Buena Vida Delivery


Nota: ★★½☆

Anotação em 2008: Não é dos melhores da nova safra do cinema argentino, mas, como essa nova safra é excelente, mesmo este filme menor dela tem qualidades. É bem feito, como tudo que los hermanos têm feito ultimamente, com boas atuações.

E, como a maioria dos demais filmes argentinos dos últimos anos, consegue falar ao mesmo tempo do macro e do micro, mistura a história pessoal de seus personagens com o pano de fundo da grande História, a situação sempre difícil de um país eternamente à beira de uma crise econômica, ou saindo de uma, ou entrando em outra.

É amargo e triste. Como Mary bem notou, deixa o espectador angustiado. O personagem central é um motoqueiro que trabalha numa loja de entregas, a do título; depois que o irmão emigra para a Espanha, em busca de vida melhor, fica sozinho na sua casa da periferia de Buenos Aires. Generoso, oferece um quarto para uma bela moça que trabalha como frentista num posto de gasolina vizinho; a moça acaba trazendo para a casa a filhinha, a mãe e o pai – um golpista que vai tomando conta da casa e instala ali uma fabriqueta de churros. Impotente, sem saber direito o que fazer, o rapaz vai engolindo os sapos, um atrás de outro.

Teve oito prêmios e três outras indicações. Aparentemente, foi o primeiro filme do diretor e co-roteirista Leonardo Di Cesare, um rapaz nascido em 1968.

Buena Vida Delivery

De Leonardo Di Cesare, Argentina-França-Holanda, 2004.

Com Ignacio Toselli, Mariana Anghileri, Oscar Núñez

Argumento e roteiro Leonardo Di Cesare e Hans Garrino

Produção La Normanda

Cor, 93 min.

**1/2

Postar um Comentário

O seu email nunca é publicado ou compartilhado. Os campos obrigatórios estão marcados com um *

*
*