríssima, mãe de dois filhos aos 24 anos de idade, que fica sabendo que está com um câncer terminal. Ela esconde a doença do marido, Don (Scott Speedman), da mãe (Deborah Harry), de todos. Com calma, uma estranha resignação e muita determinação, traça uma lista das coisas que precisa e deseja fazer nos poucos dias que lhe restam – inclusive ter um amante e arranjar uma mulher para o marido.

O filme é duro, pesado – mas, ao contrário do que poderia ser, nas mãos de outro diretor, não é um filme depressivo, lúgubre, sombrio. É belíssimo, emocionante.

No site oficial do filme, http://www.sonyclassics.com/mylifewithoutme/, Isabel Coixet conta que ficou anos com o conto de Nanci Kincaid na cabeça antes de finalmente transformá-lo em filme. “No conto, uma vez que Ann descobre que ela vai morrer, ela conta para todo o mundo. E eu pensei na mesma situação mas com uma reação completamente diferente: o que aconteceria se essa pessoa não dissesse a ninguém que iria morrer, que tal se ela descobrisse que o maior presente que ela poderia dar à sua família, especialmente a seus filhos, fosse não transferir a eles o peso de sua morte?”

E prossegue:

“Porque eu faria exatamente como o personagem do conto, eu diria a todo o mundo que eu iria morrer. (…) Mas eu queria fazer este filme sobre uma heroína, sobre a mulher que eu gostaria de ser e não sou. Porque Ann é uma heroína. Ela não é perfeita, mas sem dúvida é uma heroína.

“Introduzi outras mudanças também. Mudei os nomes, ele teve mais um filho… E a história original se passa na Louisiana, mas eu não conseguia ver minha história no verão, num lugar ensolarado. Eu precisava da chuva, do nevoeiro, do frio… Eu precisava filmar em Vancouver em vez de na Louisiana.

“Criei também alguns personagens que não estavam na história original. O engraçado é que Nanci Kincaid, depois de ler meu roteiro, me disse que queria reescrever sua própria história incluindo esses novos personagens.”

Como em A Vida Secreta das Palavras, neste filme aqui Isabel Coixet também usa um elenco internacional, que tem, além da canadense Sarah Polley, o americano Mark Ruffalo, a portuguesa Maria de Medeiros e a espanhola Leonor Watling – a garota que brilha também no delicioso Minha Mãe Gosta de Mulher/A Mi Madre Le Gustan Las Mujeres.

Minha Vida Sem Mim/Mi Vida Sin Mí ou My Life Without Me

De Isabel Coixet, Espanha-Canadá, 2003.

Com Sarah Polley, Mark Ruffalo, Maria de Medeiros, Leonor Watling, Scott Speedman, Deborah Harry

Roteiro Isabel Coixet

Baseado em conto de Nanci Kincaid

Produção El Deseo, distribuição Sony Pictures Classics. Estreou em São Paulo 14/5/2004.

Cor, 106 min

****

3 Comentários

  1. José Luís
    Postado em 14 Março 2012 às 11:06 pm | Permalink

    Acabei de ver há pouco e estou encantado com o filme.
    Já o que vi anteriormente me tinha agradado muito.
    A realizadora Isabel Coixet tem muito talento, não há dúvida.
    Na minha locadora há outro filme dela que se chama Elegia (Elegy) mas sobre o qual não vi grandes elogios, antes pelo contrário.

  2. José Luís
    Postado em 17 Março 2012 às 3:40 pm | Permalink

    O filme “Elegy” chama-se no Brasil “Fatal”.
    Se alguém que venha aqui e que o tenha visto agradecia uma opinião.

  3. Sérgio Vaz
    Postado em 18 Março 2012 às 6:37 pm | Permalink

    Caríssimo José Luís,
    Peço desculpas pela demora em responder às suas duas últimas mensagens.
    Gostei muito de “Elegy”, no Brasil “Fatal”. Eis o endereço do meu comentário: http://50anosdefilmes.com.br/2009/fatal-elegy/
    Na verdade, José Luís, me fascinam todos os filmes dessa moça catalã Isabel Coixet. Gostei muito também de “A Vida Secreta das Palavras”.
    Isabel Coixet não tem medo dos temas duros, difíceis. Acho-a uma diretora admirável.
    Grande abraço!
    Sérgio

2 Trackbacks

  1. […] também é espanhola, a bela, gostosa e talentosa Leonor Watling, de Minha Mãe Gosta de Mulher, Minha Vida Sem Mim, Fale com Ela, A Vida Secreta das Palavras, Lope. São espanhóis também o diretor de fotografia, […]

  2. […] catalã Isabel Coixet é uma realizadora de filmes sobre pessoas comuns, gente como a gente, e seus relacionamentos com […]

Postar um Comentário

O seu email nunca é publicado ou compartilhado. Os campos obrigatórios estão marcados com um *

*
*