Tempos que Mudam / Les Temps qui Changent


Nota: ★★★★

Anotação em 2007, com complemento em 2008: O diretor André Téchiné fez um belíssimo filme quando reuniu em 2004, 24 anos depois de O Último Metrô, de Truffaut, os monstros Catherine Deneuve e Gérard Depardieu.

Cécile e Antoine, os personagens dos dois belos atores, tiveram uma grande paixão na juventude. Separaram-se ainda jovens, e nunca mais se viram. Ela se casou com um marroquino, foi viver em Tânger e teve com ele um filho, Sami, que agora está com 20 e poucos anos. Sami vive na França com Nadia, uma marroquina mãe solteira, por sua vez irmã gêmea de uma moça, Aïcha, que não saiu de Tânger e segue à risca os preceitos religiosos muçulmanos, véu inclusive, claro. A atriz Lubna Azabal faz o papel das duas irmãs, a ocidentalizada e a muçulmana rígida.

Sami e sua mulher Nadia vão a Tanger passar alguns dias – ela para ver a irmã gêmea, ele para ver um antigo namorado. Não é erro de digitação: é namorado; Sami não consegue definir sua sexualidade, ama Nadia mas trepa também com o ex-namorado.

Antoine, o personagem de Depardieu, ao contrário da ex-amante Cécile, nunca refez a vida afetiva; parou no tempo, fixado no amor do passado. Viveu 30 anos esperando reencontrar Cécile.

Tudo isso o espectador ficará sabendo ao longo do filme. A ação começa quando o personagem de Depardieu, um engenheiro importante, chega a Tânger para trabalhar numa grande obra. Saberemos depois que ele forçou a barra para conseguir o trabalho em Tânger – o único propósito de sua viagem é reencontrar o amor da juventude e tentar reconquistá-la.

O filme é um brilho – amargo, triste, pesado, desolador. Aqui Téchiné resolveu usar muita câmara de mão, a montagem em muitos momentos é rápida como a vida moderna – mas essa opção do diretor não é exagerada, não chega a interferir na narrativa. Ele vai contando a fascinante história dos dois personagens centrais entremeando com as histórias paralelas do filho dela, da mulher do filho dela, da irmã gêmea, com o pano de fundo da absoluta miséria africana e da luta de milhares de pessoas para emigrar para a Europa – visível do outro lado do Estreito de Gilbraltar.

Grande Téchiné.

Outros filmes do diretor neste site:

Minha Estação Preferida/Ma Saison Préferé;

Os Ladrões/Les Voleurs;

Anjo da Guerra/Les Égarés.

Tempos que Mudam/Les Temps Qui Changent

De André Téchiné, França, 2004.

Com Gérard Depardieu, Catherine Deneuve, Malik Zidi, Gilbert Melki, Lubna Azabal

Roteiro André Téchiné, Laurent Guyot e Pascal Bonitzer

Música Juliette Garrigues

Produção France 2 Cinéma

Cor, 90 min.

****

Um Comentário

  1. Postado em 15 Maio 2011 às 1:00 am | Permalink

    Vi agorinha, seguindo a Tinha de ser Você com Emma e Dustin. Doeu-me em amarga beleza. Gosto especialmente do silêncio no plano final.

Postar um Comentário

O seu email nunca é publicado ou compartilhado. Os campos obrigatórios estão marcados com um *

*
*