Jogos de Guerra / WarGames


Nota: ★★★☆

Anotação em 2007, com complemento em 2008: Ainda funciona, e muito bem, esse filme um tanto juvenil (que vi algumas vezes com a Fernanda, ela ainda criança), mas com uma bela mensagem.

O diretor John Badham se deu bem contando, em forma de aventura, uma história que quer dizer o mesmo que o Dr. Fantástico/Dr. Strangelove, e a versão séria da sátira de Kubrick, Limite de Segurança/Fail Safe, de Sidney Lumet, com Henry Fonda como o presidente americano à beira do holocausto nuclear final.

Matthew Broderick já estava com 21 anos quando fez este filme de 1983, mas parecia ter uns 16 ou 17, que era a idade de seu personagem, David Lightman. David é um adolescente monomaníaco, obcecado por joguinhos de computador; é levemente desajustado e delinqüente – com a esperteza de um hacker, consegue acessar o computador da escola e mudar suas notas baixas para outras bem mais altas. À procura de um novo joguinho, acabará entrando no sistema do Departamento de Defesa, que está naquele momento informatizando o sistema de lançamento de mísseis, e por pouco, mas por muito pouco mesmo, iniciando a Terceira Guerra Mundial.

Nas suas aventuras, David leva junto uma coleguinha da escola, Jennifer (essa Ally Sheedy, que depois nunca mais vi). Ele consegue fugir da base militar onde estão sendo instalados os tais novos computadores de controle dos mísseis americanos, e, com Jennifer a tiracolo, acabará descobrindo o cientista que bolou o programa e depois endoidou feio.

Como o Hal-900, de 2001 – Uma Odisséia no Espaço/2001 – A Space Odyssey, o computador criado pelo tal cientista conversa com as pessoas, com uma voz grave e cavernosa como a de James Earl Jones interpretando Darth Vader. Os diálogos finais entre o computador e David, diante de uma platéia de milicos impotentes, é uma grande delícia.

zzwargames

Um leitor do iMDB escreveu um comentário bem inteligente. (E que maravilha que é a internet permitir que os espectadores comuns possam comentar sobre os filmes, sem a pose e petulância dos críticos.)

Lá vai:

WarGames foi um filme muito à frente de seu tempo. Ninguém estava fazendo filmes sobre hackers. Os únicos computadores usados nos filmes eram os de naves espaciais. Nenhum computador pessoal tinha sido mostrado na tela dos cinemas. WarGames quebrou a norma geral dos estúdios para a ficção científica de que havia ou filmes sobre a Terra sendo visitada por alienígenas (E.T.) ou os de batalhas entre o bem e o mal no espaço (Guerra nas Estrelas/Star Wars, Jornada nas Estrelas/Star Trek). Com o aumento do crime de hackers, e vendo quão dependentes ficamos dos computadores, dá para perceber como WarGames era um filme com o olho no futuro.”

Ah, sim. Embora eu nunca mais a tenha visto, a atriz Ally Sheedy, que faz Jennifer, trabalha sem parar. Em 1983, já havia participado de vários episódios de séries de TV, e de lá para cá continuou trabalhando em diversos filmes para a TV e para o cinema.

Jogos de Guerra/Wargames

De John Badham, EUA, 1983.

Com Matthew Broderick, Ally Sheedy, Dabney Coleman, John Wood

Lawrence Lasker e Walter F. Parkes

Música Arthur Rubenstein

Produção Metro

Cor, 114 min

R, ***

3 Comentários