O Despertar Amargo / Pretty Poison


Nota: ★★☆☆

Anotação em 2006, com complemento em 2008: Interessante: visto pela primeira vez quase 40 anos depois de seu lançamento, este filme, com dois atores que eu admirava na adolescência, me pareceu datado e desinteressante. Os alfarrábios todos, no entanto, cobrem o filme de elogios.

A jovem Tuesday Weld, uma gracinha que foi coadjuvante em muitos filmes da Fox nos anos 60 e início dos 70 (e, madura, faria um papel fortíssimo em Era Uma Vez na América, de 1984), estava com 25 anos quando fez o belo veneno do título original, uma adolescente desajustada que pira ainda mais a cabeça já bastante pirada de outro jovem desajustado, interpretado por Anthony Perkins. A moral, seguramente inspirada nos filmes noir, é de que a mulher faz o homem.

Me pareceu um elogio da juventude desajustada sem motivo justo, meio estilo como são charmosos os fora de padrão ou fora da lei – uma moral que eu desprezo profundamente.

Até Pauline Kael, exigentíssima, elogia o filme. Diz que é um thriller psicológico sutil e muito inteligente, e que Anthony Perkins tem talvez a mais atuação mais bem concebida de sua carreira. “Ele brinca com fantasias, nas sabe que elas são fantasias. Tuesday Weld faz uma garota de cidade pequena, louca atrás de excitação, que aceita as fantasias dele como se fossem realidade, e age de acordo com elas. Lorenzo Semple, Jr. escreveu uma beleza de roteiro (baseada na novela de Stephen Geller She Let Him Continue). O horror no filme não está apenas na revelação do que a bela jovem é capaz de fazer, e sim na consciência de que o futuro do homem está sendo destruído.”

Steven H. Scheuer dá 3,5 estrelas (em 4), elogia as atuações do par central e o roteiro, e diz que o diretor Noel Black, estreante nesse filme de orçamento baixo, é promissor.

É. Acho que vou ter que rever o filme algum dia.  

De qualquer forma, dei uma olhada na filmografia de Noel Black, e não achei nenhum filme importante. A previsão de Scheuer, como muitas das minhas, não se confirmou.

O Despertar Amargo/Pretty Poison

De Noel Black, EUA, 1968.

Com Anthony Perkins, Tuesday Weld

Roteiro Lorenzo Semple, Jr

Baseado na novela She Let Him Continue, de Stephen Geller

Produção 20th Century Fox

Cor, 89 min.

Comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *