A Governanta / The Governess


Nota: ★★★☆

Anotações em 1999 e 2007, com complemento em 2008: Feminista, libertário, sensual. A diretora tem talento, é inegável. Segundo a Vejinha, ela fez premiados curtas para a TV inglesa e este filme é seu primeiro longa.

 Fiz a anotação acima, curtinha, quando vi o filme pela primeira vez, em 1999. Ao rever, em 2007, acrescentei mais dois parágrafos. Agora, acrescento mais alguma coisa.

Minnie Driver faz uma jovem judia, na Inglaterra da segunda metade do século XIX, que, ao perder o pai e ficar pobre, vai trabalhar como governanta de uma família rica na Escócia. O patrão (o sempre bom Tom Wilkinson) é um inventor, às voltas com o princípio da fotografia; inteligente, talentosa, a governanta o ajuda em suas descobertas; tornam-se amantes, e ela espera o reconhecimento dele na participação dela no desenvolvimento da máquina fotográfica, mas ele nega isso, assume só para si a autoria de tudo.

A reconstituição de época é um brilho, assim como a música, de Edward Shearmur, que parece ter pesquisado as canções judaicas do passado – algo assim como fez a cantora Fortuna.

As cenas de sexo são bonitas, suaves, e quase explícitas. A garota Minnie Driver, inglesa de Londres, de 1970, tem talento – e teve coragem. Com a carreira já assegurada, iria depois se aventurar na música, como tantas outras atrizes – e com bastante competência. Ouvi os dois discos  que ela lançou até agora, Everything I Got in My Pocket, de 2004, e Seastories, de 2007, e eles são bem bons, especialmente este segundo. Tem uma voz particular, um timbre personalíssimo, e sabe escolher o repertório – canções dela própria e regravações.  

 A diretora Sandra Goldbacher faria três outros filmes depois deste aqui, mas não vi nenhum deles. O de 2002, Me Without You, foi indicado ao Bafta, o prêmio mais importante do cinema britânico. Este A Governanta ganhou três prêmios e teve três outras indicações.  

A Governanta/The Governess

De Sandra Goldbacher, Inglaterra, 1998.

Com Minnie Driver, Tom Wilkinson, Jonathan Rhys-Meyers.

Argumento e roteiro Sandra Goldbacher

Música Edward Shearmur

Produção Arts Council of England. Estreou em São Paulo em 11/12/98.

Cor, 115 min.

R, ***

2 Trackbacks

  1. […] americano para tentar se curar de uma terrível dor de cotovelo: sua namorada de muitos anos, Vera (Minnie Driver), de repente tinha mandado para ele o convite de casamento dela com um outro cara. E ele descobriu […]

  2. Por 50 Anos de Filmes » Match Point em 24 julho 2017 às 7:03 pm

    […] o lugar que foi de Clyde Griffiths e de Judah Rosenthal pertence a Chris Wilton, o personagem de Jonathan Rhys-Meyers, jovem ator em grande ascensão. Apesar da origem bem modesta, em família pobre da Irlanda, Chris […]

Postar um Comentário

O seu email nunca é publicado ou compartilhado. Os campos obrigatórios estão marcados com um *

*
*